Noite para esquecer

FOTO: Site Oficial Atlético-MG

Em sua estreia pela Copa do Brasil, o Atlético enfrentou a Ponte Preta em um jogo pouco produtivo para os atleticanos, válido pelas oitavas de final da competição. A partida desta quarta (24) aconteceu no Mineirão e contou com um público pequeno se comparado com outros jogos do alvinegro no Gigante da Pampulha.

As dificuldades do jogo começaram antes mesmo da bola rolar. No aquecimento, o goleiro Victor sentiu dores na lombar e deu lugar a Uílson, campeão olímpico, que não comprometeu na partida.

O jogo começou com a Ponte Preta adotando uma postura já esperada, com um time bem fechado, aguardando a oportunidade certa de contra-atacar. E deu certo. O Atlético se mostrava pouco criativo e as oportunidades que apareciam, eram desperdiçadas. A macaca, que não tinha nada com isso, aos 37, viu a defesa atleticana falhar e deixar Roger sozinho para abrir o placar.

Ainda no primeiro tempo Marcos Rocha precisou ser substituído após sentir durante a partida e quem entrou no seu lugar foi Carlos César. O time ponte pretano fazia muitas faltas e dificultava ainda mais o já ineficaz jogo do Atlético. Mas quem quase fez o gol foram os visitantes com Maycon, que saiu cara a cara com o goleiro atleticano, mas chutou para fora.

Já para o início da segunda etapa, Marcelo Oliveira sacou Otero, que não teve uma boa atuação, para a entrada de Maicosuel, que conseguiu aumentar o ritmo do Galo em campo. O Atlético esboçava uma melhora e logo aos 8 minutos Carlos acertou a trave do goleiro Aranha, mas o rebote voltou exatamente para os braços do arqueiro. Não era a noite do Galo. Aos 19, em jogada iniciada por Maicosuel, que conseguiu abrir espaço e tocar a bola, Robinho recebeu e chutou para empatar a partida.

FOTO: Site Oficial Atlético-MG

O jogo continuava muito truncado, boa parte do time da Ponte Preta já havia sido amarelado pelo número de faltas cometidas. E, ainda assim, quem ficou com um a menos em campo foi o Atlético, já que, aos 32 minutos, Rafael Carioca sentiu o tornozelo e não teve mais condições de voltar para a partida. Nada pode ser feito, uma vez que a última das três alterações permitidas tinha sido realizada cinco minutos antes, com a entrada de Clayton no lugar de Carlos. O Galo teria que terminar o jogo com dez em campo e precisando de um resultado melhor.

O placar não sofreu mais alterações e a igualdade numérica de jogadores em campo só aconteceu aos 49, quando Douglas Grolli recebeu o segundo cartão amarelo e foi expulso de campo. Mas já não havia tempo para reação e o empate em 1 a 1 deu a Ponte Preta uma boa vantagem para a partida de volta.

Para o Atlético seguir na competição, precisa vencer a Macaca por um gol de diferença ou conseguir um empate com mais de dois gols. O empate em 1 a 1 no jogo de volta leva a disputa para os pênaltis.

O resultado do jogo refletiu o que ocorre quando o time faz um primeiro tempo bastante abaixo do nível técnico e tático que se espera. Correr atrás após um placar já desfavorável e contra uma equipe que se fecha muito atrás, torna-se bastante complicado. A missão em Campinas não será fácil, a Ponte Preta é forte dentro de seus domínios, mas para o atleticano existe alguma coisa impossível?

FICHA TÉCNICA

Gols:  Robinho – Atlético-MG; Roger – Ponte Preta

Cartões amarelos:  Douglas Grolli, Reinaldo, João Vítor, Maycon, Thiago Galhardo e Rhayner – Ponte Preta; Lucas Pratto e Clayton – Atlético-MG;

Cartão Vermelho: Douglas Grolli – Ponte Preta

Ponte Preta: Aranha, Nino Paraíba, Douglas Grolli, Fábio Ferreira e Reinaldo; João Vitor, Maycon (Abuda) e Thiago Galhardo (Matheus Jesus); Rhayner, Roger e Clayson (Wellington Paulista) - Técnico: Eduardo Baptista

Atlético-MG: Uílson, Marcos Rocha (Carlos César), Leonardo Silva, Ronaldo e Douglas Santos; Leandro Donizete, Rafael Carioca e Otero (Maicosuel); Robinho, Carlos (Clayton) e Lucas Pratto – Técnico: Marcelo Oliveira

Arbitragem: Anderson Daronco (árbitro); Alessandro Rocha de Matos e Dibert Pedrosa Moises (auxiliares)

Por Júlia Campos

Curta Blog Mulheres em Campo