O Palmeiras recebe os uruguaios do Nacional, no dia em que a sua casa comemora meio século de Libertadores!

A terceira rodada da Libertadores da América, merece um brinde. Afinal são cinquenta anos de jogos disputados no Parque Antártica, rebatizado de Allianz Parque, ou Arena Palmeiras, como preferem alguns torcedores.

.

Foto: Sociedade Esportiva Palmeiras

 
O primeiro e inesquecível jogo, foi disputado no ano de 1971. O adversário do Verdão era o Deportivo Galícia, time venezuelano. O placar de 3x0 para o alviverde foi apenas o primeiro de muitas vitórias em casa pela competição.
É um registro de dar inveja a qualquer rival: das 49 disputas, o Palmeiras ganhou 34, empatou 11 e perdeu apenas 4.
Sem falar nos jogos épicos, que fazem o torcedor ter vontade de voltar no tempo. Como o de 1995, quando o Palmeiras aplicou a soberana goleada de 7 x 0 para cima do El Nacional do Equador. As estrelas da noite foram Edmundo, Rivaldo, Válber e Paulo Isidoro.
Meio século, é de fato um marco importante e traz muita emoção na bagagem.
 
O adversário dessa noite histórica será o Nacional do Uruguai, time que jogou apenas duas partidas dentro do Parque Antártica, mas a história desses confrontos carrega algumas interessantes curiosidades: tanto o jogo de 1971, quanto o de 2009, terminou com o placar igual, empate por 1x1. Mas as coincidências, não acabam por aí, na soma de todas as disputas, os números também são iguais! Cinco vitórias para cada lado e quatro empates, bem distribuídos.
 
O Palmeiras é o primeiro do grupo, mas a agoniante e sofrida vitória, por 2x0 em cima do Rosário Central, na semana passada, deixa o torcedor apreensivo. O time comandado por Marcelo Oliveira, ainda não inspira confiança. 
 
Para o jogo de amanhã, o técnico poderá contar com o retorno do zagueiro Roger Carvalho, que se recuperava de uma torção no joelho. Já o atacante Lucas Barrios e o zagueiro Edu Dracena, que esperavam voltar a campo, para essa partida, não foram relacionados e ao que tudo indica, continuam se recuperando de lesões.
A novela Claiton Xavier, bastante especulada essa semana, continua. O atacante e grande promessa para assumir a tão importante camisa 10, também era muito esperado para o confronto dessa quarta-feira, mas seu nome não está na lista dos vinte atletas convocados. Então, o suspense parece que ganhará novos capítulos.
O volante Gabriel, querido da torcida alviverde, que chegou, inclusive a estar no banco, contra o Capivariano, domingo passado, também não aparece na escalação, que ficou assim: Fernando Prass, Vagner Egídio, Lucas, Zé Roberto, Roger Carvalho, Thiago Martins, Vitor Hugo, Arouca, Jean, Matheus Sales, Thiago Santos, Allione, Robinho, Alecsandro, Cristaldo, Dudu, Erik, Gabriel Jesus e Rafael Marques.
 
O passado de confrontos mostra que Palmeiras e Nacional, gostam de deixar tudo igual e parece que fizeram um acordo de cavalheiros, tamanho é o equilíbrio dos números. Mas como não só de passado vive o futebol e torcedor que se preza, gosta mesmo é de uma bela vitória, o desejo dos palmeirenses de plantão, que mais uma vez vão fazer festa na sua Arena, querem que o peso da camisa gloriosa e cravejada de vitórias, seja honrada e venerada pelos jogadores que entrarão em campo amanhã.
 
Sem acordos. Sem aperto de mão. Sem negociação...
 
E sem desculpas, por favor! Amanhã, é entrar para ganhar!
 
Alessandra Moitas