O gringo que conquistou o Brasil

 

 

Foto: Marcelo Regua / Agência O Dia

 

Eis que no dia 10 de setembro de 1972, na pacata cidade de Majdanpek, na Sérvia nascia aquele que seria idolatrado e amado por milhões de Rubro-negros: Dejan Petkovic.

Seguindo os passos do pai Dobrivoje e do irmão mais velho, Boban, que também foram jogadores de futebol,  Petkovic mudou-se para Nis, visando as categorias de base do clube Radnicki Nis. Com muito talento e personalidade tornou-se o mais novo jogador da história iugoslava a atuar em partida oficial, precisamente no dia 25 de setembro aos 16 anos,  em vitória por 4 a 0 sobre o Zeljeznicar Sarajevo, da Bósnia.

Pelo seu físico robusto e sempre encarando todos os jogos com muita seriedade foi apelidado de Rambo, em alusão ao personagem de Sylvester Stallone. Com tamanho talento o jovem sérvio despertou o interesse do grande clube da capital, o poderoso Estrela Vermelha de Belgrado e recém campeão da Copa dos Campeões da UEFA. Atuou no clube de 1991 a 1995.

Foto: estrela vermelha reprodução

 

Na primeira temporada foi campeão iugoslavo e também da Copa Intercontinental,  porém Petkovic ainda não jogava o futebol fino que nos acostumamos a vê-lo jogar. Até que na temporada 1994/95 com o agravamento da guerra civil na Iugoslávia vários jogadores foram para o exterior,  com isso Petkovic ganhou mais espaço no time e claro não desperdiçou. Foi destaque na posição de meio-campo, o único campeão a jogar 36 rodadas,  tornando-se, o jogador crucial para a conquista da Copa Iugoslava.

Consequentemente após excelente temporada Petkovic despertou o interesse do grandioso Real Madrid,  chegando como promessa europeia.

 

Foto: thayanblogspot

 

Entretanto não foi isso que aconteceu, burocracias impressas pelo Estrela atrapalharam o craque e sanções da Fifa (Impostos devida guerra civil no país), o que acabou por atrasar a estreia do jogador pelo time merengue.

No clube espanhol atuou entre 1995 a 1996, mas não teve espaço no time principal. Foi emprestado ao Sevilha e ao Racing, ambos clubes da Espanha,  até que em 1997 voltou para a equipe da capital. Na sua volta não foi diferente com muitos craques no time principal Petkovic acabou por jogar no chamado time B, formado por reservas.  Até que em um jogo amistoso entre o time B do Real Madrid e o clube brasileiro o Vitória,  surge a proposta do Sérvio vir jogar no time baiano.

 

foto: ecveternamente

 

O mais brasileiro dos sérvios

Convite aceito ! Petkovic começava sua carreira no Brasil e logo no início foi apelidado de Pet, ficando mais fácil a pronúncia e facilitando o eco nos estádios.

Conquistas como, uma Copa Nordeste e dois títulos baianos tornaram o sérvio um dos maiores jogadores do clube. No Brasileirão de 1998, veio a consagração nacional: 14 gols em 21 partidas, destacando-se com seu jeito clássico de jogar.

Com sua maestria nos gramados, Pet despertou interesse de times como  o São Paulo,  e foi considerado pelos críticos da época, o favorito a vencer a Bola de Ouro, porém não ficou nem entre os finalistas. Fora elogiado até por Paulo Roberto Falcão.

 

  " É um jogador de rara habilidade, veloz e de muita visão de jogo."- disse Falcão

 

Em 1999, Pet foi artilheiro da Copa do Brasil ao lado de Romário,  mesmo com o Vitória sendo eliminado nas oitavas de final. Com destaque no Brasil o sérvio foi contratado pelo Venezia, da Itália para a temporada 1999-2000.

 

O Retorno para a consagração em um milagre

 

Novamente sem espaço na Europa Pet retorna ao Brasil no início de 2000, desta vez no Rubro-negro carioca.

 

foto: globoesporte

 

Com a Mercosul recém conquistada o Flamengo pôde investir no futebol do sérvio. Bicampeão Carioca sobre o Vasco que havia contratado Romário, dispensado pelo Flamengo por condutas inadequadas, porém sem muita participação de Pet.

No primeiro semestre de clube, 2001, Pet viveu o seu melhor momento da carreira, conquistou dois títulos estaduais e um nacional. Destacou-se em suas cobranças de faltas, sendo que duas delas foram decisivas em finais daquele ano, uma contra o Vasco (Campeonato Carioca) e a outra diante do São Paulo (Copa dos Campeões).

A cobrança de falta lembrada até os dias de hoje é tida como um dos jogos mais emocionantes da história do clássico.

O Flamengo embora só precisa-se do empate, perdia por 2 a 1. Até que aos 43 minutos do segundo tempo, falta na entrada da área,  especialidade de Pet, cobrança perfeita, sem chance para o goleiro cruzmaltino, gol de Pet, gol do Flamengo.

 

foto: livroanação

 

Pet jogou ainda no próprio Vasco onde seria Campeão Carioca; pelo Al-Ittihad da Arábia, e também no Fluminense 2005/2006, no Santos, no Goiás em 2007 e no Atlético-MG em 2008. Em 2009 retornou ao Flamengo, para ser um dos personagens da conquista do Brasileirão.  

Em jogo emocionante no Maracanã lotado, última rodada do Campeonato, o placar insistia no empate até que em um escanteio perfeito cobrado por Pet, Ronaldo Angelin cabeceá, 2x1, era a consagração do Hexa campeonato do Clube de Regatas do Flamengo. Torcedores em êxtase, Pet exaltado.

 

 

 

A despedida dos gramados

 

Após meses sem jogar pelo Flamengo e com problemas internos como o caso do goleiro Bruno e Adriano,  Pet decidiu pendurar as chuteiras, e no dia 5 de junho em partida contra o Corinthians, fez sua despedia do futebol.

Casa cheia, Engenhão lotado, mas de 30 mil rubro-negros para ver pela última vez a maestria do sérvio mais querido do futebol brasileiro. No intervalo do jogo recebeu uma placa comemorativa da presidente do clube Patrícia Amorim e deu a volta olímpica,  ovacionado pela torcida.

 

foto:extraoglobo

 

Atualmente Pet é técnico do Sampaio Corrêa. Pet não só jogou, encantou, brilhou,  emocionou. Quem diria, esse sérvio tímido, e sem muito gingando seria tão amado e crucial para a história do nosso Rubro-negro. Prazer de vê-lo jogar, com muita técnica,  versatilidade, humildade, raça e o principal muito respeito a todas as camisas que vestiu,  principalmente o manto Rubro Negro. Obrigada e Obrigada.

"Não aprendi o português suficiente para descrever a torcida do Flamengo."

 

por Ingrid Souza