OBRIGADO PELA VERGONHA QUE VOCÊ ME FEZ PASSAR

Vasco não joga e perde para o Rubro-Negro apenas por 2 a 0

 

(Foto: Divulgação Internet)

 

Então você achou que o Vasco não poderia fazer uma partida pior do que as anteriores? Achou muito errado! Os pouquíssimos torcedores que enfrentaram a chuva para ir ao Estádio Nilton Santos, passaram muita raiva de novo. No primeiro jogo da final do Campeonato Carioca o time fez uma partida ridícula e foi derrotado por 2 a 0 dando uma boa vantagem para o rival no próximo domingo, já que para ser campeão, o time tem que vencer por três gols de diferença. Se depender do que vimos hoje...

O JOGO:

Sabe aquele torcedor que estava animado para a final do campeonato durante a semana? Então, depois dos 90' minutos é o mesmo torcedor que tenta entender o que foi o time no jogo de hoje. O Vasco foi covarde desde o início, criação não existia fica até difícil falar de jogadores individualmente já que o coletivo foi ruim. O time cruz-maltino, que começou mesmo com Maxi López de titular até que tentou chegar ao ataque mas sem sucesso nenhum. Nem perigo o time conseguia levar a defesa Rubro-Negra. O jogador mais lúcido do time era Marrony,  que em algumas jogadas conseguia incomodar. A torcida do Vasco ainda levou um susto no primeiro tempo, quando Fernando Miguel sentiu e quase foi substituído (imagina ter que aturar o Félix)? Mas ainda bem que o goleiro conseguiu se recuperar a tempo, já que foi ele quem evitou que o time saísse perdendo em uma primeira etapa em que o Vasco foi completamente envolvido e viu a sua tática de sair no contra-ataque não funcionar.

"Nós somos muito realistas. Não vamos criar desculpas de orçamento de Flamengo e Vasco. Nós podemos jogar muito mais do que jogamos. Vamos entrar domingo em busca do título. Precisamos ser mais organizados e com poder na fase defensiva", disse Alberto Valentim.

 

(Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br)

 

Depois de acabar com a paciência da torcida no primeiro tempo, Bruno César nem voltou para a etapa complementar e acabou sendo substituído por Lucas Santos. Quem não viu o jogo acha até que a gente está pegando pesado mas a verdade é que realmente o Vasco não jogou no segundo tempo, foi completamente nulo. Marrony até fez parecer que o jogo seria diferente quando cabeceou uma bola na trave. Que nada. Começou um jogo de ataque contra defesa, o cruz-maltino começou a chamar o rival para o ataque e ele foi abrindo o placar aos 9' minutos. Aí começou aquele desespero de todo o jogo, sair afobado para tentar empatar. Só que não tinha time e sim uma bagunça e quando Marrony, o único que ainda tentava alguma coisa saiu, o time morreu. Logo em seguida por coincidência ou não o adversário ampliou o placar, mas o juiz com a ajuda do VAR acabou anulando. O Vasco não dava mais nenhum sinal de reação e assim como na primeira etapa acabou sendo engolido em campo, Arrascaeta fez a festa no setor defensivo da equipe e após Cárceres errar bisonhamente perdendo a bola para o Uruguaio, o Rubro-Negro acabou ampliando o placar aos 32' minutos um placar que só não foi maior graças às defesas de Fernando Miguel.

"O Flamengo leva uma vantagem para o segundo jogo. Não fizemos um bom jogo, mas não por planejamento. Nós queríamos criar chances. Não estávamos bem tecnicamente e não conseguimos usar bem os laterais. A preparação era para que que o time fosse ao ataque. O time não foi bem, mas estamos vivos."

 

(Foto: Rafael Ribeiro/Vasco.com.br)



FICHA TÉCNICA:


VASCO 0 X 2 RUBRO-NEGRO


Data e hora: 14/04/2019, domingo, às 16h (de Brasília)

Local: Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá

Auxiliares: Silbert Faria Sisquim e Thiago Henrique Neto Corrêa

Cartões amarelo: Lucas Mineiro (VAS) Bruno Henrique (FLA)
Gols: Bruno Henrique, aos 9min, e, aos 34min, do segundo tempo

Vasco: Fernando Miguel; Cáceres, Werley, Castán e Danilo; Lucas Mineiro, Raúl, Bruno César (Lucas Santos), Pikachu e Marrony (Yan Sasse); Maxi López (Tiago Reis)
Técnico: Alberto Valentim

Rubro-Negro: Diego Alves, Pará, Léo Duarte, Rodrigo Caio e Renê; Cuellar, Willian Arão, Arrascaeta (Lincoln) e Everton Ribeiro (Diego); Gabigol (Vitinho) e Bruno Henrique
Técnico: Abel Braga

Por: Jessica Martins