O BRILHO DO MAJESTOSO

 

O Campeonato Brasileiro praticamente chegou ao fim. Faltando apenas 3 rodadas para o término, já se tem um campeão, e o segundo e terceiro lugares já estão basicamente definidos, apesar da pontuação de um time para o outro ter diminuído após a rodada do meio da semana.

O que mais está em jogo é a última vaga do G-4, ocupada, até então, pelo São Paulo, que levou a melhor no confronto de quinta-feira à noite, contra o Atlético Mineiro, conseguiu os 3 pontos e assumiu o 4º lugar, já que Santos e Internacional não obtiveram êxito em seus jogos.

Visando a permanência no G-4, nesse domingo (22), o Tricolor irá até a Arena Corinthians e fará o clássico Majestoso, às 17h (horário de Brasília), pela 36ª rodada do campeonato.

FOTO: https://imguol.com

Os alvinegros estarão em festa, e para eles, a vitória já não é mais uma obrigação, afinal, são campeões. Agora seus jogos servirão apenas para cumprir tabela. É claro que, mesmo sem precisar dos 3 pontos, irão em busca da vitória, pois clássico é sempre clássico.

O São Paulo, apesar de ser apenas o coadjuvante desse jogo, tem grandes possibilidades de “jogar um balde de água fria” na festa corinthiana, e aproveitar para “carimbar” a faixa de campeão que os anfitriões receberão.

Com o pensamento somente na vitória, e com a “obrigação” de se classificar para a Libertadores, o time se reapresentou na sexta-feira (20), no CCT da Barra Funda. Após a goleada por 4x2 em cima do Galo, na quinta à noite, os titulares fizeram atividades regenerativas, que começaram no Reffis, e foram complementadas na piscina. Enquanto parte do grupo fazia o trabalho de recuperação, os outros trabalharam exercícios físico-técnicos em campo reduzido.

O São Paulo não tem nenhum atleta suspenso, e só não terá força máxima para o clássico, por conta de jogadores lesionados e questões contratuais. Alexandre Pato, por exemplo, não poderá estar em campo com seus companheiros, para tentar apagar o brilho da festa alvinegra. O camisa 11 é jogador do Corinthians e está vetado do confronto. Os zagueiros Breno e Luiz Eduardo (que tem contrato apenas até dezembro deste ano) seguem fora, assim como o goleiro Rogério Ceni, que ainda não está recuperado de lesão no pé direito. Caso o camisa 01 pudesse estar em campo, faria o último Majestoso de sua carreira, antes de se aposentar.

Sendo assim, Milton Cruz deverá repetir a escalação do jogo contra o Atlético Mineiro, e fazer apenas uma alteração: Rogério ou Alan Kardec no lugar de Alexandre Pato. Os dois jogadores entraram no segundo tempo, diante do Galo, e não deixaram a desejar. Mostraram que podem ser titulares, e tiveram uma ótima atuação. O primeiro entrou e deu mais velocidade à partida, sendo crucial para algumas jogadas que resultaram em gols. Já o segundo marcou dois, e pode ser peça fundamental para uma possível vitória. Mas a escolha não será tão fácil, pois Milton terá disponível Luis Fabiano, que marcou gols nos últimos 4 jogos e também é importante, sendo decisivo, muitas das vezes.

Com essa dúvida, o São Paulo deverá ir a campo com Denis no gol; Bruno e Carlinhos nas laterais, fazendo a linha de quatro zagueiros com Rodrigo Caio e Lucão; Thiago Mendes e Hudson como volantes; Paulo Henrique Ganso como meia de criação; Michel Bastos e Rogério pelas pontas, acompanhados de Luis Fabiano ou Alan Kardec como homem de referência.

Pelo lado alvinegro, Tite deve poupar o zagueiro Gil, o volante Elias e o meia Renato Augusto, indo a campo com Cássio; Edílson, Felipe, Edu Dracena e Guilherme Arana; Ralf, Bruno Henrique, Rodriguinho, Jadson e Malcom; Vagner Love.

O trio de arbitragem do clássico será composto pelo árbitro Pericles Bassols Pegado Cortez, do Rio de Janeiro, e pelos assistentes 1 e 2, de São Paulo, Danilo Ricardo Simon Manis e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa, respectivamente.

Nesse domingo, todos os olhos estarão voltados para a Arena Corinthians, onde estará acontecendo o último Majestoso do ano. A festa estará arrumada, e deverá ser bonita. Mas o São Paulo tem apenas um objetivo: vencer! E não importa se o time estará na casa do arquirrival, e muito menos se vai apagar o brilho alvinegro. Em um clássico onde será coadjuvante, por que não brilhar como protagonista, no papel principal?!

 

Por Renata Chagas