O VERDADEIRO AMOR É O INCONDICIONAL

 

Meu grande amor

Hoje é seu dia especial, dia em que completa 117 anos de tradição e fidalguia. E eu não poderia ser mais feliz por tê-lo ao meu lado em todos os momentos da minha vida. Nem sei se sou capaz de traduzir o misto de sentimentos mais puros e verdadeiros que faz sentir. É um amor incondicional destes que te vira de ponta cabeça e faz perder a respiração. Tens o dom de me fazer a mulher mais feliz do mundo por me deixar amá-lo tão profundamente e retribuir da mesma maneira. Temos um caso de amor eterno que nada e nem ninguém conseguirá destruir. 

 

Foto: Reprodução Internet

 

Na verdade, creio que nasci te amando. Desde o ventre de minha mãe, Tricolor, já acalentava esse carinho por suas três cores. E ao nascer sei que já sorria só por sentir que quando tivesse mais entendimento do mundo eu o conheceria e jamais o deixaria. E quando eu tinha três anos, meu pai me levou a uma loja de material esportivo com o intuito de me comprar uma camisa do seu time, aquele da colina, e ele nem imaginava o que aconteceria. Eu, aquela garotinha saindo das fraldas, entrei na loja e assim que vi a sua camisa pendurada num cabide corri em direção a ela e disse a ele que era aquela que queria. 

Por mais que ele tentasse dissolver minha ideia, ele não teve a menor chance. Uma flecha do cupido me acertou o coração e a paixão avassaladora se instalou. E claro que eu saí da loja com a camisa no corpo, feito uma camisola de tão grande, e a usei quase que diariamente. Mamãe me conta que ela tinha que lavar a camisa a noite para que eu a usasse novamente no dia seguinte. 

E isso não mudou. Até hoje eu amo usar a camisa mais bonita do mundo em todas as ocasiões. E hoje é dia de usá-la e sair nas ruas envergando as suas três cores com um sorriso farto e com os olhos transmitindo o brilho orgulhoso. 

E depois que me apaixonei jurei fidelidade eterna e prometi te amar nas alegrias e tristezas; na saúde ou na doença para todo o sempre. Com o tempo, aprendi a cantar por você, a gritar gol, a sentir aquele frio no estômago quando a bola não entra ou quando é a hora dos pênaltis. Soube o que é a alegria de gritar campeão e celebrar títulos em sua casa, as Laranjeiras. Também chorei ao seu lado nos momentos mais dolorosos e permaneci de pé para te mostrar que aquela tempestade ia passar e que eu continuaria ao seu lado. 

Como diz o genial Cazuza “só entende quem namora”. E você está inserido na minha rotina diária. Logo pela manhã olho para a minha escova de dente, que é tricolor, em seguida tomo meu café na caneca com o seu escudo e ao entrar no banho lá está a sua toalha pendurada no blindex. 

E esse amor foi passado para meus dois outros grandes amores, meus filhos. Desde que nasceram os ensinei a te amar como eu amo e contei suas histórias de glória e tradição. Fiz questão de disseminar este legado de amor incondicional, paixão, devoção e bem-querer. Lembro nitidamente, até hoje, a primeira vez que levei a Lara ao Maracanã e me senti a mãe mais incrível de todas ao carregá-la no colo com sua camisa. E ela foi pé quente, pois te viu vencer e te juro que ela sorriu ao assistir tão de perto sua grandiosa presença. 

Na verdade, Lara já saiu da maternidade com um macacão com seu escudo. Foi sua primeira roupinha. Também carrego na memória aquele momento entre Mãe e Filha. E ali estava eu a vesti-la com o macacão branco com o escudo tricolor e com lágrimas nos olhos. Foi como se estivesse entregando a ela o manto, meu grande amor, minha vida e fazendo uma espécie de pacto de amor eterno. Inesquecível este momento.

Viu como são mais do que marcantes as lembranças que carrego em meu coração e alma? Percebe o quanto és importante em minha vida? E saiba que para sempre vou te amar.

E sou grata a você, meu Fluminense, por me mostrar a elegância da dupla Assis e Washington; o carrasco do Flamengo, Super Ézio; a muralha que foi Paulo Victor; o ídolo que cortou o dedo para jogar chamado Castilho; o generoso Coração Valente; o queridinho zagueiro chamado Thiago Silva; o talentoso Rivelino e aquele gol de barriga do Renato Gaúcho. 

E o que desejar para você nesta data querida? Mais cem anos de Força, Glória e Tradição, eterno campeão. 

E agradeço por ser esse clube que está longe de ser um time de regatas. Você é a história!

 

Carla Andrade