O ASSALTO - PARTE II

Com lance absurdo revisado pelo VAR e apontado pênalti, empate na Vila tem sabor de assalto para o Furacão 

 

(Foto: Site Oficial do CAP)

 

Em setembro do ano passado, quando se enfrentaram também na Vila Belmiro, o Furacão arrancava um empate sem gol do Santos - com sabor de vitória - até que nos acréscimos, o árbitro Caio Max Vieira marcou um pênalti duvidoso para os donos da casa. Àquela altura, Tiago Nunes ainda tentava consertar o estrago deixado por Fernando Diniz, e o Atlético - ainda sem o H - continuava muito próximo da zona de rebaixamento.

Neste domingo (08), entretanto, quando se enfrentaram, os jogadores atleticanos nem imaginavam que o filme poderia se repetir.

Em diferentes situações - Santos vivo na briga do título e o Athletico na zona confortável da tabela - uma vitória por 1 a 0 em plena Vila Belmiro, com um time misto, não estava nada mal para o Furacão.

Mas foi no finalzinho do jogo - tal qual em 2018 - que mais um crime se efetivou contra o Furacão. O árbitro revisou lance de falta de Brian Romero em Marinho, e entendeu que o jogador do Santos teria sido derrubado dentro da área.

Se a área mudou de lugar, ninguém me avisou! VERGONHA!

 

(Foto: Reprodução/ Internet)

 

Sim, o VAR trouxe muita melhoria para o futebol brasileiro, mas muitas coisas ainda precisam ser revistas. O tempo de espera para revisão de um lance - ou até mesmo para decidir-se pela revisão - e principalmente os lances de interpretação não têm lugar na dinamicidade de um campeonato como o Brasileiro e considerando sua extensão, uma falha dessas pode custar muito aos times. CBF, resolva, pois não está fácil.

 

COMO FOI O JOGO

Com um time misto, já que está dando prioridade para a Copa do Brasil, cuja primeira final será na Arena da Baixada já na quarta-feira (11), o Furacão tomou pressão do Peixe no início do primeiro tempo.

Foi só na segunda metade da primeira etapa que o time começou a se soltar, e só não marcou porque Éverson fez boa defesa após sequência de chute à queima-roupa de Thony Anderson.

Aos 41, após boa jogada, Brian Romero marcou para os visitantes: 1 a 0 para o Athletico. O que se viu a partir dali foi um Santos perdido e seu técnico nervoso.

De volta ao segundo tempo, bem que o time da Vila Belmiro buscou o empate, mas Léo fez boas defesas. Foi no finalzinho, aos 42, que o árbitro marcou o - INEXISTENTE - pênalti para os donos da casa, que foi convertido, deixando tudo igual.

Aí só deu tempo mesmo para o desentendimento. Sampaoli e Tiago Nunes discutiram na beira do gramado, levaram cartão amarelo e um integrante da comissão técnica do Santos foi expulso. Em entrevista coletiva, Paulo André, agora diretor de futebol do Athletico, falou sobre a briga e sobre a postura do técnico argentino em campo, que passou boa parte do jogo desrespeitando os jogadores do Furacão! QUE VERGONHA SAMPAOLI.

 

(Foto: Reprodução/Globo)

 

Com o resultado, o Athletico ao menos atrapalha a campanha do Santos pelo título, mas não se resolve muito na tabela, ficando na nona posição.

 

Agora é esfriar a cabeça e colocar todos os nossos esforços na final contra o Internacional. A primeira batalha dessa guerra começa na quarta (11), na Arena da Baixada, às 21h30.

 

Pra cima Furacão!!!

 

Por Daiane Lodista