ÔÔÔÔÔ...O FERNANDÃO BRILHOU!!!

 

 

Me direciono sempre ao público em geral, mas desta vez gostaria de fazer uma pergunta aos meus companheiros de torcida Colorada.Qual jogador vem à mente de vocês quando o descrevemos com poder de decisão, liderança dentro e fora de campo,capacidade de marcar golaços e um coração enorme?

Essa não precisa nem de duas chances para responder!

Nosso amado, dedicado, raçudo, que suava sangue dentro do campo: Nosso eterno F9, Fernando Lúcio da Costa, mais conhecido como Fernandão.

 

créditos:emaisgoals



 

O nascimento do Ídolo

 

Nascido no dia 18 de março de 1978, Fernandão iniciou sua carreira nas categorias de base do Goiás como meia, e aos dezesseis anos passou a jogar bola no time profissional. Foi no Esmeraldino onde passou a ter destaque no cenário futebolístico, entre 1995 e 2001, quando conquistou cinco Campeonatos Goianos, duas Copas Centro-Oeste e um Brasileiro da Série B na posição de meio-campo.

 

Créditos: gazetaweb

 

Devido ao seu futebol de grande técnica e seus cabeceios certeiros, teve a oportunidade de ir para a Europa, onde jogou pelo Olympique de Marseille, por quase três anos, depois foi transferido para o Toulouse, também da França. Lá começou a jogar como atacante.


 

A criação de uma identidade Colorada e a conquista do Mundo

 

Na volta para o Brasil, Fernandão foi para o Internacional, sendo que Fernando Carvalho, presidente do Internacional na época, fez grande esforço para contratar o jogador. Foi no Inter onde atingiu seu melhor momento no futebol. Logo em seu jogo de estreia, marcou o milésimo gol da história do Clássico Grenal, feito que lhe rendeu uma placa e o fez cair nas graças da torcida colorada.

 

Além de jogador, era também torcedor e que rejeitou propostas de clubes da mídia para voltar para o seu time de coração. Não era segredo para ninguém o amor de Fernandão pelo Goiás. O jogador inclusive pintou a barba de verde durante uma partida para homenagear o amado clube.

 

Créditos: espnuol

 

É recente em nossos corações a emoção que sentimos ao conquistar a América pela primeira vez. E como se 2006 já não estivesse sendo um ano excepcional para o Internacional, veio até nós o tão sonhado Mundial de Clubes. E cara… nosso F9 foi demais!

Arrisco todas as minhas fichas que ele foi nosso jogador chave. Quem lembra do discurso do Fernandão, no vestiário, minutos antes da partida, sabe ao que me refiro. Só de lembrar sinto aquela emoção viva como se fosse nesse presente momento, é impossível conter as lágrimas.

 

Com humildade e sendo um líder incontestável, o jogador lembrou a equipe da dura caminhada na Libertadores até o Mundial e a palavra que ele destacou: DOAÇÃO. A doação que partia de cada um, quando se olhavam nos olhos dentro de campo. A importância crucial de tranquilizar seus companheiros lembrando que o Barcelona não era imbatível, cometia falhas sim e acima de tudo eram seres humanos.

O mais fundamental e encerrando seu memorável discurso: Dar sempre o máximo; mas quando estiver chegando no máximo, lembrar que pode dar um pouco mais!


 

Créditos: ig


 

Um novo caminho para F9, muito além do futebol: a eternidade

 

Deixando um pouco as alegrias de lado, vamos ao trabalho de Fernandão como Técnico. Em 20 de julho de 2012, foi convidado para assumir o comando técnico do time.

Estreou como treinador na goleada de 4 a 1 sobre o Atlético-GO, mas o Inter encontrou dificuldades no Brasileirão e o ex-jogador acabou deixando o cargo em novembro. Porque “deixando um pouco as alegrias de lado”? Ao meu ver, como torcedora apaixonada e fã incondicional do Fernandão, este capítulo eu descrevo como desnecessário e injusto. Na época, em entrevista, Fernandão se declarou completamente frustrado por não conseguir fazer o time jogar. Não era novidade para ninguém que ele não possuía experiência como técnico e milagre algum poderia fazer quando existem problemas onde direção e jogadores não se entendem. F9 tinha muita capacidade, mas infelizmente, foi derrubado pelo vestiário.

 

E como citei anteriormente, deixando as alegrias mais distantes ainda… Me acordo no dia 07 de junho de 2014, um sábado, chegando na cozinha vejo meu pai, que me ensinou a amar o Internacional desde bem pequena, sentado na cadeira junto à mesa, com o rádio ligado. Comecei a escutar junto com ele e só pude dizer: Não é verdade. Passamos aquele dia inteiro e o decorrer dos seguintes, acompanhando as notícias e os especiais sobre a vida e feitos do Fernandão, que teve a vida ceifada cedo demais em um acidente de helicóptero.

 

Embora clichê, a verdade é que, apesar de não estar mais entre nós, Fernandão jamais irá morrer no coração de cada um dos colorados e de quem teve o privilégio de conviver com ele. Não só colorados, mas quaisquer torcedores e adoradores do futebol respeitavam e admiravam o jogador, sua carreira e seu bom coração.

Para nós resta a dolorosa saudade, as inesquecíveis lembranças e a imensa gratidão. Em frente ao Beira-Rio sempre teremos um lugarzinho especial F9, para te prestigiarmos, junto à estátua construída em memória e agradecimento ao nosso ídolo.

 

 

Sabemos que nos escuta e que conheces a canção. Cantemos juntos então o Tema da Vitória, tema que marcou tua vitória:

 

Eu, nunca me esquecerei, dos dias que passei, contigo Inter
Colorado é coração, trago, amor e paixão
Pra sempre Inter

 

OOO, dale, dale, daleooo
Dale, dale, daleooo
Pra sempre Inter”


 

#ParabénsF9


 

Luana Tirado.