Nossa Senhora do Gol Chorado rogai por nós

Nesta quarta-feira (30), o Inter enfrentou o Vitória, no Barradão, pela oitava rodada do Brasileirão e saiu com os suados 3 pontos. Num jogo de diversas emoções, o Colorado conseguiu sua primeira vitória fora de casa no campeonato.


O time entrou em campo com Danilo Fernandes, Victor Cuesta, Rodrigo Moledo, Edenilson, Uendel, Zeca, Rodrigo Dourado, Lucca, Patrick, Rossi e William Pottker. Uendel e Rossi foram para o jogo no lugar de Iago e Leandro Damião, suspensos com o terceiro cartão amarelo. Cuesta retornou ao time após também ser suspenso pelo terceiro amarelo.


(Foto: Ricardo Duarte / Divulgação Internacional)



A partida começou um tanto sem graça, com poucas chances para ambos os times. Até que aos 25 minutos, Zeca dá um passe para Patrick que marca um golaço e abre o placar.


Depois do gol, o Inter entrou no jogo e começou a pressionar o adversário. No fim do primeiro tempo, um presente do Vitória. Gol contra de Aderllan, ampliando a vantagem colorada.


Logo após, pênalti marcado para o time de Porto Alegre. Tudo certo para deixar o placar ainda mais confortável, mas como o Inter é o Inter, veio a lambança. Rossi, se dizendo confiante, vai para a cobrança e chuta para fora.


E como já dizia o ditado, quem não faz, leva. Numa falta para o Vitória, os donos da casa abriram o placar. A bola desviou em Zeca e foi marcado gol contra do mesmo.


O segundo tempo começou e o Colorado entrou totalmente desligado. Depois de um ano na base de "O Inter não dorme", aprendemos que dorme e muito.


Com a intenção de segurar a vantagem, o jogo foi só pressão do time rubro negro.  Aos 14 minutos, gol de Aderllan deixando tudo igual, se redimindo da bobagem feita no primeiro tempo.


Durante o sono do Colorado, tivemos a entrada de Juan Alano no lugar de Uendel, Brenner no lugar de Pottker e Nico Lopez no lugar de Rossi. Era tudo que o time precisava, do "cafezito", para reanimar o time e tentar sair com a vitória.


Com a entrada do El Diente, o time começou a arriscar novamente, porém ainda sem muito sucesso. Depois de muito apelo para "Nossa Senhora do Gol Chorado", Cuesta dá uma arrancada e passa a bola para Nico, que marca o terceiro gol e deixa a vitória com o Inter.


Depois de um jogo que foi teste para cardíacos no domingo (27) contra o Corinthians, o jogo contra o Vitória foi um teste para a nossa paciência. Com tudo para vencer facilmente, o Colorado gosta de complicar.


Começamos com uma vantagem boa, deixamos o Vitória empatar e dominar a partida. Apesar da sorte de voltar para Porto Alegre com os 3 pontos, o Inter precisa parar de dar essas "sonecas" nos jogos e jogar com a mesma intensidade durante os 90 minutos.


Parece que o time gosta de fazer o torcedor sofrer, tem que ser difícil até o último minuto. Mas como todos os colorados já sabem, se fosse fácil, não seria o Inter.


A próxima partida será contra o Sport no próximo sábado (02) no Beira-Rio em Porto Alegre.

Por Giulia Giongo, colorada sofrida.