Novo tropeço do Tricolor no Clássico Vovô

Com atuação abaixo da média, Fluminense perde por 1 x 0 para o Botafogo no Maracanã

Júlio Cesar, Lucas, Henrique, Reginaldo, Mascarenhas, Wendel, Orejuela, Wellington Silva, Gustavo Scarpa, Richarlison e Pedro. Esse foi o time que entrou em campo para enfrentar a equipe bem armada do Botafogo. Um detalhe extremamente importante é que seis deles são meninos formados na base e com seus vinte anos. O que esperar deste grupo? É uma loteria. Tem partidas em que o conjunto rende e eles fazem bela exibição. Só que nesta noite eles estavam sem inspiração para o futebol.

Gustavo Scarpa teve atuação abaixo da média - Foto de Mailson Santana

Primeiro tempo do alvinegro. Muitas falhas até que, aos 38 minutos, Roger fez o gol e o Botafogo abriu o placar. Batida de escanteio, cabeçada e lá dentro da rede ela foi parar. Falha grosseira na marcação. Defesa ineficiente nos 90 minutos. Os zagueiros cometendo muitos erros, alguns nem mesmo saltavam para defender a bola.

Assim, uma partida onde a defesa comprometeu por completo o bom andamento da partida. Para se ter ideia, Jefferson praticamente assistiu ao primeiro tempo, confortável e sem precisar fazer uma defesa sequer do ataque tricolor. Não houve ataque, não houve uma jogada, uma tentativa.

Para não ser injusta, teve uma jogada sim. Por volta dos 40 minutos, uma falta e a jogada de bola parada. Não resultou em nada. Mas valeu.

Pensei que talvez, no intervalo, com a conversa e as instruções do Abel, o time entraria em campo mais concentrado no segundo tempo. Poucos minutos bastaram para comprovar o contrário. Mesmos erros de marcação e na defesa, poucas jogadas perigosas, ineficiência no meio campo. Apito final e amargo resultando nova derrota.

Placar final do jogo

E perdemos em cifras também. A renda de 414 mil de renda dos 12 mil pagantes não cobriu os custos do jogo. O clube amargou novo prejuízo.

Abel Braga admitiu que o time não foi bem, apesar do jogo ter começado a favor do grupo, e dizer que houveram muito erros de passes.

Técnico falou sobre a partida - Foto de Nelson Perez

“Esse jogo teve características diferentes, começou muito bom para nós, Botafogo procurou fechar os espaços e fizemos eles correrem de uma lado para o outro. Dentro desse momento totalmente positivo, começamos a forçar a jogada e errar e o Botafogo a contra-atacar, jogando com mais jogadores no campo de ataque.

O gol do Botafogo aconteceu porque houve espaço na defesa para o alvinegro entrasse livre para cabecear. O time aceitou o ritmo deles e o primeiro tempo terminou da pior maneira.

“Fica aquilo que a gente sabe que decide clássico, que é o detalhe, a concentração. Lamentamos o resultado, mas não podemos negar que não faltou luta. Um jogo que as equipes marcaram bem, foi crucial para nós dos 20 aos 45 minutos do segundo tempo. Erramos mais que o normal e facilitamos o contra-ataque do adversário”, comentou o técnico.

Esses erros são vindos de meia dúzia de garotos criados na base que ganharam a camisa de titular e, por mais que se esforcem, ainda não estão preparados para tamanha responsabilidade. Abel escala um grupo a cada jogo, por desfalques ou suspensão por cartão, e também tem um banco repleto de novatos. O que ele pode fazer a não ser trabalhar com o que tem? Sinceramente não o culpo pela fase. Ele é responsável por treinar o time.

E como diz Aristóteles: “Nós somos o que fazemos repetidamente. A excelência, portanto, não é um ato, mas um hábito.”

Quem contrata reforços é a diretoria. E tem novidade sobre a transação de jogador, mas não para chegar. O atacante Wellington Silva está de saída do elenco e deve se transferir para o Bordeaux, da França, em breve. Talvez ainda jogue no próximo jogo, contra o Coritiba, para se despedir da torcida.

O clube deve render até 18 milhões de reais com a ida do jogador e isso pode desafogar o gargalo. Ao menos é o que se espera. Será que desta forma, Pedro Abad vai parar de desmanchar o time ou esse é apenas o primeiro negócio que será feito até a janela do meio do ano abrir? Confesso que isso me preocupa bastante.

E durante o jogo, a arquibancada gritava “Ei Abad, Vai *******”.


Carla Andrade


Fonte: Site do Fluminense F.C