O visitante mais temido, Fla vence mais uma fora de casa e se aproxima do G4

Depois da vitória sobre o Coritiba, o rubro-negro carioca se tornou o visitante mais indigesto do Campeonato Brasileiro com 52,9% de aproveitamento.
 
 
 
No Couto Pereira, o Coritiba recebeu o Flamengo pela 17ª rodada do Brasileirão. Com forte presença da massa rubro-negra, o estádio recebeu mais de 17.000 presentes. Apesar da boa vitória, o jogo foi difícil e os gols só saíram na etapa complementar da partida. 
 
 
Os primeiros 45 minutos 
 

O jogo começou com o Flamengo atacando, característica da equipe comandada por Zé Ricardo, que manteve o mesmo time que enfrentou o América-MG na última partida. Porém, aos 4 minutos, o Coxa chegou bem na área do Flamengo, em tabela de Kléber cruzando para Carlinhos, que finalizou rente a trave. Com Mancuello bem recuado, bem como todo o Flamengo, os passes ficavam entre Márcio Araújo, Juan e Rafael Vaz. Pachequinho, técnico do Coritiba, armou uma verdadeira retranca e somente o atacante Kléber estava no campo ofensivo. Aos 11 minutos, o Flamengo já tinha posse de bola de 67%, mas como no jogo contra o América-MG não transformava tais números em possibilidades ou chutes para o gol. Houve então uma pausa para atendimento à Guerrero, após choque com Luccas Claro.

Com a partida completamente amarrada, a marcação corpo a corpo do Coxa fazia o Alan Patrick, homem de criação do Fla, ter dificuldades na armação do time e com isso a bola era sempre ''rifada'' para Pará e Chiquinho, este último que, pelo amor ao Flamengo, é difícil de ver jogar, muito ruim. Zé pediu que o Flamengo adiantasse a marcação, já que o Coritiba começava a gostar do jogo e com o campo molhado e grama baixa, a bola corria com muita facilidade, chegando a hora de chutar ao gol e assim fez Mancu , mas chutou por cima do gol. Houve substituiçao no Coxa, saindo André Santos, após sentir incômodo, e entrou Iago Dias, saiu um meia e entrou um atacante. Até os 22 minutos do primeiro tempo, não se via o Alan Patrick tocar na bola e isso é péssimo, já que é por ele que saem as melhores chances para o Rubro-negro. Guerrero recebeu cartão amarelo, após Pará cruzar para a área e o atacante cair e reclamar pênalti. O juiz Ricardo Marques não marcou nada e ainda o advertiu com cartão.

A primeira defesa de Wilson foi aos 30 minutos. Guerrero recebeu na área, ajeitou e chutou, sem ângulo, mas goleiro fez boa defesa. Rafael Vaz abusava dos lançamentos em profundidade. O Coritiba mal chegava, mas quando acontecia era mais eficiente. Em bola alçada por Kazim, Juninho cabeceou livre, mas por cima do gol defendido por Muralha. Já aos 38 minutos, em rara e boa troca de passes, Pára cruzou para Guerrero, que conseguiu o cabeceio, mas sem a força suficiente e Wilson pegou. Em seguida, em jogada individual, Kléber cruzou para área, Arão tirou, mas a bola voltou em Kléber, que cabeceou para boa defesa de Muralha. Mais 2 minutos de acréscimo e foi então que o Flamengo conseguiu o seu primeiro escanteio, cobrado por Alan Patrick com cabeceio de Vaz, mas foi só tiro de meta. 
 

O jogo era frio demais para dois times em extremos no Campeonato. O Fla buscava G4, já o Coritiba precisando se afastar de vez da zona da degola. Ao fim do primeiro tempo, Rafael Vaz falou: “Nosso time está se portando muito bem. É procurar finalizar mais. É procurar manter, colocar um algo a mais que vamos sair com a vitória.”

Sem mudanças nos times, vamos para a etapa final

O Flamengo voltou bem e logo aos 2 minutos Pára tentou em cobrança de escanteio, mas Juninho jogou a bola para fora. Em seguida, Guerrero tentou se antecipar ao marcador, mas Kazim cortou. Aos 6, o incansável Guerrero recebeu um verdadeiro presente de Mancuello, que deixou o peruano em ótimas condições para abrir o placar no Couto Pereira, é Gol!

Juan sentiu dores e foi substituído por Donatti, zagueiro argentino que acabava de estrear pelo Fla. Aos 14 minutos, Kazim cruzou e Alex Muralha saiu mal, Iago chegou para finalizar, mas antes dele Everton tioua o perigo da área do rubro-negro. Outro escanteio aconteceu na blitz do Coxa e após cobrança, a zaga tirou o perigo de vez! O professor chamou, levantou e Marcelo Cirino entrou no time do Flamengo! Pois é, Cirino... Saiu Mancuello, para a entrada do atacante.

Aos 20 minutos, Ceará cruzou e Rafael só ajeitou para João Paulo chutar forte, mas para fora, ufa! Nessa altura da partida, só o Coxa atacava. O time que está a uma posição do Z4, proporcionou uma correria total e Felipe Amorim cruzou bola, mas não achou ninguém. O Flamengo parecia estar acomodado com o placar magro, enquanto o time do Coritiba, aguerrido, não desistia e, aos 33 minutos, Kazim recebeu e chutou por cima do gol. Muralha, muito pressionado com a retranca do Coxa, deu alguns sustos nas saídas com a bola no pé. Mais uma substituição aconteceu, saiu Alan Patrick, pouco participativo no jogo, e entrou Cuéllar, para fechar de vez o meio campo do Fla.

O Coritiba pouco incomodou e o Flamengo permanecia a espera de um conta-ataque. E ele chegou! Em ótimo lançamento de Cuéllar, o velocista Cirino entrou na área e bateu na saída do goleiro Wilson, mais um do Fla! Zé Ricardo foi muito bem nas duas alterações e, com cantos de ''Olé'', o Flamengo administrou o placar e saiu com a vitória do Couto Pereira! Mais 3 pontos!

Com essa bela vitória em um jogo difícil, o Flamengo subiu para a 5ª posição com 30 pontos. A partida trouxe o pensamento: sendo necessário ter Alan Patrick e Mancuello, com a entrada de Diego, quem deverá sair? Dúvida boa para o Zé, que no jogo deixou claro que irá colocar para jogar quem acredita que vai ajudar o Fla.

Bola nos pés e foco na próxima vítima, que será o Santos na quarta-feira (3), às 21h45 (Horário de Brasília), em Cuiabá. Com casa cheia e expectativa da estreia de Diego, que deve receber sua liberação médica essa semana, mas só deve ter condições de jogo contra o Atlético-PR. Até lá tem gols e tem Flamengo fazendo festa na casa dos outros! Parabéns mais uma vez a grandiosa torcida Rubro-negra, que acompanha o Flamengo por onde quer que o time vá!

 ''Onde estiver estarei, Ô Meu Mengo...''

Por Ingrid Souza.

Curta Blog Mulheres em Campo