O "Clássico da Saudade" está completando 100 anos de muitas lembranças e emoções! Mas a superioridade histórica e o recente título da Copa do Brasil, não podem ser os únicos a entrar em campo hoje.

O Palmeiras tem a missão de vencer o Santos em casa e se consolidar no Paulistão.

(Imagem/Palmeiras Site Oficial)

O confronto entre Palmeiras e Santos, no Campeonato Paulista, está completando cem anos, o "Clássico da Saudade", como é conhecido,  tem muita história para contar.

Os dois times iniciaram na competição em 1916, quando o Palmeiras venceu o adversário por 4x2, na Chácara da Floresta, estádio paulista onde o time jogou antes da inauguração do Palestra Itália.

No primeiro jogo disputado, no já inaugurado Parque Antártica, em 1921, o Palmeiras imprimiu o placar inacreditável de 6x1, uma goleada histórica.

O saldo de jogos disputados em casa desde então, é largamente favorável ao Verdão, foram 39 jogos, em duelos válidos pelo torneio estadual. Sendo 23 vitórias, 8 empates e apenas 8 derrotas. E se contabilizarmos todos os duelos no Paulista, dentro e fora de casa, a vantagem continua sendo alviverde: em 184 jogos, são 90 vitórias, 41 empates e apenas 53 derrotas.

Um registro glorioso, que traz muito orgulho ao clube e à sua torcida.

No futebol, a história de um clube é muito importante, pois fala em nome de identidade e consolidação de sua grandeza, mas não pode ser o jogador principal a entrar em campo. O futebol é feito também do presente, do momento atual. O aqui e agora do campo, tem a responsabilidade de honrar essa história, colocando todo o talento em jogo, para que o passado de glórias, seja evocado.

Não é tarefa fácil. Mas o futebol precisa do frescor da modernidade como combustível vital.

É essa a missão que os jogadores do Palmeiras tem hoje à tarde, na partida válida pela quinta rodada do paulistão, no Allianz Parque. O time, que mostrou um desempenho razoável nos primeiros jogos da competição, precisa ganhar para se cosolidar como primeiro de seu grupo e mostrar à torcida, a garra que sido tão cobrada.

Foi pensando nisso, que o técnico Marcelo Oliveira, não poupou os titulares e usará força máxima contra o rival praiano. O único jogador que não poderá atuar hoje, é Robinho, pendurado com dois cartões amarelos. E o grande desfalque será o atacante Lucas Barrios, que apresentou uma distensão muscular no treino tático de ontem.

O jogadores do Verdão sabem que o reencontro com o Santos, tem cheiro de revanche, já que o mais recente título conquistado, a Copa do Brasil, foi justamente em cima do adversário dessa tarde. Será mais um fator importante que precisará ser administrado dentro do campo. Por esse motivo, o Santos irá à capital, também com o seu time completo e promete um jogo ofensivo.

Os vinte e um jogadores escalados são, os goleiros: Fernando Prass e Vagner; os laterais: Egídio, Lucas e Zé Roberto; os zagueiros: Roger Carvalho, Thiago Martins e Vitor Hugo; os volantes: Arouca, Jean, Matheus Sales e Thiago Santos; os meias: Allione, Robinho e Régis; e os atacantes: Alecsandro, Cristaldo, Dudu, Erik, Gabriel Jesus e Rafael Marques.

Mais uma vez, os ingressos foram esgotados com antecedência e a torcida do Verdão lotará a sua casa, levando o apoio incondicional de sempre.

O torcedor apaixonado deseja que nessa tarde centenária, em que se celebra a história e a tradição do futebol paulista, todas as glórias conquistadas no passado, pairem sob o solo sagrado do campo e que o peso da camisa Alviverde, imponha a sua força.

Mas deseja também o presente. O futebol tem que ser sempre presente. E que presente! Uma emoção que faz o coração bater mais forte cada vez que os onze escolhidos para defender as nossas cores, entram em campo.

Que cada jogador saiba que carrega o privilégio de pertencer a essa história de lutas e glórias. E ostente a sua fibra.

Forza Palestra!

Alê Moitas.