O Palmeiras entra em campo hoje, pela Libertadores da América e vai enfrentar o seu maior e mais poderoso rival: o Palmeiras!

(Imagem: Esporte UOL)

Noite de Libertadores. Jogos sempre cheios de emoção. Hoje não será diferente no Allianz Parque, quando o Palmeiras fará a sua segunda partida na competição, às 21:45h.

O adversário? Bem, o adversário preocupa e muito! É um velho conhecido da torcida palmeirense e historicamente forte e ofensivo. Quando entra em  campo, com aquela camisa gloriosa de cores marcantes, faz tremer os seus rivais, que imediatamente, são remetidos à jogos decisivos, onde foram batidos por esse grande time.

Sua história de glória e superação é impressionante! A fibra e a garra dos grandes duelos, faz a sua torcida se encher de orgulho. Desde fazer do arquirival, freguês absoluto, às goledas e gols de cobertura em cima do famoso goleiro, que defende as cores do segundo maior rival. Sem falar de vitórias com sabor de revanche, contra outro rival histórico.

É... o adversário dessa noite, definitivamente não é fácil e tem tirado o sono dos torcedores.

Vai exigir muito do Palmeiras em campo, afinal os jogadores terão que enfrentar nada mais, nada menos que o Glorioso Alviverde Imponente. E "Quando surge o Alviverde Imponente, no gramado em que a luta o aguarda...", a coisa complica. É difícil de bater esse time!

Sim, o Palmeiras irá enfrentar o seu pior inimigo: ele mesmo!

Depois de mais uma derrota no Campeonato Paulista, o time, sua torcida e a diretoria, mergulharam em um clima de peso e muitas incertezas. E aquilo que parecia apenas um momento de adaptação e experimentação do bom elenco, se configura como um grande problema e agora, compromete o futuro do time nas competições dessa temporada.

A sequência de erros repetidos, jogadas infertéis e a falta de um esquema tático de jogo, fazem do time de Marcelo Oliveira, uma grande e incômoda incógnita. O seu futuro, como comandante da equipe, também está ameaçado. Em uma reunião à portas fechadas nessa segunda-feira, ele recebeu uma espécie de ultimato do presidente Nobre: nada, além da vitória, será aceito para o jogo dessa noite.

Muitas especulações, boatos e notícias tem sido comentados desde então, todas sugerem que o time entrou numa crise interna, o que ajuda a piorar o quadro.

"O que está acontencendo com o Palmeiras?", "Onde foi parar o time que ganhou a Copa do Brasil, tão recentemente?" São perguntas que não calam, torturando o pensamento do torcedor.

Seriam perguntas retóricas, ou até mesmo uma exigência comum de quem nunca está satisfeito com o que vê, se não evidenciasse, claramente, a grande fragilidade do time. Especialmente de seu treinador, que num momento de nervosismo, deixou escapar em alto e bom tom, que não sabia mais o que fazer. Desabafo, que vindo de um líder, é muito grave.

Os jogadores são unânimes em dizer que tem algo de errado sim, mas que não sabem o que é , de fato, parece que ninguém sabe ainda o que de fato está acontecendo, mas o que todos sabemos com certeza, é que o técnico e o time vencedores no ano passado, são os mesmos, o que sugere que estamos diante de uma questão unicamente interna.

É uma boa e uma má notícia no mesmo pacote: se por um lado, não temos um adversário infinitamente maior em termos de elenco, por outro lado, ainda não conseguimos transformar esse elenco, em um time, com uma dinâmica de jogo, uma identidade e o entrosamento grupal, tão necessário à um time vencedor.

O problema do Palmeiras, está dentro dele mesmo e somente ele, poderá fazer a travessia de detectar os pontos a serem trabalhos e à partir daí, construir a base necessária para caminhar.

A torcida sabe que a noite de hoje será tensa e cheia de expectativa, e  por isso, fará o que tem feito desde 1914: vai lotar a sua casa, mais de 37 mil ingressos já foram vendidos, apoiando e cantando o jogo inteiro.

Fernando Prass, Vagner, Egídio, Lucas, Zé Roberto, Roger Carvalho, Thiago Martins, Vitor Hugo, Nathan, Arouca, Jean, Matheus Sales, Thiago Santos, Allione, Robinho, Alecsandro, Cristaldo, Dudu, Erik, Gabriel Jesus e Rafael Marques, serão recebidos pelo "Corredor Alviverde", recepção cheia de paixão, que marcou a final da Copa do Brasil.

Hoje, São Paulo se vestirá de Verde e Branco e escutará nos quatro cantos do mundo, o nosso sonho em forma de música: "Foi no Palestra Itália, que eu vi acontecer, fim da Libertadores, o meu Palmeiras vencer"

Sim, o jogo de hoje tem cara de decisão. Cara de final. E que assim seja, que seja o fim dessa fase. Que o Palmeiras vença enfim, o Palmeiras. E que siga preparado para enfrentar outros adversários.

Ah... Quase ia me esquecendo de mencionar... O time argentino Rosário Central, também entrará em campo e com certeza, será um grande coadjuvante essa noite.

Alê Moitas