O mistério da escalação

 

 

Era o jogo do ano: Lotação máxima, rivalidade declarada, um sábado marcando 28 graus. Diante de tal momento do Inter, o xavante tinha tudo para quebrar o jejum sem vitórias contra o adversário da capital. Como falei: TINHA. Até que saiu a escalação do RZ.

 

 

unnamed.jpg

Na tarde de sábado, lotação máxima no Bento Freitas

Foto: Carlos Insaurriaga e Jonathan Silva

 

 

Na tarde de sábado (24), o Brasil recebeu em casa o Internacional, em jogo válido pela 10º rodada da Série B do Brasileiro. O rubro negro acabou perdendo pelo placar de 1x0, com gol marcado por Fabiano, aos 38 minutos da etapa inicial.

 

 

PRIMEIRO TEMPO:

Pitol, com defesas incríveis, logo nos primeiros minutos da partida mostrou que o lugar até então ocupado por Eduardo Martini, estava muito bem representado. Com chegadas fortes da equipe de Porto Alegre, nosso goleiro vestiu – literalmente – a camisa rubro negra. Sasha e D’Alessandro fizeram o camisa 1 trabalhar. Aos 30, Sasha recebeu de Dourado e mandou na direção do gol, mas o goleiro defendeu. O Brasil tentou aos 35, com cobrança de falta pelos pés de Itaqui, mas Danilo Fernandes estava no caminho para intervir. Quem não faz, leva. A regra é clara! Então aos 38, o Inter abriu o placar, após Fabinho receber de D’Alessandro e mandar cruzado por baixo.

 

 

SEGUNDO TEMPO:

Logo aos 6, após Marcinho ser derrubado por Fabinho, a falta foi marcada. Itaqui cobrou mas parou na barreira. Rogério tentou mudar, trocou Nem por Juninho. E aos 24, após cobrança de escanteio, Lincom fez a bola raspar a trave de Danilo Fernandes. E ali era a chance mais clara de gol Xavante. A torcida da Baixada sem entender tal escalação, se entristecia e se revoltava. Se já não bastasse, nos acréscimos, Pitol evitou o que seria o segundo gol da equipe visitante, pelos pés de Uendel.

 

 

RESENHA:

Se alguém entendeu, pode me explicar. Mesmo com algumas lesões, meu técnico deixou peças importantes no banco. Sou imensamente grata por tudo que alguns jogadores já fizeram pelo Brasil. Foram importantes até o acesso para a Série B. Mas sabedoria é parar na hora certa, ou então, o Rogério saber tirar. Cirilo não é jogador de Série B. Leandro Leite teve uma queda grande de desempenho nos últimos tempos. A troca por Pitol foi inteligente. O goleiro foi escolhido por vários meios de comunicação da cidade, como o melhor em campo. Boatos de brigas internas surgiram, enquanto torcedora, espero que tudo se resolva da melhor forma possível. E que meus jogadores saibam para que foram contratados: jogar futebol! Vida particular não deve se misturar com profissional. Alguns falam demais e mostram dentro das quatro linhas de menos. Avante para o próximo confronto: América/MG em BH, no próximo sábado (1º) às 19h.

 

 

 

FICHA TÉCNICA

 

BRASIL DE PELOTAS 0 x 1 INTERNACIONAL

 

 

 

Brasil: Marcelo Pitol; Wender, Cirilo, Teco e Breno; Leandro Leite (Gustavo Papa), Itaqui, Marcinho, Rafinha (Aloísio) e Nem (Juninho); Lincom. Técnico: Rogério Zimmermann.

 


Internacional: Danilo Fernandes; Fabinho, Klaus, Danilo Silva e Uendel; Rodrigo Dourado, Edenílson, Charles (Junio) e D’Alessandro; Sasha (Diego) e Brenner (Marcelo Cirino). Técnico: Guto Ferreira.

 


Gol: Fabinho, aos 38min1T (I).


Cartões amarelos: Marcelo Pitol, Wender e Cirilo (B); Fabinho e Uendel (I).

 

 

GIOVANA BASTOS.