O CAMISA NOVE DA MARAVILHA



O nome dele é Warley Silva do Santos, mais conhecido como Warley ou simplesmente W9.



Warley com o troféu da Série D
(Foto: Rizemberg Felipe/Jornal da Paraíba)

 


Warley, camisa 9, atacante, veloz e habilidoso. Assim eram as suas características no meio futebolístico.

A trajetória do atacante é um tanto marcante aqui no estado da Paraíba. O camisa 9 atuou nos três maiores clubes do estado: Treze, Campinense e por fim, veio ser feliz no mais Belo e Glorioso.

Antes de percorrer pelos gramados do estado, W9 teve passagens por diversos clubes do Brasil e também fora, onde atuou bem e deixou um pouco da sua marca em cada um deles. Nos times em que Warley passou deixou um pedaço do seu futebol e maestria de camisa 9, o talento era tão perceptível que até na Seleção Brasileira o homem-gol do Botafogo teve passagens, inclusive jogando ao lado de grandes nomes como Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo Fenômeno, Robinho, Cafú, Taffarel e afins.


(Foto: Imagem retirada da internet)
 

A passagem do atleta no Botafogo da Paraíba como jogador digamos que foi “intensa”, ele atuou na temporada de 2013-2014 retornando ao clube em 2016-2017 e fazendo gols importantes e, consequentemente, trazendo títulos. Ao todo foram três estaduais e um nacional.

O camisa 9 da Maravilha do Contorno (CT do Botafogo) chegou em solo pessoense em dezembro de 2012 com a proposta de trazer o título para a capital. Nesse período, o Belo estava há dez anos sem ganhar um título sequer, período muito difícil. Contudo, o meu nove não brincou em serviço e fez um belo de um hat-trick no estadual, estilo ídolo, e caiu na simpatia da torcida.


Warley com o troféu do Paraibano 2017

(Foto: Retirada da internet)
 

Na trajetória de 2013, o mesmo teve participação direta e ajudou a equipe, sendo artilheiro do Campeonato Paraibano com 14 gols e, como consequência, o Belo foi campeão. O atacante foi peça chave na conquista de um título visto como algo não tão significativo para alguns, mas para o Belo era a quebra de um jejum de dez anos sem conquistas, senão um renascimento de um clube que continha uma torcida desiludida e carente de títulos.

O W9 chegou na hora certa, se uniu à equipe tornando-se uma das peças mais importantes no ano e a torcida, claro, o abraçou sem medo. Nascia ali um ídolo.

Era comum fazer gols nos rivais, era um faro e presença de área incomparável. O atacante sempre estava ali, preparado para guardar o dele.

No segundo semestre do ano de 2013, Warley contribuiu para o acesso à Série C fazendo gols em mata-mata, participando de forma efetiva nas assistências de inúmeros gols. E não parou por aí, para cravar o ano espetacular e inesquecível, W9 junto com a equipe trouxe o título mais importante até então no Botafogo: Campeonato Brasileiro da Série D. (Na Paraíba título nacional só o Botafogo tem!).

“Eu vim para o Botafogo-PB com o clube há quase 10 anos sem ganhar nada. O torcedor estava muito carente de títulos. A forma como tudo foi conquistado aqui trouxe uma energia positiva muito boa. Nunca tinha conquistado título brasileiro, e conquistei aqui. Não é o Botafogo-PB que tem que ser grato a mim. Eu que sou grato ao Botafogo-PB, à cidade de João Pessoa e ao carinho que sempre recebi”

(Warley)
 

(Foto: Rafael Passos)
 

Em 2014, trouxe o bicampeonato e no início de 2015 decidiu ir para outros ares. Já em dezembro de 2015, ele retornou ao futebol paraibano, afinal, um bom filho à casa torna. Ele ficou para a temporada 2016-2017 sendo mais uma vez campeão estadual.

Era perceptível o respeito da torcida com o jogador e vice-versa. Warley sempre deixava claro a sua vontade de se aposentar no Botafogo, era seu desejo concluir sua trajetória no clube de mais tradição da Paraíba, e para nós, como torcida, seria uma honra.

No fim de 2017, aos 39 anos, Warley decidiu parar de jogar futebol. O eterno W9 da Maravilha do Contorno foi à público dar adeus aos gramados. Porém, pelo lado bom, ia continuar no Botafogo como gerente de futebol. O nosso camisa 9 não ia nos abandonar e até hoje continua conosco.


(Foto: Jornal Correio)
 

A torcida abraçou tanto que até música em homenagem ao ídolo surgiu, e facilmente caiu na boca da galera. A cada gol marcado e até mesmo avistando-o fora dos gramados era impossível não cantarolar e saudar o ídolo no ritmo:

“Ele é sinistro,
É goleador
Uhhh, Warley é matador!”

Quem é o torcedor do Belo que nunca fez W com as mãos? Eu duvido. Carinho, respeito e gratidão sempre serão os sentimentos que vem no coração quando nos referimos ao nosso W9.

A gratidão sempre existirá e andará lado a lado com o carinho e o respeito pelo atleta que honra até hoje as cores do maior da Paraíba.

Atualmente, Warley continua jogando pelo Botafogo, mas fora dos gramados, contribuindo da melhor maneira. O nosso W9 se mantém presente buscando sempre melhorias para o nosso clube.

Obrigado por tudo, Warley!

A torcida do mais Belo e Glorioso sempre terá você como maior ídolo!

Por amor ao Botafogo,
Gabriela F Costa