O que realmente importa

 

Em um jogo acirrado, com muitas faltas, cartões amarelos para os dois lados e uma expulsão ainda no primeiro tempo, o Bangu - sob o comando dos auxiliares Ado e Marcão após a saída repentina de Alfredo Sampaio - venceu o Volta Redonda ontem por 1x0 no Raulino de Oliveira, e acabou com a invencibilidade do Tricolor de Aço em casa.

 

Foto: Raphael Santos/Bangu

 

O resultado é excelente para o Bangu, que assumiu a terceira posição do grupo B, segue vivo na luta por uma vaga no Campeonato Brasileiro e agora pode até sonhar em chegar à semifinal da Taça Rio.

 

Mas para os banguenses, isso nem foi o mais importante.

 

O Voltaço começou melhor na partida, pressionando o Bangu, e nos 20 minutos iniciais foi quem mais se aproximou de abrir o placar, porém sem chances reais de perigo para o goleiro Jefferson Paulino.

 

Após a parada técnica, no entanto, o jogo mudou de cara, e o Bangu se tornou mais ofensivo. Aos 28 minutos, Anderson Lessa recebeu na área, ajeitou e bateu com categoria, mas Douglas Borges fez grande defesa. Pouco depois, aos 32, após cobrança de falta de Dieyson, o goleiro tricolor se antecipou e Lessa cabeceou para o fundo da rede, abrindo o placar para o Alvirrubro.

 

Alegria e festa na torcida do Bangu. Mas isso também não foi o mais importante do dia para nós.

 

Após o gol, o zagueiro tricolor Daniel levou cartão vermelho direto por falta dura em Marcos Jr., que puxava um contra-ataque. Com um a mais em campo, o Bangu seguiu buscando ampliar o placar. Aos 44, Anderson Lessa - que fez sua melhor partida na Taça Rio - sofreu falta, Felipe Adão cobrou e mandou na trave.

 

A segunda etapa transcorreu sem grandes sustos. O Volta Redonda, que vinha fazendo grande campanha no Estadual, não conseguiu se organizar e jogar com velocidade como nos últimos jogos. Veio dos pés do artilheiro João Carlos a melhor chance do time, mas a arbitragem já havia apitado impedimento quando a finalização foi defendida por Jefferson Paulino.

 

Diante da apatia do Esquadrão de Aço, o Bangu tentou aproveitar as oportunidades que surgiram. Já no finalzinho, Anderson Lessa foi lançado sem marcação ao ataque, mas Douglas saiu bem e conseguiu fazer grande defesa.

 

Vitória fora de casa, com o time jogando bem, a classificação cada vez mais perto… O que poderia deixar a torcida mais feliz do que isso?

 

A resposta é simples, e estava à beira do campo: ver tudo isso acontecer sob o comando de Ado, um dos maiores ídolos da história do Bangu e um dos grandes responsáveis por levar o time à final do Brasileiro de 85.

 

Ver os atletas jogando com muita garra e dedicando ao ídolo a vitória. Para nós, banguenses, ter atletas que sabem o que significa vestir a camisa do Gigante da Zona Oeste e que respeitam sua história vale mais do que trazer supostas “estrelas” que pouco ou nada agregam ao elenco.

 

Depois do jogo, visivelmente emocionado, Ado falou sobre a vitória em sua primeira partida no comando da equipe, e não houve quem não se emocionasse junto com ele:

 

- A equipe jogou por mim. O mais importante é isso. Eles fizeram um bom jogo. Fico mais agradecido por isso, porque eles dedicaram para mim. Você não sabe a felicidade e a gratidão que tenho por eles.

 

Eu só tenho que agradecer e trabalhar para que nos próximos jogos eles venham me agraciar com uma nova vitória. Eu fico impressionado, eu devo ser uma pessoa muito legal no mundo. Os jogadores e as pessoas que estão em volta, são todos meus amigos. Eu sou a pessoa mais feliz do mundo - disse o treinador.

 

Tão felizes quanto o professor estavam os jogadores e a torcida. Que dia, meus amigos. Como é bom ser banguense!

 

A partida

Volta Redonda 0x1 Bangu - Campeonato Carioca, Taça Rio, 3ª rodada - 02/03/2019 às 16h30

 

Estádio Raulino de Oliveira (Volta Redonda - RJ)

Árbitro: Carlos Eduardo Nunes Braga

Assistentes: Ricardo Nogueira da Silva e Flávio Manoel da Silva

 

Volta Redonda: Douglas Borges; Luis Gustavo (Jorge Luis, 32'/2ºT), Daniel Felipe, Heitor e Luiz Paulo (Elivelton, 30'/2ºT); Bruno Barra, Bileu e Marcelo (Roger, intervalo); Douglas Lima, Wandinho e João Carlos. Técnico: Toninho Andrade.

 

Bangu: Jefferson Paulinho; João Lucas, Rodrigo Lobão, Anderson Penna e Dieyson; Felipe Dias, Marcos Junior, Yaya (Robinho, 19'/2ºT) e Felipe Adão (Alex Chander, 30'/2ºT); Jairinho (Rhainer, 42'/2ºT) e Anderson Lessa. Técnico: Ado.

 

Gols: Anderson Lessa, 30'/1ºT (0-1);

 

Cartões amarelos: Douglas Lima, Heitor (VOL); Rodrigo Lobão, Jairinho (BAN).

 

Cartão vermelho: Daniel Felipe (VOL)

 

Público: 819 pagantes (1.219 presentes)

Renda: R$ 5.145,00