O GRE-NAL QUE TROUXE UM PREJUÍZO MUITO MAIOR DO QUE OS 6 PONTOS QUE VALIA

Que o Gre-nal 409 seria intenso todos sabiam. O fato de valer por duas competições, o retorno do clássico para a Arena depois do histórico 5 a 0, o embalo gremista pela vitória de 4 a 0 sobre a LDU na semana anterior, enfim, o cenário desenhava-se para um típico confronto Gre-nal. Entretanto (e infelizmente), os destaques desse jogo passaram longe de jogadas bem trabalhadas, ataques fulminantes ou defesas espetaculares. A postura agressiva das duas equipes, combinada com o sistema de marcação forte de ambas, pouco deixaram o jogo fluir.
 
Logo no primeiro minuto de jogo, os laterais Wesley (GRE) e Artur (INT) trombaram em uma disputa dura pela bola. Há quem diga nesse momento Anderson Daronco, juiz do clássico, já deveria ter amarelado ambos os atletas. Talvez essa atitude evitasse que o descontrole dos dois lados aumentasse ao longo da partida. O Grêmio era melhor no início da primeira etapa, tinha liberdade para trabalhar a bola pelo meio campo e chegar ao ataque. Porém, a linha de defesa colorada fez com que as tentativas de finalização do Tricolor fossem feitas de fora da área. O Inter começou a mostrar reações e atacar na segunda metade do primeiro tempo, mas também não teve êxito em suas finalizações.
 
Realmente, o futebol foi coadjuvante. Faltas duras eram cometidas pelas duas equipes e, por diversas vezes, o jogo foi paralisado. Na volta do intervalo, muitos torcedores foram surpreendidos pela substituição feita no Grêmio. Henrique Almeida entrou na etapa complementar no lugar de Miller Bolaños. Mas o que mais surpreendeu foi a informação que logo foi divulgada: o equatoriano estava a caminho do hospital com suspeita de fratura na mandíbula.
 
Fonte: Divulgação Grêmio FBPA
 
A lesão foi decorrência do choque entre Miller e William, aos 3 minutos do primeiro tempo. No lance, o lateral colorado atingiu o jogador gremista com o cotovelo na altura do queixo. Intencional ou não, o resultado da jogada é uma cirurgia agendada para quarta-feira e afastamento de 30 a 40 dias. Isso praticamente tira Bolaños dos principais jogos do Grêmio na fase de grupos da Libertadores.
 
A fratura de Miller fica como símbolo do jogo que aconteceu na Arena do Grêmio no início da noite de domingo (06/03). No decorrer do segundo tempo, mais faltas de ambos os lados se repetiram de forma significativa. Um exemplo foi o fato de o zagueiro colorado Paulão ser expulso após sofrer falta de Henrique Almeida e revidar com um chute mesmo com o jogo já paralisado.
 
No que diz respeito a jogadas, pode-se dizer que o momento com chance de gols mais evidente no jogo aconteceu aos 24 minutos. Luan recebeu passe de Giuliano dentro da pequena área de ataque gremista. O camisa 7 Tricolor desviou o chute de Alisson, mas acabou acertando o travessão. Na sequencia, o Inter embalou em um contra ataque com jogada de Sasha e Vitinho, que só não marcou graças ao zagueiro Tricolor Geromel, que salvou na linha do gol.
 
Foi pouco em termos de jogo para os mais de 48 mil torcedores que compareceram à casa do Tricolor e quebraram o recorde de público em jogos oficiais da Arena. O empate em 0 a 0 fez com que a dupla Gre-nal permanecesse nas mesmas posições no Campeonato Gaúcho: Grêmio e 3º lugar com 16 pontos e Inter em 5º com 15. Já pela Primeira Liga, o colorado garantiu vaga nas semifinais como primeiro do Grupo B. O Tricolor, com mesma pontuação, mas menos saldo de gols, fica dependendo de resultados paralelos para continuar na competição. 
 
 
Fonte: Site ducker.com.br
 
O Grêmio volta a campo na próxima quarta-feira (09/02) em casa, em partida contra o San Lorenzo, válida pela Libertadores. A expectativa é que mais uma vez o torcedor gremista compareça em número expressivo para apoiar o time. Mesmo sem Bolaños, o que se espera é que o Tricolor Gaúcho consiga desenvolver um futebol muito bom, como fez na última semana. Infelizmente, fica o prejuízo de um Gre-nal que, além de pouco futebol, acabou em um desfalque muito maior que os 6 pontos que estavam em questão.
 
Cintia Menzomo