O MESMO DE SEMPRE

 

Ontem (18) foi o último jogo em casa de portões fechados. Na véspera a torcida rubro-negra fez uma festa e lotou o treino aberto no Maracanã. A festa da Nação parecia ter dado aquela injeção de ânimo na equipe, e o início do jogo mostrou que estava tudo indo bem. Estava, pois como sempre esse elenco não consegue emplacar um jogo que parecia tranquilo, nem em campeonato algum. Chega a dá calafrios em pensar que ter estrutura, um baita time, organização financeira e todas as coisas boas que agora temos, não adianta de nada. Sim, isso nos faz querer ter aquela confusão extracampo, mas que não deixava nada a desejar dentro dele. A verdade é que o problema não é o treinador, nem a mudança dele, e sim essa equipe apática, que não entende o valor dessa camisa que eles vestem. Não entendem o peso que o décimo segundo jogador, que nesse caso são milhões, confiam a eles. Isso aqui é Flamengo, só que eles não compreendem.

 

Lá vamos nós tentar explicar o que houve:

 

(Fonte: site oficial do Flamengo)

 

No primeiro tempo o rubro-negro começou administrando bem, já com chance clara com Diego e Dourado abrindo o placar de cabeça aos 11. O sufoco era tanto que o Santa Fe mal passava do meio campo. Mas, conforme as chances eram perdidas pelo lado carioca e diminuindo o ritmo, os visitantes acharam uma chance num erro do camisa 10 do Flamengo, e arrancou um empate com Morelo aos 30 minutos, na primeira etapa.

 

(Fonte: André Durão/Globoesporte.com)

 

Já no final dela e no próprio segundo tempo, mais se viu um time apático em campo, que não teve garra de ir atrás do prejuízo. Poderia ter sido pior, já que os adversário tiveram algumas chances, mas se pensarmos que na primeira oportunidade, eles conseguiram balançar a rede, ficamos bem. Porém com certeza poderia ter sido bem melhor, se não tivessem perdido tantas chances, além de que o goleiro Zapata falhou diversas vezes.

 

Mais uma vez, a falta da torcida bateu forte, apesar que, infelizmente, talvez ela não tivesse feito diferença. Mais uma vez faltou inspiração, faltou criatividade, faltou alma vermelha e preta naquele campo verde. Mais uma vez faltou paixão pela camisa, pelo clube e pela Nação. E mais uma vez faltou a ambição de buscar com todas as forças esse título que os torcedores tanto sonham.

 

De novo, o Clube de Regatas do Flamengo faz mais uma campanha vergonhosa na Libertadores. Agora é o segundo turno da fase de grupo, onde teremos que buscar vitórias fora de casa. Sim, já conseguimos uma, por enquanto a única. Ainda dá, porém precisaremos que vencer mais gigantes do que necessário. Então vai com emoção mesmo, porque mesmo que não mereçam a torcida que tem, a Nação jamais vai abandonar essa instituição!

 

O próximo confronto no torneio será na próxima quarta, contra o próprio Santa Fe, só que na casa deles. Será jogo decisivo, para manter a liderança e quem sabe o outro confronto do grupo também termina em empate, e nos ajuda. Entretanto, devemos fazer o nosso, e ainda temos mais um jogo em casa com a nação de volta. Espero que dêem a vida por nós, como damos por eles. E ainda tem segunda rodada do Brasileiro, no Maracanã contra o América-MG, no sábado, que já começamos mal.

 

É não está fácil a vida dos rubro-negros! A gente acredita, porque somos coração, então vamos. E que esses caras que estão ali nos representando mostrem de verdade quem o Flamengo é!