POR FORA DAS QUATRO LINHAS

 

 
foto:diarioingenuo
Por fora das quatro linhas...
É ai que a coisa muda, não é mais como antigamente que futebol era coisa de homem, e mulher nem sequer pensava em se envolver. Era a velha história do "que graça tem ver um monte de homem correndo atrás de uma bola?" eu confesso, já pensei isso por muito tempo, mas a partir do momento em que tu vai lá ver de pertinho tudo isso, ai sim as coisas mudam, tu começa ver a verdadeira beleza do futebol, algumas mulheres se sentem bem indo para um shopping com as amigas, comprar roupas, sapatos, eu me sinto bem atrás do gol, de pé na bancada assistindo meu time jogar, faça chuva ou faça sol não tem coisa melhor que isso.
É claro que sempre tem as que vão lá só por ir, nem sequer gostam, mas quando tu aprende amar teu time de verdade é outra sensação, tu passa a querer fazer tudo por ele, mesmo que isso possa te trazer graves consequências. A sensação de ver a torcida explodindo pela primeira vez é uma coisa que não tem como explicar, tu começa a querer fazer parte daquilo, daquela festa maravilhosa que é feita somente para o seu maior amor.
A rivalidade alimenta ainda mais todo esse amor, tu sempre vai querer defender teu time, mesmo depois de chorar diante de uma derrota para o maior rival, tu vai querer achar motivos para sempre provar que o time que tu ama é o melhor, por mais que não seja, para quem ama não existe série, não existe título que mude isso.
Mulher gostar de futebol não é feio, muito pelo contrário, tem muita mulher na arquibancada que faz muito mais que alguns homens por aí, é mais do que ir lá e torcer, primeiro tu tem que aprender a amar o clube, para depois torcer para ele, pois o que seria da torcida se não existisse o clube? Só mais um bonde ridículo, sem ideologia que a única coisa que faz é brigar e vandalizar as ruas, e já tem muitos desses por aí, não precisamos de mais.
Todos falam que torcida é só gente querendo brigar, destruir as coisas, "um bando de marginais" mas vai muito além, pode até ter um pouco disso, igual quando falam mal da mãe, ou alguém da família que tu ama muito, é lógico que tu não vai aceitar, com o clube é igual, tu constrói a tua família ali, tu sabe todo mundo que pode contar, e sabe quem defende o mesmo amor que tu.
 
Fernada Andreazza, colunista do Juventude.