Nosso eterno carrasco... Sérgio Alves!

23 de Abril de 1970 eis que nascia Sérgio Alves de Lima, por sua disciplina, raça, empenho e gols, Sérgio Alves se tornou ídolo nos principais times do Nordeste. Seu faro de balançar as redes era inquestionável!

 

Início

 

Em 1990, iniciou nas categorias de base do Sport de Recife, chegou a fazer uma temporada pelo leão da ilha, mas não se firmou no time titular, com isso, em 1992 mudou-se para o Central de Caruaru onde sim começou aparecer como atacante, foi destaque do Central no estadual, e pelos gols feitos, foi contratado pelo Ceará Sporting Club, clube que elevou sua carreira e o apresentou ao Brasil.

 

Um caso de amor chamado: Ceará e Sérgio Alves.

 

Em 1992, Sérgio chegava ao Ceará, ficou no clube até 1997, participou de 298 jogos e marcou 202 gols.

Carrasco Alvinegro, assim era chamado o baixinho pela massa, não só pelos inúmeros gols feito com o manto sagrado, mas ainda pelos gols marcados contra nosso arquirrival F3C que sempre tinham um gostinho a mais e um peso maior... Em 1993, foi campeão estadual com o Vovô, mas destacou-se mesmo no time em 1994 quando quase levou o Ceará à Libertadores da América, o time Cearense chegou a final da copa do Brasil contra o Grêmio, sendo roubado escandalosamente dentro de casa, pelo árbitro Oscar Roberto Godoy. Um pênalti não marcado em cima do atacante, que teve até a camisa rasgada no lance.

 

Fonte: Extraída da Internet

 

Em 1996 e 1997 foi campeão estadual novamente pelo Mais Querido.

 

Fonte: Extraída da Internet

 

Em 1996, Sérgio Alves livrou o Ceará do rebaixamento para a Série C do Brasileiro em um jogo emocionante no Estádio Presidente Vargas, o carrasco tinha sim amor à camisa e honrava o que estava vestindo, nunca desistiu e em uma dessas livrou o maior do estado de uma Série que nunca participamos em 102 anos de história.

Era precisamente dia 09 de Outubro de 1996, Ceará e Tuna Luso – PA, última rodada do Campeonato Brasileiro Série B, o Mais Querido precisava vencer para não ser rebaixado, e a etapa inicial terminou com o Vovô atrás do marcador. Na etapa complementar, de falta, Sergio Alves empatou a partida e nos devolveu a esperança. Em uma confusão perdemos nosso goleiro que foi mais cedo para o chuveiro e o técnico na época Arnaldo Lira, também foi expulso da beira do gramado. Aos 55 minutos, Sérgio Alves nos livrou do pesadelo da terceira divisão, após completar passe e marcar o gol da virada. O Baixinho comemorou muito o acontecido, e a torcida alvinegra agradece eternamente tamanho empenho para com nosso time.

 

Fonte: Diário do Nordeste

 

Em 1997 se despediu do Ceará á caminho do Sion, time da Suíça, onde jogou a temporada de 98. Retornou ao Brasil indo para o ABC, onde também se tornou ídolo, principalmente por nunca ter passado um clássico contra o América sem marcar gols. Foi campeão Potiguar em 98 e 99. De 99 a 2001, teve passagens rápidas por Joinville, Fluminense, Santa Cruz, ABC e Ceará novamente. Nesse meio termo, também jogou no Bahia, onde se consagrou após ser campeão da Copa do Nordeste em cima do Vitória.

O carrasco já gostava de um clássico.

 

Fonte: Extraída da Internet

 

Retornou para o Ceará no Brasileiro de 2001, artilheiro da competição e do país com 41 gols, em 2002 ganhou mais um estadual pelo time Cearense. Teve uma passagem pela ponte preta em 2003 e retornou ao CSC em 2004, disputou 35 partidas e fez 24 vezes a rede balançar. Fez mais algumas curtas temporadas em outros times, retornando à sua casa (CSC) em 2008, e ficou até encerrar a sua carreira como jogador.

Em 2009, foi peça importantíssima no elenco que levou o Vovô de volta à primeira divisão do Brasileiro. Lembro-me bem, de um dos jogos emocionantes do campeonato no ano do acesso, Ceará x Brasiliense, pelo segundo turno, em um jogo disputado, vencíamos por 1 x 0, Anderson, nosso zagueiro, marcou contra, precisávamos vencer, na arquibancada, gritávamos, Olé Olé Sérgio Alveees... PC Gusmão ouviu nosso pedido e promoveu a entrada do baixinho, que aos 44 minutos recebeu na pequena área e de cabeça virou o jogo para delírio dos torcedores alvinegros.

Há Sergio Alves, como tens historia de superação, virada, com essa camisa.

 

Fonte: Extraída da Internet

 

Em 2010, em uma partida entre Ceará x ABC no castelão, o baixinho pendurou suas chuteiras. Ainda treinou o time sub 17 e foi campeão cearense treinando o Sub20 do Ceará em 2012 e algumas partidas o time principal pela Copa no Nordeste.

Chegou a ser treinador do Ferroviário, assumiu o cargo de diretor do Pacatuba e até voltou a jogar em 2013 para salvar o time da lanterna da segunda divisão do cearense e deu tão certo que o time chegou às semifinais.

Atualmente tem feito projetos com os amigos boleiros, e até se candidatou a vereador esse ano pelo estado do Ceará, infelizmente não se elegeu.  

 

Fonte: Extraída da Internet

Ao nosso eterno carrasco, meu muito obrigado por tudo que fez com a camisa do Ceará, sua humildade, amor ao time, gols, disposição, caráter te fez meu ídolo e de milhares de cearenses e potiguar. Que Deus honre o ser humano que você é e lhe pague com bênçãos tudo que fez pelo meu time.

Lhe admiro e lhe respeito demais. Obrigado!

 

Eu fiz do Ceará a minha vida… Com Amor, Priscylla Lima.