NOS EMBALOS DE SÁBADO A NOITE…

MAIS UMA ATUAÇÃO PÍFIA DE UM TIME QUE “QUER” ESTAR ENTRE OS PRIMEIROS COLOCADOS.

 

Começando a segunda parte do Campeonato Brasileiro, o Santos recebeu o Grêmio na Vila Belmiro na noite deste sábado. A partida, válida pela vigésima rodada, trouxe a primeira derrota santista em casa no ano. E o time, que até outro dia ocupava a primeira posição da tabela, vê seus adversários se distanciando cada vez mais. Devo dizer que a sensação não é das melhores.

 

(Foto: Ivan Storti/SantosFC)

 

O inferno:

O Santos começou pressionando, nada muito diferente dos últimos jogos, mas sem nenhum resultado de fato, o que também não difere dos últimos jogos, não é? Nos primeiros minutos Diego Pituca até tentou abrir o placar, mas o goleiro adversário estava atento ao lance, depois disso Soteldo também deu algum trabalho à Paulo Victor. Definitivamente, não tenho mais condições de assistir esse jogo.

Como já era de esperar (ou não) Sampaoli, entre todos os santistas pendurados, levou seu sexto cartão amarelo e não comanda o alvinegro diante do Fluminense. Vamos para o intervalo com o placar em branco. Acho até que neste instante eu estava feliz, o que não duraria muito tempo.

O Peixe voltou para o segunda etapa sem mudanças na escalação, já no placar...

Aos nove minutos Luan abriu o placar para o adversário, após cobrança de falta de Rafael Galhardo.  Depois do gol tomado, como aquela expressão de botar cadeado depois da casa invadida, Sampaoli começou as substituições, sem nenhum efeito.

Os últimos dois gols, que “mataram o jogo” vieram no finalzinho, nos últimos minutos, quando eu ainda acreditava que dava para arrancar pelo menos um empate, quando eu ainda torcia, quando ainda tinha um mínimo de esperança. Aos 41 minutos Pepê fez o segundo do tricolor gaúcho, e nos acréscimos Everton Cebolinha encerrou a conta. Final de jogo, três gols e uma derrota dolorosa para o torcedor santista.

(Foto: Ricardo Moreira/ O Estadão)  

 

Ao final da partida a torcida presente no estádio protestou e cobrou mais “raça” por parte da equipe, não critico, porém o técnico alvinegro minimizou a situação.

“A torcida normalmente está a favor na vitória e contra na derrota. Temos que sair deste momento que não ganhamos e tratar de que voltem a gritar nosso nome. É sempre assim. Há muita pressão ao perdedor e descrédito a muitos. Isso gera incerteza a quem protagoniza. Não estou dando desculpa, é o ambiente que vivemos. Uma bola parada mudou um pouco a história e ficamos expostos, isso nos prejudicou. Que possamos ganhar no próximo jogo”

 

Com esse resultado o Santos ocupa a terceira posição na tabela somando 37 pontos, a próxima parada será no Rio de Janeiro contra o Fluminense, na quinta-feira (26). Seguimos!

 

Por Andra Jarcem, com o Santos onde e como ele estiver.