O castigo da injustiça

Noite fria de sábado, os nervos à flor da pele e pouco mais de 12 mil pessoas no Morumbi para apoiar o São Paulo contra o Atlético Paranaense pela 7ª rodada do Campeonato Brasileiro, em busca dos 3 pontos. Todos sabiam que o jogo não seria fácil, afinal os obstáculos não eram poucos.

(Imagem: globoesporte.com)

Além dos desfalques certos, o Tricolor que já estava escalado, teve uma baixa importantíssima. Jonathan Calleri, que comporia o ataque, recebeu a notícia da morte de seu melhor amigo na Argentina, e saiu chorando do estádio.

Assim, Bauza precisou fazer a troca do camisa 12, e o substituiu por Alan Kardec, pois as opções ultimamente têm estado escassas.

O São Paulo iniciou a partida com Denis; Bruno, Lugano, Maicon e Matheus Reis; Thiago Mendes, João Schmidt e Ytalo; Kelvin, Centurión e Alan Kardec, e a equipe dominou as jogadas durante todo o primeiro tempo e boa parte do segundo.

Logo no início, Maicon numa cobrança de falta, mandou a bola no travessão de Weverton. Minutos depois, Ytalo chutou cruzado e mandou a bola para fora. Muitos passes, domínio e finalizações, num jogo bom e pegado.

A noite estava fria, mas o jogo era quente e o Tricolor parecia estar disposto a vencer em sua casa, palco onde o Furacão não vencia há 33 anos.

Os anfitriões tanto tentaram, que acabaram abrindo o placar aos 40  Kelvin bateu escanteio, e Maicon (o querido da torcida e grande capitão) cabeceou para o fundo do gol. São Paulo 1 a 0, e resultado justo por todo o futebol da equipe paulista apresentado até então na partida.

(Imagem: globoesporte.com)

Na etapa complementar, Autuori viu que faltava algo em sua equipe, talvez mais ofensividade, e fez duas alterações nos 10 minutos iniciais, promovendo Nikão e Walter. O time rubro negro melhorou um pouco na criação, mas eram os comandados de Patón que continuavam dominando as jogadas, com algumas bolas na trave.

Só que como o Tricolor bem sabe, “quem não faz, leva”, “a bola pune”, “o futebol é injusto e te castiga”...

Aos 20 minutos, Otávio empatou o jogo após Léo cruzar para dentro da área.

(Imagem: globoesporte.com)

Edgardo Bauza fez duas substituições aos 26 e 27. Lucas Fernandes entrou no lugar de Ytalo, e Kelvin pediu para ser substituído, dando sua vaga para Luiz Araújo.

Com o empate, o Atlético Paranaense conseguiu equilibrar a partida, criando mais oportunidades para tentar ampliar o placar, o que aconteceu nos minutos finais, aos 42, após Nikão cobrar escanteio e Hernani, que entrou momentos antes, mandar para a rede do goleiro Denis, de cabeça.

Um 2x1 injusto para os jogadores, e principalmente para os torcedores, que saíram de suas casas numa noite fria e congelante para acompanharem seu time de coração, vê-lo jogar bem e ser melhor em campo, mas simplesmente sair derrotado. Literalmente, “o castigo da injustiça”...

O árbitro Anderson Daronco distribuiu 3 cartões amarelos, sendo um para Bruno, do São Paulo, e dois para Sidcley e Otávio, do Furacão.

O próximo desafio do Tricolor será na quarta-feira (15), às 19h30 (BSB), no Morumbi contra o Vitória. Com tantos problemas para serem resolvidos e com tantos desfalques, Bauza precisará manter-se firme em suas convicções e buscar vencer em seus domínios, para continuar na cola dos líderes e brigar na parte de cima da tabela.

Vamos São Paulo, pois #JUNTOSSOMOSMAISFORTES!

Renata Chagas