O tricolor passou da ponte, próxima parada: Libertadores

É, o tricolor paulista venceu a Ponte Preta na tarde fria e chuvosa deste domingo (1), por 2x1, conquistando três pontos importantíssimos e se mantendo na liderança de seu grupo, dando fôlego para a equipe que precisa estar confiante para as próximas partidas.

 

Vencer a macaca foi de extrema importância, primeiro para mostrar que a goleada diante do Oeste não foi algo fora da curva e que o trabalho está trazendo bons resultados, segundo para dar sequência ao trabalho do técnico que busca uma constante evolução. 

 

Foto: Reprodução/São Paulo FC


 

O jogo começou com a equipe mandante mostrando velocidade. Assim como na partida diante do Oeste, o tricolor pressionou o adversário e abriu o placar antes dos dez minutos da etapa inicial: Pablo cruzou com perfeição para Alexandre Pato balançar as redes - agora desencantou, né? Após o gol, além da chuva que caía na cidade de São Paulo, o Soberano contava também com uma chuva de gols perdidos, um lance atrás do outro, a bola insistia em não entrar, até que Reinaldo marcou o segundo, um belíssimo gol servido por Vitor Bueno.

 

O segundo tempo começou na mesma intensidade do primeiro. A vontade de continuar pressionando os visitantes era nítida, e graças ao goleiro Ivan, não saiu uma goleada. Aos 7 minutos, o jogador Yuri foi expulso por uma falta em Pato que resultou em seu segundo cartão amarelo… Seria ali o momento do São Paulo golear a Ponte Preta? Poderia, mas foi ao contrário. Com um jogador a mais, a equipe diminuiu o ritmo, deixando a macaca balançar as redes em um lance em que o nosso arqueiro saiu mal do gol. 



 

Foto: Reprodução/São Paulo FC 

 

Acelerou no começo, administrou no final. O tricolor teve um pênalti não marcado, em lance que Bruno Reis enfiou a mão na bola dentro da área, mas neste caso, não vai ser muito lembrado. 

 

A troca de passes foi bonita e funcionou como Diniz queria. A defesa dispensa comentários, mas é preciso focar na intensidade, o ritmo precisa ser mantido do início ao final. Nessa partida, vale levar em consideração a preparação para a estreia na Copa Libertadores nesta semana, contra o Binacional, no Peru. A fase de preparação acabou hoje, daqui pra frente é a hora que esperamos! Que venha a libertadores! 

 

Por amor ao tricolor, 

 

Raiane Vieira 

 

*O conteúdo trazido nesta coluna não reflete, necessariamente, a opinião do Mulheres em Campo