NOITE DE EMOÇÕES EXTREMAS

(Imagem: Fernando Dantas / Gazeta Press) 

Após passar alguns meses longe do Morumbi, o São Paulo finalmente voltou para casa no início da noite desse sábado (02), às 18h30 (Brasília), contra o Oeste, pela 14ª rodada do Campeonato Paulista.

Uma noite de fortes emoções, com direito a mais um pênalti desperdiçado e gol de virada no finalzinho do jogo, os dois saindo dos pés daquele que fazia sua estreia no gramado do Sacrossanto: o zagueiro Maicon.

Precisando de uma vitória para manter vivo o objetivo de seguir em frente na competição, o Tricolor de Bauza foi a campo com Denis; Bruno, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson e Thiago Mendes; Michel Bastos, Paulo Henrique Ganso e Daniel; e Calleri. A formação foi um pouco diferente da utilizada pelo técnico na última quarta-feira (30), no empate contra o Linense.

Uma surpresa, além do público razoável, foi a presença do auxiliar técnico Serjão no lugar de Renan Freitas, que até então era o treinador do Oeste, mas foi demitido após a derrota para o Audax na última rodada.

Com a mudança no comando, a equipe de Itápolis foi até o Morumbi com o intuito de se defender e aproveitar os contra-ataques.

Um primeiro tempo de jogo bem abaixo do esperado, com o São Paulo criando pouco e tendo quase nenhuma chance real de gol, apesar de explorar as laterais e manter a posse de bola.

E mais uma vez o “quem não faz, leva” foi em cima do Tricolor. Justamente num contra-ataque, Mazinho deu passe em profundidade para Fernandinho, que avançou pela linha de fundo e cruzou rasteiro para Cristiano, que marcou o gol aos 43 minutos, sem chances para o goleiro Denis. Serjão comemorou muito a vitória parcial de sua equipe.

(Imagem: Fernando Dantas / Gazeta Press) 

No intervalo, as equipes seguiram para o vestiário com a diferença mínima no placar, que logo seria revertida pelos donos da casa. Antes do apito para o início da etapa complementar, Bauza sacou Daniel para a entrada de Kelvin.

Assim como no primeiro tempo, o São Paulo continuou pressionando e cruzando a bola na área. Até que aos 10 minutos, numa jogada de sorte, Bruno cruzou pela direita, Hudson se antecipou ao marcador, e tocou de canela para o gol. A bola encobriu Leandro Santos, que a essa altura, nada pôde fazer. Aos 17, Caramelo entrou no lugar de Bruno.

A chance de ampliar o resultado veio aos 27 minutos, quando Calleri saiu na cara do goleiro, após receber passe de Ganso. O argentino tocou de lado e caiu no gramado. Mais um pênalti marcado. E mais um perdido.

Maicon, juntamente com Michel Bastos e Ganso, se aproximaram da marca do pênalti, mas foi o zagueiro quem pegou a bola e se preparou, cobrando do lado direito, para defesa de Leandro Santos.

O técnico argentino ainda substituiu Thiago Mendes por Lucas Fernandes, e sem desanimar, o Tricolor continuou em busca do gol da virada, que veio no minuto final do jogo, aos 45, exatamente dos pés do zagueiro Maicon (sim!), que aproveitou rebote após o goleiro defender o chute de Lucas Fernandes (sim!), e se redimiu pelo erro cometido minutos antes.

(Imagem: Fernando Dantas / Gazeta Press)

O árbitro distribuiu ao todo três cartões amarelos, sendo um para Leandro Santos, do Oeste, e dois para Calleri e Lucas Fernandes, do São Paulo.

Uma vitória que veio em um momento conturbado, e que apesar de ter trazido os três pontos, não disfarça o clima pesado que tem rondado o clube do Morumbi.

Após a partida, Paulo Henrique Ganso mostrou-se irritado com a atitude do companheiro de equipe ao “furar a fila” dos batedores de pênalti, mas Bauza amenizou a situação.

“Os dois estavam designados, e um dos dois bateu. Sim, tem ordem. Ganso ou Maicon. Um dos dois”, afirmou o técnico.

O defensor, que a cada partida em campo vem mostrando para o que veio, e assim conquistando mais e mais a torcida, também falou a respeito do ocorrido.

“Falei para o Ganso que queria bater, mas infelizmente não consegui marcar. Sou forte o suficiente para assumir o meu erro. Felizmente, no final, consegui ajudar o São Paulo, porque precisávamos dos três pontos”, afirmou o zagueiro, que ainda comentou sobre o jogo de terça-feira (05), contra o Trujillanos (VEN), pela Libertadores, no Morumbi.

“Na Libertadores, precisamos do apoio da torcida para conquistar a vitória e manter a briga. Será um jogo importante, e contamos com a presença deles”, finalizou.

O São Paulo, técnica e taticamente, não tem ido bem. Edgardo Bauza diz ter tudo sob controle, mas em campo tudo está de pernas pro ar. Os jogadores parecem se dividir em suas opiniões, sem rumo. Enquanto uns falam, fazem birra e fecham a cara, outros se calam.

Até quando?! Ninguém sabe. O que se sabe é que se não houver mudança, o torcedor pode dar adeus ao que lhe resta de esperança.


Renata Chagas