PRA MOSTRAR QUEM MANDA NO CHIQUEIRO!

O PALMEIRAS SUPERA DIFICULDADES E SAPECA TRÊS NA ESTREIA DA COPA DO BRASIL.

 

Foto: Palmeiras Oficial

     

A estreia em casa, com ampla vitória de 3x0 em cima do Botafogo da Paraíba, mostrou um time assertivo, que é capaz de superar dificuldades e buscar o resultado. Características de quem tem alcançado a maturidade.

Hoje, o time de Cuca se constitui como um elenco forte, que sabe extrair o melhor das peças individuais e transformar em trabalho coletivo. Apesar das dificuldades encontradas no primeiro tempo, o time conseguiu manter a posse de bola e não sofrer nenhum gol.

O Botafogo armou um forte esquema de marcação, que não permitia a saída de bola e quando o Palmeiras conseguia furar o bom posicionamento adversário, era a vez do nosso meio de campo deixar a desejar. O time se mostrou lento e sem poder criativo.

E o jogo estava tão truncado, que a primeira chance só veio aos dezesseis minutos, numa tentativa de Rafa Marques. Mas o chute chegou sem perigo para o goleiro Michel Alves.

Aos vinte e quatro, Moisés arrancou em velocidade pela direita e ao tentar articular a jogada, caiu com as mãos na coxa. Não havia dúvidas, o profeta do Verdão teria que ser substituído.

Não é preciso ser vidente para ler a mente dos quase vinte e cinco mil torcedores que foram fazer festa na Arena: se já está difícil, agora vai piorar! Uma expectativa bastante plausível, já que o dono da camisa vinte e oito vem crescendo a cada jogo e comanda o meio de campo junto com Tchê Tchê. O  volante Gabriel, entrou em seu lugar.

Os paraibanos continuavam pressionando e buscado chances no contra-ataque. Aos trinta e um minutos, cobraram uma falta, a defesa falhou e a bola caiu nos pés de Rodrigo Silva. O chute passou perto, assustando o goleiro Jailson.

No final do primeiro tempo, Dudu fez boa jogada individual, disparando uma bomba da entrada da área. Uma boa defesa de goleiro Michel Alves.

 

Foto: Palmeiras Oficial

 

Algo precisava mudar e logo. O Palmeiras tinha quarenta e cinco minutos para mostrar à que veio e garantir a vaga para as oitavas.

O comandante do Verdão resolveu iniciar a segunda etapa, substituindo CX10, que não fazia uma boa partida, por Allione.

Mostrando mais velocidade, o Palmeiras conseguiu uma jogada ofensiva, que deixou Rafa Marques pronto para chutar. Ele é derrubado na entrada da área e o juiz marca pênalti.

Pênalti bem batido por Jean. Aos dez minutos o Verdão abre o placar.

A vantagem de marcar um gol logo no começo da etapa complementar, é que além de colocar gás e acordar o time, faz o adversário abrir um pouco e aí, é a hora de partir pra cima. Foi exatamente o que aconteceu. O time de Parque Antártica passou a mandar na partida.

Aos dezesseis minutos, Dudu, maestro dos grandes passes, faz um lançamento perfeito para os pés de Erik, que fica cara a cara com o gol, mas a bola, que já estava sendo comemorada, é chutada em cima do goleiro. Imperdoável Erik! Um gol "imperdível".

Mas a noite era palmeirense. E os deuses do futebol sempre ajudam a quem cedo acorda! Tchê Tchê lança Erik e este vê a chegada do abusado Rafa Marques, que aplica uma finta pra cima do marcador e chuta com calma e com a alma no canto direito, para fazer o segundo e belo gol do Verdão.

O Botafogo não se deixou abater e mesmo em desvantagem, continuava acreditando no gol, como tem que ser o futebol e é uma característica marcante dos times, ditos pequenos, que fazem bonito na competição.

A última substituição trouxe o garoto Vitinho para o campo no lugar de Erik. O que o professor queria? Mais gols. A torcida também.

Não deu outra, com o relógio marcando trinta e cinco, o terceiro gol fez o Allianz Parque explodir. Dudu, sempre ele, escapou liso da marcação e tocou a redonda para Allione que rolou para Tchê Tchê. Ele chegava com velocidade na meia-lua. Escapa do primeiro, derruba o segundo, domina e bate com o coração na chuteira. O endereço era o canto esquerdo do gol adversário. E ela chegou, linda, estufando a rede e o peito do torcedor.

Um gol muito comemorado pelo aniversariante da semana. Que golaço. Que presente para o nosso Tchê Tchê!

O placar de 3x0, mais que uma importante vitória, mostra a capacidade de superação do time. Um jogo que começou sem muitas possibilidades ofensivas, acaba com um bom resultado e uma importante vantagem para o jogo de volta.

Um time que quer ser campeão precisa mostrar que é capaz de reação, no momento certo.

Cuca, mais uma vez, consegue ler o jogo de forma perfeita e mexer com muita inteligência. E o Verdão, mostrou que quem manda no chiqueiro, são os porcos!


por  Alê Moitas