O futebol e a carisma de Robinho se encaixaram perfeitamente no Atlético.

E naquele 11 de fevereiro, após ler o tweet do então presidente do Galo, Daniel Nepocumeno, que Robinho seria o nosso mais novo reforço, sou incapaz de descrever o que eu senti naquele exato momento. Afinal, sempre gostei deste jogador e queria vê-lo no meu time, mas achava aquele sonho impossível em função de toda sua história até então com Santos.

Mas parece que a maioria das coisas são possíveis na vida não é mesmo? Pelo o menos acho que para o atleticano e no mundo futebolístico, o impossível não está presente no dicionário.

Robinho resolveu trocar São Paulo, ou melhor, a Baixada Santista, as praias e até mesmo o time onde virou ídolo de uma nação e deixou seu legado, para então vir para a amada Minas Gerais, conviver com o nosso “uai”, desfrutar da nossa culinária que, modéstia à parte, é uma das melhores do país e, o melhor de tudo, veio para o time cuja a torcida é a mais louca e alucinada. Para alegria dos atleticanos, acredito que para aqueles que, assim como eu, já gostavam do futebol desse craque, vê-lo com a camisa do Atlético faz o coração bater até mais forte.

De início Robinho veio com muitos dizendo que esse seria o fim da carreira dele, que ele não renderia nada e que, se rendesse, só jogaria bola mesmo no Campeonato Estadual.

FOTO: esportes.terra.com.br

Bom, assim como imaginava, quando eu lia ou ouvia alguém falando isso, ele de certa forma ouvia também. E, torcendo para isso, ele se tornou o nosso artilheiro, veio para quebrar, quem sabe, até tabus, mas principalmente calar a boca de quem disse que ele não renderia nada.

Se ser artilheiro do time é sinônimo de não jogar nada, bom, Robinho, você tem o aval para continuar não “arrumando nada” por aqui.

Eu não sei bem como irá terminar a passagem do Robinho pelo Galo, mas ele já tem o imenso carinho da torcida. Até mesmo quem desaprovou a vinda dele, hoje também se enlouquece e vibra com suas pedaladas e gols. Espero que ele por aqui, juntamente com os demais companheiros de time, leve o time a ganhar mais títulos. E, assim como aqueles desacreditados, como Ronaldinho Gaúcho, que calou a boca dos críticos e escreveu seu nome na história o Clube, que Robinho também mostre a que veio e faça ainda mais.

Por Eduarda Moreira

Curta Blog Mulheres em Campo