O derby do tudo ou nada

O Timão tem mais um desafio pela frente na tarde desse sábado: Recebe seu rival verde em Itaquera, protagonizando o segundo Derby Paulista da história com torcida única. A Fiel comparecerá em peso, prometendo ser o elemento principal para botar pressão no adversário, já que o time na atual situação não assusta tanto.

O empate com o Coritiba na última quarta-feira ainda não foi completamente digerido pelos torcedores alvinegros que pediram incessantemente a saída de Cristóvão Borges em protestos nas redes sociais, principalmente após Roger Machado (muito pedido pela torcida no período entre a saída de Tite e a contratação de Cristóvão) ter anunciado seu pedido de demissão junto ao Grêmio. A diretoria, porém, anunciou que pretende manter o treinador no cargo pelo menos até o fim do ano. Diretoria cada vez mais omissa, treinador decorativo, jogadores que antes eram o principal problema e agora são mero detalhe, tudo caminhando cada vez mais rumo ao caos.

Cristóvão comanda último treino antes do clássico (Daniel Augusto Jr/Agencia Corinthians)

Nesta sexta-feira pela manhã, o técnico comandou um treino pouco esclarecedor. Sem Vilson, que ficou na academia fazendo fortalecimento muscular, Uendel, poupado por sentir dores após a ultima partida e Fagner, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, os substitutos foram respectivamente, Yago, Guilherme Arana e Léo Principe.

A provável escalação então vem com Cássio, Léo Príncipe, Vilson (Yago), Balbuena e Uendel (Guilherme Arana); Cristian; Marlone, Camacho, Rodriguinho e Lucca; Gustavo.

A arbitragem fica por conta de Heber Roberto Lopes, auxiliado por Kleber Lucio Gil e Carlos Berkenbrock.

Além disso, ainda temos grandes chances de terminarmos a partida desfalcados, já que a lista de jogadores pendurados é extensa e composta por Vilson, Guilherme, Uendel, Pedro Henrique, Rodriguinho, Romero e Giovanni Augusto.

A coisa ta feia pro Timão. Se Cristóvão não mudar a postura na beira de campo e os jogadores não darem a vida por esse jogo, as chances de uma catástrofe acontecer em Itaquera são enormes. Vencer o rival é mais do que obrigação, pela honra e pela atual situação do time. Não dá mais pra entrar em campo deixando tudo a Deus dará. Corinthians é o time que luta até o final e esgota todas as suas possibilidades. Corinthians é raça, é luta e jamais omissão.

Vai, Corinthians!

Por Victória Monteiro, maloqueira e sofredora, graças a Deus!