O Flamengo não soube aproveitar a festa no Maracanã

Foto: Rodrigo Coca/Flamengo

Mais de 60 mil pessoas no Maracanã. Flamengo voltando ao estádio após um ano transitando por diversos estádios e estados. Mosaicos, faixas, cânticos. A festa estava pronta para o Flamengo, que luta pelo título do Campeonato Brasileiro e estava a quatro pontos do líder Palmeiras. Mas o Flamengo, mais uma vez, conseguiu a incrível proeza de se atrapalhar perante a sua torcida. Empatou com o Corinthians em 2 a 2 e viu o Palmeiras abrir seis pontos de vantagem faltando cinco jogos e volta a sentir o “bafo” do Atlético Mineiro no seu cangote, após eles vencerem e chegarem aos 59 pontos, dois a menos que o time carioca.

O clima era de festa no Maraca, o adversário era o Corinthians, que não faz a melhor campanha no Brasileiro, mas era um jogo arriscado. Um clássico. Os mais otimistas apostavam em vitória fácil, mas a cabeça, sinceramente, só lembrava dos feitos do Flamengo no mesmo Maracanã. Sete de maio de 2008. O Flamengo é eliminado da Libertadores ao ser derrotado pelo América do México por 3 a 0, no Maracanã, diante de 50 mil torcedores. Quatro anos antes, só que no dia 30 de junho, o Flamengo perdeu o título da Copa do Brasil para o Santo André diante de 70 mil torcedores. No Maracanã! Perdoem o pessimismo, mas não dava para ignorar essa sina do Flamengo. E quase a história se repete mais uma vez.

O time entrou desligado. Se posicionava mal. A dupla de zaga, que por muitas vezes demonstrou entrosamento, estava em um dia que ninguém se entendia, mas mesmo assim tentava tomar a iniciativa das jogadas. Chegou a ter um gol anulado marcando impedimento de Paolo Guerrero. No minuto seguinte, o Corinthians conseguiu colocar a bola no chão, armou uma jogada com Romero e Guilherme, que abriu o placar. A partir daí os visitantes assumiram o controle do jogo. Compactou a marcação e esperava o Flamengo para tentar um contra-ataque.

O gol de empate do Flamengo veio aos 14 minutos quando Paolo Guerrero, após cobrança de escanteio de Diego, cabeceou a bola para o gol. Guerrero estava impedido assim como no lance do início do jogo, mas desta vez, a arbitragem validou o gol.

Mesmo com o empate, o Corinthians manteve duas linhas de quatro bem compactadas, criando dificuldades ao Flamengo, que teve maior posse de bola no primeiro tempo, mas não conseguia levar muito perigo ao gol adversário. E se o Flamengo não ameaçava, os visitantes trataram de usar a objetividade. Voltaram à frente do placar aos 42 minutos.

No segundo tempo, Zé Ricardo tirou Mancuello e colocou Fernandinho. Com a substituição, o Flamengo passou a ser mais agressivo e pressionar mais o Corinthians. As investidas deram certo aos 13 minutos quando após cruzamento na área, Walter rebateu a bola e Guerrero empurrou para o fundo das redes.

O gol de empate animou o Flamengo que empurrado pela torcida passou a pressionar, mas a bola ou parava na zaga corinthiana, ou nas mãos de Walter. Aos 31 minutos, o Flamengo passou a ter um jogador a mais, após expulsão de Guilherme. As duas equipes passaram a buscar a vitória e com isso, o jogo ficou movimentado. Lá e cá. Nos últimos minutos o Flamengo cresceu no jogo, mas Walter fez boas defesas impedindo a vitória rubro-negra.

O Flamengo saiu com o empate, pontuou, mas é muito pouco para um time que está em busca do título. Foram quatro pontos em nove disputados. O coração rubro-negro ainda não deixou de acreditar ,mesmo que tenha ficado mais difícil, mas é necessário dar muito mais dentro de campo se o time deseja ser campeão. Tá difícil, mas não é impossível.

 

Por Camila Leonel

Curta Blog Mulheres em Campo