O PRIMEIRO PASSO DA CELESTE EM BUSCA DO SONHO...

Uruguai entra em campo nesta sexta em busca de uma grande estréia contra o Egito

 

"Nunca nos caracterizamos por ser favoritos. A nossa história mostra sempre que precisamos ir com humildade, partida a partida"  (Arrascaeta)

 

Imagem: @Uruguay/Twitter Oficial #ElEquipoQueNosUne

 

Fim da espera! Sexta-feira (15) é dia da celeste fazer a sua estréia na Copa da Rússia. A primeira campeã do mundo vai entrar em campo diante do Egito na Arena Ecaterimburgo, às 9h00. É o primeiro passo na busca do seu terceiro mundial.

 

Dos 23 jogadores que foram convocados para o torneio, 11 disputaram a Copa no Brasil em 2014, 7 participaram do mundial em 2010 e 12 estão pela primeira vez disputando uma Copa do mundo, entre eles os jogadores mais jovens que vem conquistando o seu espaço na seleção principal. Juntando isso com a experiência de jogadores como Cavani, Godín e do goleiro Muslera, a celeste vai tentar jogo a jogo surpreender nesse mundial.

 

PREPARAÇÃO:

 

O Uruguai chegou a Rússia no último dia (10), em Nizhny Novgorod, onde está sendo feita toda a preparação da celeste — no complexo Borsky Sport Centre. Depois de muitos treinamentos táticos em dois períodos no complexo, nesta quinta-feira (14) foi dia da seleção viajar para a cidade de Ecaterimburgo para fazer o reconhecimento do gramado da Arena onde fará a sua estreia e enfrentará os egípcios.

 

O treino foi bem mais leve, os jogadores fizeram exercícios físicos e afiaram a pontaria. Eles treinaram bastante os chutes à distância e depois teve o tradicional futebol informal sempre presente nos treinos da celeste. Essa deve ser a provável equipe que vai a campo na estreia:

 

Fernando Muslera; Guillermo Varela, Diego Godin, José Giménez e Martin Caceres; Matías Vecino, Rodrigo Betancur, Nahitan Nández e Giorgian de Arrascaeta; Luis Suarez e Edinson Cavani. Técnico: Oscar Tabárez.

 

Em entrevista coletiva o artilheiro e experiente Cavani, que vai para a sua terceira Copa do Mundo, falou sobre a partida contra o Egito de Mohamed Salah:

 

"Quando falamos de futebol, não podemos pensar em estatísticas. Temos que saber que temos bons jogadores e, juntos, podemos fazer o melhor. Mesmo assim, as coisas são complicadas. Se todos estivermos 100%, as chances de ganhar na estreia são maiores. Quando enfrentamos uma equipe que se fecha defensivamente, não é fácil. Vai ser complicado".

 

Imagem: @Uruguay/Twitter Oficial #ElEquipoQueNosUne

 

OLHO NA JUVENTUDE:

 

Precisamos falar também sobre a nova geração celeste que se concentra principalmente no meio de campo e diminui a média de idade no setor. Os jovens foram destaques no último amistoso diante do Uzbequistão e tem tudo para se destacarem nesse mundial e principalmente na fase de grupos.

 

O mais novo Rodrigo Betancur de 20 anos, atua na Juventus e fez a sua estreia em 2017. participou de 7 jogos com a seleção e participará do seu primeiro mundial.

 

Nahitan Nández atua no futebol sul-americano no Boca Juniors, tem 22 anos, participou de 12 jogos e vai para o seu primeiro mundial fez sua estréia na seleção em 2015 .

 

Arrascaeta, o destaque do Cruzeiro de 24 anos, vem se destacando com a 10 da celeste, tem 14 jogos, 2 gols e também vai para o seu primeiro mundial estreou na seleção em 2014.

 

Matías Vecino, o mais velho da turma com seus 26 anos, joga pela Inter de Milão tem 22 partidas 1 gol e vai estrear em mundiais pela seleção. Fez sua estréia em 2016.

 

E quem fecha o quinteto é Lucas Torreira, que atua pela Sampdoria. O meia de 22 anos tem 3 partidas pela celeste e vai para o seu primeiro mundial sua estréia na seleção foi em 2018.

 

Imagem: @Uruguay/Twitter Oficial #ElEquipoQueNosUne

 

Em entrevista coletiva Nández falou um pouco sobre essa nova geração:

 

"Nos últimos anos apareceram jogadores de nível com diferentes características. Antes tínhamos companheiros com maior marcação, hoje em dia contamos com jogadores como Rodrigo (Bentancur), Matías (Vecino), que têm um bom passe e fazem o time jogar de outra maneira. É outra possibilidade para ir ao ataque com mais opções. A bola chega mais clara".

 

Por Jéssica Martins

 

Fonte: auf.uy.org e globoesporte.com