Precisamos de alguém que saiba o valor que essa camisa tem!

 

Com inicio arrasador, Ponte vence o Palmeiras e Eduardo Baptista, rasga o verbo

 

Foi por acaso que assisti a partida de ontem, entre Ponte Preta e Palmeiras. Quando vi o nervosismo da colunista Thata Bajano para acompanhar o jogo da macaca do trabalho, acabei prestando atenção no jogo. A outra colunista da Macaca, Li Zancheta, estava em delírio na arquibancadas do Moisés Lucarelli.

Torcer, já não é uma tarefa fácil, mas torcer para um clube do interior, vai muito além. Quantas vezes, o torcedor tem de aguentar perguntas clichês, sobre torcer para um “grande da capital”, além de perolas da diretoria do clube, como absurdo preço dos ingressos, e mesmo assim mantém vivo o amor pelo clube, colocando-o acima de tudo e de todos.

A vitória, sobre o até então embalado Palmeiras, serviu para tirar o grito do torcedor que estava engasgado e fez com muitos jogadores da Macaca desabafassem, como fez Wellington Paulista:

 

Nem começou o campeonato e vieram falar que o time estava rebaixado. Tem que ter um pouco mais de respeito pela Ponte"

Wellington Paulista, atacante da Macaca


 

O jogo

A tarde foi de inspiração de Felipe Azevedo, que anotou os dois gols da Ponte, ainda no primeiro tempo, aos 23 de cabeça e aos 32, aproveitando erro da zaga alviverde. Moisés, que entrou no intervalo no lugar de Róger Guedes, descontou para o Palmeiras.

foto: goal.com

Mal defensivamente o Palmeiras, foi envolvido pela Ponte. Felipe Azevedo, deitava e rolava pelo lado esquerdo, enquanto Egydio dormia. O nervosismo palestrino era evidente e Cuca acabou expulso.

Após o empate com  o Figueirense fora de casa na estreia, a Macaca chega agora aos quatro pontos. A equipe, voltará a campo contra o Corinthians, na próxima quinta-feira, às 11h, em São Paulo.

Ao final da partida, o treinador Eduardo Baptista disse:

 “Temos muito a evoluir. É só um começo. Estou feliz pelo resultado importante. Vencer a equipe do Palmeiras, quando diziam que eles eram favoritos aqui. Mas aqui em Campinas ninguém é favorito a não ser a Ponte Preta. Nós trabalhamos isso com os nossos atletas: a Ponte tem que ser respeitada e é dessa maneira que tem que ser feito. Não adianta eu vir falar bonito. É com trabalho que vamos trazer nossa torcida de volta”

O treinador, voltou a exaltar a importância de ter a torcida por perto e ficou satisfeito, com o que viu em campo. Eduardo, fez questão de pontuar o bom futebol apresentado, sem esquecer dos erros da segunda etapa.

Tava engasgado

O título deste pós, veio da fala de quem viu a partida da arquibancada, veio de quem sofre pela macaca. Como ela mesma disse, por muitas vezes a Ponte é simplesmente vista como o “patinho feio”, mas o clube mostrou ontem, que o acerto de Eduardo Baptista, tem surgido efeito e que ainda calará muita gente.

foto: Gazeta Press- Djalma Vassao

Hoje, muitos jornalistas em seus textos apenas pontuaram o “mal jogo do Palmeiras”, e deixaram de dar os méritos a excelente partida que a macaca fez. Isso, é algo que demonstra a costumeira mania da mídia de apequenar os clubes do interior, e assim como W. Paulista disse, rebaixar as equipes sem elas ao menos terem entrado em campo.

A torcida, deu show nas arquibancadas e assim como fez questão de mostrar, não se calou. O grito engasgado, saiu! Um não ao futebol moderno, um não a mídia, um não a todos que se negam a valorizar a grandeza da Macaca. A Ponte, faz o futebol apaixonado do interior, respirar e a nação pontepretana ensina, a qualquer um como torcer.


por Mariana Alves