NOITE DELAS NO PACAEMBU!

Em noite histórica no Pacaembu, com presença da Fiel, equipe feminina do Corinthians vence o Iranduba-AM por 3x1

 

(Foto por Bruno Teixeira/Corinthians Oficial)

 

Quem não foi, perdeu de ver a história sendo escrita. A noite de 9 de maio de 2019 marcou um grande momento para o futebol feminino, em especial para o time do Corinthians, que pela primeira vez entrou em campo naquele que foi palco de tantos grandes jogos do passado antigo e recente corinthiano, o Pacaembu.

 

Quero falar sobre o jogo, mas mais do que ele, sobre tudo o que envolvia aqueles 90 minutos de bola rolando. Chegar no Pacaembu, desta vez, foi diferente. A maioria das pessoas que se viam eram mulheres e crianças. Na Praça Charles Miller, a bateria da Camisa 12 já dava o clima de arquibancada, antes mesmo de cruzar os portões. As grandes filas para comprar ingresso mesmo minutos antes da partida se iniciar, mostravam que toda a divulgação feita havia valido a pena e que a torcida realmente estava empenhada em comparecer.

 

Girando a catraca, era impossível não notar logo de cara a grande faixa estendida no tobogã, que levava a logomarca da campanha feita pelo Corinthians em 2018 e que deu início a todo engajamento em prol da causa feminina: “Respeita as Minas!” - Por falar em respeito, ele só faltou por parte do futebol das meninas alvinegras com as adversárias do Iranduba.

 

O primeiro tempo foi coisa linda de se ver, desde a entrada em campo, com as jogadoras de mãos dadas com meninas de várias idades. Com as torcidas organizadas se unindo em um mesmo setor para cantar juntas, o apoio foi sentido dentro de campo. As meninas voaram. Sem dar muitas chances para as Manauaras jogarem, não demorou para, aos 14 minutos, Gabi Nunes abrir o placar e aumentar ainda mais o volume das arquibancadas que cantavam a plenos pulmões. O segundo não demorou, veio dos pés de Adriana, aos 17.

 

(Foto por Bruno Teixeira/Corinthians)

 

Com a torcida inflamada, o “porópopó” rolando sem deixar a desejar a qualquer jogo de equipe masculina, o Iranduba seguiu perdido, só tentando se defender de levar mais gols. A goleira Lelê teve até tempo para ajudar uma colega do time adversário a se recuperar de uma queda, tamanha a falta de serviço. O terceiro gol do Coringão veio aos 25, ainda do primeiro tempo, feito por Crivelari, fechando assim os gols das donas da casa.

 

No intervalo, um show à parte no campo, com a presença de Milene Domingues, embaixadora do Corinthians Feminino, fazendo embaixadinhas e algumas cobranças de pênaltis com crianças.

 

Esperava-se uma goleada maior, mas o segundo tempo foi mais complicado. O Iranduba voltou mais forte e as meninas alvinegras, mais defensivas. O último gol da partida e único da equipe do Amazonas, aconteceu aos 23 minutos, tendo Sinara como autora.

 

Aos 92 minutos de partida, Edina Alves Batista apontou o centro de campo e daí para frente, foi só festa na bancada. Muito aplaudidas e visivelmente felizes, as jogadoras corinthianas passaram de setor em setor agradecendo a torcida e tirando fotos com os torcedores. O sorriso estampado no rosto de cada uma eram amostras do quanto aquela noite havia sido especial e do quanto o apoio da torcida foi importante.

 

O saldo final foi um público de mais de 5 mil pessoas saídas de suas casas na noite de quinta-feira para prestigiar e valorizar o futebol feminino, em sua maioria mulheres e todas com um mesmo objetivo: Deixar claro o quanto nós podemos e devemos ocupar todos os espaços e que cada dia, cada passo e cada conquista é importante para lutar contra o machismo e contra os padrões sociais.

 

(Foto por Bruno Teixeira/Corinthians Oficial)

 

Foi realmente uma noite mágica, dessas para lembrar durante a vida inteira e esperamos que seja apenas um passo de tantos que ainda devem ser percorridos. Nossas meninas mostram, dia após dia, que são muito capazes, jogam muita bola e são grandes atletas. Cabe agora às marcas, ao clube e principalmente aos torcedores, valorizar esse trabalho que é fruto de muita luta e empenho.

 

Mais do que respeitar as minas, é preciso apoiar, incentivar, participar, torcer e estar junto. A valorização do futebol feminino e a evolução dele depende de todos nós.

 

Que venham mais noites como a deste 9 de maio e que venham Pacaembus, Arenas Corinthians e tantos outros estádios, cada vez mais lotados para prestigiar o futebol feminino.

 

Vai, Corinthians!

 

Por Victória Monteiro, maloqueira e sofredora, graças à Deus!