O RIO GRANDE DO SUL VAI PARAR

 

(Foto: Ricardo Duarte)

Um novo capítulo, e um dos mais importantes da rivalidade Gre-Nal começa a ser escrito nesta quinta-feira (12). Pela primeira vez na história Internacional e Grêmio se enfrentam pela Libertadores. A partida ocorre às 21h, na Arena, pela segunda rodada do Grupo E da maior competição continental. 

A preparação colorada para o confronto histórico se encerrou na tarde desta quarta-feira (11), com um treino fechado no CT Parque Gigante. O técnico Eduardo Coudet terá praticamente todo o elenco à disposição para a partida, inclusive Moisés. O lateral treinou normalmente durante a semana, mas deve seguir fora da equipe. A lateral direita também não deve ter novidades. Renzo Saravia, bastante elogiado em sua estreia com a camisa colorada, sentiu desgaste físico e segue como opção no banco. 

Chacho está com uma “boa dor de cabeça” no meio-campo. D’Alessandro, retornando de suspensão, e Patrick, embalado pelos dois gols contra o Brasil de Pelotas, podem pintar na equipe. O “bom problema” para o comandante colorado é quem escalar na posição, que conta ainda com Boschilia, Thiago Galhardo e Marcos Guilherme.

A tendência é que o Inter vá a campo com a seguinte escalação: Marcelo Lomba; Rodinei, Bruno Fuchs, Victor Cuesta e Uendel; Musto, Edenilson, Boschilia e Marcos Guilherme; Thiago Galhardo e Paolo Guerrero. 

O clima entre os colorados é de confiança. Há tempo não se via um Inter com vontade de vencer. O Colorado de Eduardo Coudet começa a dar sinais de que logo será um dos times mais interessantes do país. 

Gre-Nal nunca tem favorito. Mas por ser na casa do rival e pelo retrospecto ruim nos últimos jogos disputados lá, quem tem uma pontinha de favoritismo é o Grêmio. Talvez tenha chegado a hora de surpreender e voltar ao protagonismo no Gre-Nal que o Colorado carrega há 70 anos.  

A certeza é que será um grande Gre-Nal. Um dia que entrará para a história da Libertadores! Um dia em que o Rio Grande do Sul vai parar!

 

Por: Ingrid Fochezatto

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.