O TREM-BALA DO BRASIL

 

 

Fonte: www.paixaovascao.com.br


8 de Junho de 2011, sem dúvidas um dia inesquecível para todos os vascaínos, um dia em que o grito de campeão que estava engasgado desde 2003 ecoou novamente, dessa vez por todo o Brasil.

Para chegar até essa sonhada final e a esse jogo inesquecível foi meio complicado, o clube estava se arrumando pois os anos anteriores não haviam sido nada fáceis. No começo da temporada de 2011 passamos por um susto, o time não vinha nada bem estávamos vivendo uma "crise"  desacreditado, o time precisava de mudanças e elas vieram, Ricardo Gomes, Diego Souza e Alecssandro chegaram para reforçar o time e assim o trem-bala começou a entrar nos trilhos.

Comercial, ABC, Náutico, Atlético-PR e Avaí, foram os times que o gigante deixou para trás até encontrar o Coritiba, o time do Vasco era de uma união incrível, comandado por Ricardo Gomes era aquela equipe que você sabia escalar sem gaguejar.

 

O JOGO INESQUECÍVEL.

 

Festa da torcida / www.pinterest.com


Chegou o dia que todos esperavam, me lembro bem desse dia, desde cedo todos se arrumando para aquela grande final, bandeiras nas janelas, no alto das casas e geral exibindo com orgulho a camisa do vascão pelas ruas, todos muito confiantes. Fernando Prass, Allan, Dedé, Anderson Martins, Ramon, Rômulo, Eduardo Costa, Felipe, Diego Souza, Éder Luiz e Alecssandro, entraram em campo aquele dia determinados a fazer história e conseguiram, mas o jogo meus amigos foi tenso demais.

O Couto Pereira estava lotado, mas se tinha uma coisa que esse time do Vasco sabia fazer era jogar fora de casa e desde os primeiros minutos de jogo o time se impôs e fazia o seu jogo buscando sempre aumentar a sua vantagem no placar. Até que aos 11' minutos veio o alívio para a torcida vascaína espalhada por todo o Brasil, Diego Souza tocou para Éder que achou Alecssandro no meio da área e o atacante chutou forte para abrir o placar e marcar o primeiro gol do vascão. O Coritiba melhorou na partida e aos 28' empatou o jogo com Bill, o pensamento nesse momento ainda era de "calma, ainda temos a vantagem, ainda dá" o time da colina estava jogando bem, não mudou sua postura após o gol mas em um vacilo deixou o time da casa virar aos 43' minutos com Davi.

netvasco.com.br

 

O primeiro tempo acabou e o nervosismo começou a tomar conta da torcedora aqui, mas passou rapidinho porque logo aos 12' minutos Éder Luiz fez um golaço para empatar a partida, mas aí vem o Coritiba de novo e aos 22' faz seu terceiro gol, 3x2 a torcida da casa fazendo aquela pressão e a gente não podia tomar outro gol senão já era. E o time do coxa vinha pra cima de todas as maneiras assustando mais ainda os torcedores do Vasco, sem contar as chances desperdiçadas pelo cruz - maltino de empatar a partida o jogo ficou lá e cá,  e o tempo não passava, só sei que quando vi o árbitro dar mais 4 minutos de acréscimos, eu fiquei só o Diego Souza e o Felipe abaixados no banco de reserva e aí mais uns minutos de sofrimento até o juiz apitar e a gente gritar é campeão e comemorar muito. E no dia seguinte parecia feriado no Rio de Janeiro, um mar de vascaínos tomou as ruas da cidade para comemorar um título inédito para o Vasco da Gama.

 

espn.uol.com.br

 

Esse foi o meu jogo inesquecível dia 8 de Junho de 2011 o dia que um trem-bala pediu passagem e conquistou o Brasil.


 

FICHA TÉCNICA:

 

Coritiba 3 x 2 Vasco.

 

Local: Estádio Major Antônio Couto Pereira, Curitiba (PR).

 

Data: 8 de junho de 2011, quarta-feira.

 

Horário: 21h50 (Brasília).

 

Árbitro: Salvio Spinola Fagundes Filho (SP).

 

Assistentes: Alessandro A. Rocha de Matos (BA) e Emerson Augusto de Carvalho (SP).

 

Cartões amarelos: Léo Gago, Bill e Leonardo (Coritiba); Eder Luis, Eduardo Costa, Felipe e Jumar (Vasco).

 

Gols: Alecsandro [11 minutos do 1° tempo] e Eder Luis [12 minutos do 2° tempo] (Vasco); Bill [28 minutos do 1° tempo], Davi [43 minutos do 1° tempo] e William [22 minutos do 2° tempo] (Coritiba).

 

Coritiba: Édson Bastos; Jonas, Demerson, Emerson e Lucas Mendes (Eltinho); William, Léo Gago (Marcos Aurélio), Marcos Paulo (Leonardo), Rafinha e Davi; Bill.

 

Reservas: Vanderlei; Jeci, Eltinho, Tcheco, Geraldo, Marcos Aurélio e Leonardo.

 

Técnico: Marcelo Oliveira.

 

Vasco: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Romulo, Eduardo Costa, Felipe (Jumar) e Diego Souza (Bernardo); Eder Luis e Alecsandro.

 

Reservas: Alessandro; Fágner, Márcio Careca, Jumar, Felipe Bastos, Bernardo e Élton.

 

Técnico: Ricardo Gomes.

 

Renda: R$ 892.600,00 -

 

Público: 31.516 (pagantes); 35.142 (presentes).


Texto: Jessica Martins