"O MAR NÃO ESTÁ PRA PEIXE!"

 

Um clássico que poderia dar um gás a mais na equipe santista, caso saísse com a vitória. Porém, a vitória não veio e o que vimos dentro de campo ontem superou minhas expectativas.

Dorival fechou os treinamentos durante a semana a fim de fazer mudanças e surpreender o adversário. Mudanças... Era o que a torcida mais pedia para o treinador, e ela veio.

Na divulgação da escalação oficial, uma surpresa bem estranha: o time jogaria sem atacantes de ofício. 

Mas, e o famoso DNA ofensivo santista? Onde está?

Cheio de meio campistas, estava claro que a intenção para aquele jogo era de pelo menos arrancar um empate, com o time mais recuado e na espera de contra-ataques. Mas, bastava saber se aquela "loucura" ou o que poderíamos chamar de "ousadia" daria certo. E deu certo, em partes.

Se por um lado o time corinthiano ficava preso na marcação santista, por outro lado o time santista não criava chances de perigo, muito pelo contrário, em muitos momentos parecia até que a bola estava chegando quente para os jogadores, pois os erros de passes foram inúmeros! Sem contar que não havia nenhum jogador de velocidade para chegar com perigo até o gol do goleiro Walter que praticamente assistiu de camarote o jogo inteiro, sem precisar trabalhar muito.

Nos dias que antecederam o clássico, muitos apostavam que o Santos seria goleado. Confesso que a colunista que aqui vos fala também não estava lá muito confiante para esta partida. Porém, eu queria apenas que quem entrasse vestindo o manto santista jogasse com vontade, com raça. Que fizesse o mínimo: JOGAR BOLA.

Conseguimos segurar o jogo durante todo o primeiro tempo e o mérito disso em grande parte é de Vanderlei, que salvou a equipe em diversos momentos. Passar os 45 minutos iniciais de um clássico contra o Corinthians que vive em melhor momento, na casa deles e ainda com torcida única já era lucro. E que permanecesse assim durante a etapa complementar. MAS NÃO DEU!

No segundo tempo, Dorival começou, enfim, a dar uma cara mais ofensiva ao time santista, mas não mudou muita coisa, a equipe continuava recuada.

Parecia que a partida terminaria em um 0x0, o que para o Santos, na atuação situação, seria um belo resultado. Mas, em falha da zaga do time santista, aos 36 minutos, Giovanni Augusto marcou para a equipe corinthiana. E o jogo terminou assim, longe de ser um grande espetáculo que estamos sempre acostumados a ver entre as duas equipes. 

Agora, começam os questionamentos, as cobranças... Dorival seria então o maior culpado? Não, não é. Dorival desde que chegou tenta fazer milagre! Pediram para que ele fizesse mudanças, ele fez, testou algo diferente com o que tinha. E infelizmente, o que temos em mãos não é algo tão bom assim. Mas ele tentou.

Caso a iniciativa desse certo, muitos o chamariam de gênio. Agora pensem, será que talvez vocês não fariam o mesmo se estivessem nessa situação?

Agora é momento de erguer a cabeça e seguir em frente, afinal, domingo tem mais um desafio. Enfrentando o Botafogo no Pacaembu, o Santos terá a chance de começar a se recuperar e voltar a vencer após 3 jogos.

"Seja qual for a sua sorte, de vencido ou vencedor."

Carolina Ribeiro