Numa disputa de pênaltis eletrizante, Prass fez o que seria impossível, mas o Palmeiras desperdiça a vantagem e não levanta o caneco no Uruguai.

Dentro da agenda de pré-temporada, o Palmeiras disputava a Copa Antel. O Torneio de Verão do Uruguai, como é conhecido, é uma competição que acontece desde 2011 e é disputada no estádio Centenário, em Montevidéu. Quatro equipes disputam o título, sendo duas da casa e duas convidadas, que tenham tido destaque no cenário sul-americano atual.

O convite foi a oportunidade perfeita para que o time começasse a esquentar as turbinas do início do ano, e para que o técnico Marcelo Oliveira observasse o seu elenco e os novos contratados.

Foram apenas dois jogos, onde o comandante pôde mesclar o time ao máximo, analisando todas as possíveis combinações. Se vencesse o primeiro jogo, o Verdão já estaria automaticamente na final. E foi o que aconteceu. 

Na primeira partida, o Palmeiras enfrentou o time do Libertad (PAR), e venceu com o placar de 2x0. O primeiro gol saiu dos pés de Erik, num passe perfeito, para a finalização de Allione, e o segundo, já no final da partida, aconteceu depois que Zé Roberto bateu uma cobrança de falta, colocando a bola na cabeça de Móises. Dois belíssimos gols, que tiveram a participação dos novatos.

Imagem: Reprodução/ Site Oficial do Palmeiras

O resultado não só agradou torcida e treinador, como colocou o Palmeiras na final, para enfrentar um velho conhecido, o Nacional do Uruguai.

O adversário entrou muito bem no jogo. Com o seu jovem time, composto pela maioria de reservas, começou impondo o seu ritmo. A velocidade e conhecida "pegada" dos uruguaios, exigiu que o Palmeiras mostrasse uma reação rápida, que só aconteceu depois de algum tempo de jogo. Ainda na metade do primeiro tempo, o time conseguiu engrenar e mostrar certa corporeidade, mas os erros táticos e de finalização, impediram a chegada do gol.

Na etapa complementar, com muitas alterações dos dois lados, o jogo ficou mais equilibrado.

A "catimba" e a entrada de alguns jogadores mais experientes no Nacional, pareceu ressaltar os erros que o Palmeiras já havia apresentando no início da partida: passes errados e falta de capricho na hora de finalizar. Ainda conseguiu "morder" um pouco mais, mas isso não foi suficiente para a vitória.

Com o empate, a partida seguiria para decisão nos pênaltis, cenário que o Verdão está bem familiarizado. Mas apesar da boa lembrança, ainda fresca na memória, definitivamente não é o que se deseja para definir um jogo.

Fernando Prass começou muito bem, defendendo o primeiro, e enchendo a torcida de alegria e esperança! O que se viu na sequência foi inacreditável! Ele não só defendeu mais um, como bateu a última cobrança, de forma perfeita, fazendo um belíssimo gol de pênalti! Desempenho extraordinário!

Imagem: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Mas o futebol tem a mania de nos surpreender a cada minuto... Se essa história fosse contada apenas pelo prisma do grande goleiro alviverde, qualquer pessoa que não tivesse visto o jogo, diria:"O Palmeiras venceu a partida". Mas, infelizmente, não foi isso que aconteceu.

Com erros de Dudu, Gabriel Jesus e Allione, o Palmeiras desperdiçou a grande vantagem conquistada, e cedeu o título ao time da casa.

Conquistar um amistoso divide a opinião dos torcedores. Para alguns, não vale absolutamente nada. Já outros, torcem como sempre e desejam o caneco. Mas o que é unanimidade para a torcida do Palmeiras, é o desejo de que os erros vistos nessa competição possam ser rapidamente consertados, porque jogar com times sul-americanos é o aperitivo de entrada para o prato principal: a Libertadores da América.

E nesse quesito, todos concordam e cantam para não esquecer jamais: "Vamos jogar com a alma, jogadores! Para ganhar a taça Libertadores", porque com essa, não se brinca!

 

Alê Moitas