PORTAS EM AUTOMÁTICO, DESTINO: BRASÍLIA!

 

Após uma magra vitória pela Sul-Americana, o Botafogo embarca para Brasília, onde enfrenta o Palmeiras, amanhã (25), às 16h, no Estádio Mané Garrincha, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro.

O time que nos últimos seis dias morou no aeroporto praticamente, levou seu mando de campo para mais um estado, e vai em busca da sua primeira vitória fora de casa, na luta pela permanência na parte de cima da tabela.

A delegação alvinegra conta com três desfalques: Carli, cumprindo suspensão, Erik, já que veio emprestado do Palmeiras, não pode enfrentar o mesmo e o Rodrigo Pimpão que se recupera de uma entorse no tornozelo direito.

 

REPRODUÇÃO TWITTER

 

O Glorioso, não vem com o melhor futebol, mas o que nos importa é a vitória, o time tem tido a melhor posse de bola, só falta criatividade e finalização, com o elenco que temos, o técnico Barroca vem fazendo milagres. (risos)

“Nosso estilo de jogo não pode mudar. Claro que com imenso respeito ao Palmeiras. Vai ser difícil, mas temos que manter a característica de posse de bola, ser agressivo e pressionar o adversário. Vai ser um jogo difícil e importante contra uma grande equipe.” diz Gabriel.

O time adversário vem em boa fase e o líder do campeonato, não perdeu nenhuma partida ainda, com certeza entrará em campo confiante, até porque é o atual Campeão Brasileiro.

Contaremos com dois estilos de comandos totalmente diferentes, de um lado a modernização de Barroca e do outro o estilo vanguarda de Felipão.

A provável escalação para amanhã é: Gatito; Fernando, Gabriel, Marcelo e Gilson; Cícero, Alex Santana, João Paulo e Leo Valencia; Luiz Fernando e Diego Souza.

Os clubes já se enfrentaram 94 vezes, onde o Palmeiras leva vantagens. No último confronto, o placar foi 2x0 para os alviverdes pelo Campeonato Brasileiro 2018.

A emissora premiere fará a transmissão da partida. Cadê a torcida gloriosa de Brasília? Os ingressos estão custando à partir de R$55,00.

Vitor Silva/SSPress/Botafogo

 

#BRASILEIRÃO2019 #VAMOSFOGÃO

 

Por: Juliana Ferreira