O CAMPEÃO VOLTOU!

Foto: Globo Esporte 

Tudo e todos se dirigem para o mesmo fim: tudo vem do pó e tudo retorna ao pó. ( Eclesiastes 3:20)

Hoje o dia amanheceu nublado, o sol se escondeu, ele não teve motivos para brilhar, a chuva desceu, ou seriam lágrimas do céu? O céu chorou em Chapecó, o Brasil e o mundo choraram por Chapecó.

O silêncio pairou no ar, afinal, não existe melhor palavra do que o próprio silêncio. Abraços, lágrimas, olhares perdidos, uns procurando nos braços dos outros, o consolo para essa dor.

De repente, no horizonte do aeroporto da pequena cidade localizada no oeste de Santa Catarina, aponta o primeiro avião das Forças Aéreas Brasileira (FAB). Eram nossos heróis, o campeão voltou!

Era nosso primeiro contato com a tragédia, olhares apostos, eles chegaram. Foram recepcionados por uma chuva imensa, era uma forma do céu homenagear os nossos guerreiros. Também foram recebidos pela família, amigos e o presidente Michael Temer. O primeiro caixão a deixar o avião foi do atacante Thiaguinho, na sequência, foram retirados os outros. Depois houve cortejo aberto até o estádio.

Na Arena Condá, o público já estava preparado, crianças, idosos, adultos, todos queriam deixar o seu último adeus aos bravos guerreiros. Uma celebração de paz, amor, união. Nas arquibancadas, torcidas rivais, como Galocura, Máfia Azul, Torcida Jovem do Santos, Mancha Verde, Gaviões da Fiel, entre outras, Juntas! Somente a Chapecoense conseguiu esse feito. A Chape é gigante!

No campo, as famílias esperavam ansiosamente pela chegada deles, esperaram por quase uma semana para dar o último adeus. Dona Alaíde, mãe do goleiro Danilo, passeou pelo campo consolando a torcida. Que mulher guerreira! No momento de sua mais profunda dor, encontrou forças para consolar o próximo. Somente um coração de mãe é capaz de fazer esse gesto de amor.

Nunca pensei que em um campo de futebol o time entraria dentro de um caixão, essa sem dúvidas foi a pior escolha tática do destino.

Aos nossos bravos guerreiros que conquistaram o céu os nossos mais sinceros: Descansem em paz! E obrigado por tudo que ensinaram. Ensinaram o que é o amor, ensinaram o que é união! Não vieram com uma estrela no peito, mas viraram estrelas no céu. Vocês brilham!

Às famílias: Que Deus posso dar o melhor conforto aos seus corações. Aos torcedores: Vamos seguir juntos, a Chapecoense não acaba aqui!

"Que escutem em todo o continente sempre recordaremos o campeão Chapecoense".

Carla Sobrinho