Os bons ventos não sopravam... e a bola definitivamente não quis entrar.

Inacreditável... Essa foi a palavra mais vista, lida, ouvida e falada na noite anterior (20) durante a partida Ceará x Luverdense.

 

O Ceará teve em torno de 20 finalizações, a bola teimou em não entrar, até Bill nosso homem gol perdeu todas as chances que surgiram, isso já era de estranhar. O goleiro Diogo Silva, pegou até pensamento e assim ficamos apenas no 0 x 0 e amargamos a 10º partida sem vencer.

 

Opinião da Colunista

 

O meio campista Lelê veio para ser titular, o time melhorou 100% ofensivamente após sua entrada, Felipe caiu desastrosamente de rendimento, digo até o que mais “desaprendeu” a jogar, um ótimo jogador, nos ajudou demais no primeiro turno, mas não está em um bom momento e infelizmente precisamos de resultado para ontem, o Ceará é a prioridade, o Mais Querido sempre foi muito dependente de um meia de criação, com isso, a linha de frente fica comprometida. Colocaria Ewerton Páscoa no time, seja na zaga ao lado de Charles, ou até mesmo como volante do lugar do limitado Diego Felipe ou Baraka. Escalaria o meio campo com: Richardson, Ewerton Páscoa, Wescley e Felipe Menezes, o último, um tanto lento, porém tem qualidade no passe final, acredito que tem a crescer com a equipe, e com a falta de opções... Lelê e Bill no ataque, ou Lelê mais recuado e Wescley mais adiantado, enfim, tem vaga no time titular. Lauro, foi bem, defendeu o gol de Éverson sem sofrer muito, algumas horas mais parecia um zagueiro, adiantado e testando nosso coração, no mais, fez uma boa partida e em uns lances ótimas defesa, deu sua parcela de contribuição no resultado. Sei da qualidade de Sérgio Soares, mas só aqui o treinador fica 10 partidas sem vencer e continua no cargo, é um excelente técnico, mas a meu ver está perdido, perdeu o pulso. Vamos esperar o próximo resultado, se não podemos trocar um time inteiro, infelizmente mudamos o técnico, torço veemente para que os resultados apareçam e ele permaneça, mas sem bons números, será impossível mantê-lo, que a diretoria também enxergue isso. Futebol é resultado e desculpa pelo egoísmo, mas não admito o Ceará ser o mais penalizado pela falta deles como foi em 2014.

 

Vamos ao Jogo...

 

O Ceará voltou a jogar bem, o que não víamos a 9 jogos, iniciou a partida pressionando, impondo o ritmo de jogo, foi pra cima do adversário, logo aos 4 minutos, Bill deu trabalho ao goleiro adversário, a partir dos 10’ o jogo nivelou e ficou aberto, ambas as equipes tiveram chances de marcar, Lauro parou o ataque do Luverdense por duas vezes, a partida ficou bastante agitada, Felipe Menezes que se movimentava bastante no meio campo chegou com perigo em alguns lances mas parava na defesa dos visitantes. A torcida reconheceu o esforço e aplaudiu o time no fim da etapa inicial.

 

Fonte: Christian Alekson / CearáSC

 

Segue o segundo tempo e Lelê já volta na vaga de Felipe, a intenção de Sérgio Soares era dá mais velocidade e ofensividade à equipe, e foi a mudança mais certeira do treinador, surgiu efeito e o Vovô voltou pressionando mais ainda. Só esqueceu-se de avisar a Diogo Silva o quanto o Ceará precisava da vitória, em noite inspiradíssima do goleiro do Luver, nada passou, ele simplesmente se agigantou debaixo da trave e defendeu as mais difíceis bolas. Logo no início parou novamente jogada de Bill. O atacante que vestiu a camisa 100 em alusão ao seu número de jogos com o manto sagrado, até chegou a marcar, mas o assistente assinalou toque de mão do atacante e anulou o gol. Vendo o volume de jogo dos donos da casa, Júnior Rocha promoveu logo suas mudanças para tentar conter a equipe alvinegra, óbvio que o empate para eles era um excelente resultado, mas mesmo assim, o único mesmo que conseguiu nos parar foi o dono da camisa 01 do LEC.

O dono da camisa 90 do alvinegro Cearense Lelê, modificou o jogo e até chegou a marcar, mas mais uma vez foi marcada irregularidade, dessa vez impedimento, milimétrico, até duvidoso e mais um gol foi anulado, os ventos realmente não estavam a nosso favor.  Aos 90’ o Verdão de Mato Grosso teve um jogador expulso, mas não foi suficiente, até o apito final foi só de pressão do Ceará, mas a noite foi mesmo do arqueiro do time alviverde.

 

Fonte: Christian Alekson / CearáSC

Apito Final, 0 x 0 no placar, o resultado nos deixou com 40 pontos e em 4º lugar, isso temporariamente, podemos terminar a rodada até em 9º dependendo dos resultados. O Luverdense ficou em 12º com 36 pontos. Nosso próximo adversário é o Brasil de Pelotas, em confronto direto.

O atacante Bill assumiu a responsabilidade do placar na coletiva após o jogo: “ - Criamos oportunidade. Só quatro comigo. A responsabilidade é toda minha. Essa culpa é toda minha. Incomoda, mas a gente está trabalhando. A gente sabe da dificuldade do segundo turno, mas vamos trabalhar forte para conseguir o resultado agora" - finalizou o atacante.

O comandante alvinegro, falou da confiança que retorna a equipe e avaliou a partida da seguinte maneira: "Na verdade a equipe teve uma boa performance. Fez o que o time precisa fazer. Boa  marcação, rodou a bola, empurrou o adversário para trás e soube neutralizar as ações do adversário. Mas a gente precisa botar essa bola pra dentro. Com esse volume de jogo e boa performance conseguiremos ter algo melhor na competição, A gente conseguiu ganhar confiança no jogo contra o Londrina, contra o Luverdense realmente voltou. E agora é transformar esse volume e ímpeto em vitória", analisou.

O problema do momento é: Precisamos de resultado para ontem.

 

FICHA TÉCNICA

CEARÁ 0 X 0 LUVERDENSE

Local: Estádio Castelão, em Fortaleza (CE)

Data: 20 de setembro de 2016, terça-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Edmar Campos da Encarnação (AM)

Assistentes: Marcos Santos Vieira (AM) e Jander Rodrigues Lopes (AM)

Cartões amarelos: Felipe Menezes, Baraka e Bill (Ceará); Everton, Rafael Silva, Eder, Diogo Silva e Caio Quiroga (Luverdense)

Cartão vermelho: Caio Quiroga (Luverdense)

CEARÁ: Lauro; Tiago Cametá (Thallyson), Charles, Douglas Marques e Eduardo; Baraka, Diego Felipe (Rafael Costa), Felipe Silva (Lelê), Wescley e Felipe Menezes; Bill

Técnico: Sérgio Soares

LUVERDENSE: Diogo Silva; Raul Prata, Luiz Otávio, Everton e Paulinho; Moacir, Ricardo, Sérgio Mota (Caio Quiroga) e Rafael Silva (Raphael Macena); Hugo e Alfredo (Eder)

Técnico: Júnior Rocha

Por: Priscylla Lima