Protesto, derrota e queda do técnico

 

 

Apesar da semana marcada por protesto, o cenário era bom para uma reação do rubro-negro carioca: domingo, jogando em casa, estádio cheio, escalação ofensiva e tínhamos o adversário até então vice-lanterna do campeonato. Pois bem o resultado não foi o que o cenário favorecia e o Flamengo foi derrotado pelo placar de 2x0, terminando o primeiro turno com 29 pontos e se mantendo na 5ª colocação, a 18 pontos do líder e a 10 pontos da zona de rebaixamento.

 

 

IMG_20170807_125520.jpg

Foto: Internet

 

 

RESUMO DA PARTIDA

 

Ofensivo, era isso que mostrava no papel e foi isso que o Flamengo se mostrou nos primeiros 30 minutos, mas foi só isso, vontade de fazer gol. Como em outros jogos, o time carioca mostrou volume de jogo, porém não conseguia o objetivo principal: gol. Muitas chances desperdiçadas, principalmente pelo jovem centroavante Felipe Vizeu. Diego também desperdiçou duas chances, uma aos 13’ em uma cobrança de falta e outra aos 23’, tentando primeiro uma bicicleta e na sequência quando retomou a bola que passou na frente do gol, em um chute cruzado. Tudo ia bem até a parada técnica, quando o Vitória cresceu no jogo e Yago se aproveitou do erro de Arão, mandando a bola na gaveta sem chances para Diego Alves.

No segundo tempo nada mudou, só piorou, o time caiu muito de rendimento e a equipe voltou a jogar em bando. Totalmente desorganizado, errando muitos passes. Zé Ricardo resolveu colocar Berrío no lugar de Geuvânio. Porém quem fez o gol foi o Vitória. Réver perdeu o tempo de bola, Tréllez roubou a bola e o capitão cometeu a falta. Aí os torcedores pensaram – temos o cara que pega pênalti, Diego Alves – porém não foi bem assim e Neilton ampliou para o rubro-negro baiano. O que estava ruim, piorou e a torcida começou a vaiar jogadores como Diego que junto a Everton e Everton Ribeiro não conseguiam produzir. Gritos de olé eram ouvidos da torcida carioca enquanto o time do Vitória trocava passes.

 

 

DESTAQUE

 

O árbitro apitou e o tempo fechou. Os gritos de “acabou o amor, isso aqui vai virar um inferno...” entoavam nas arquibancadas. Gritos de protestos foram direcionados a diretoria do clube que pela primeira vez, o silêncio se fez predominante. A torcida se direcionou a saída dos jogadores e objetos foram atirados no carro de alguns atletas. Entre eles Everton, que se encontrava com a esposa e o filho no veículo que horas depois foi às redes sociais desabafar sobre o ocorrido.

 

 

whatsapp_image_2017-08-07_at_00.08.31.jpeg

Foto: Instagram Everton

 

 

Mesmo com Zé Ricardo dando a coletiva projetando a semana e Fred Luz afirmando que o treinador permaneceria à frente da equipe principal, a certeza já não era mais a mesma e o decreto de que o treinador estava demitido veio por volta das 21h. Alívio de boa parte da torcida que já estava pedindo a cabeça do treinador desde a eliminação na primeira fase da Libertadores.

 

 

Screenshot_2017-08-07-12-55-57.png

Foto: Twitter Oficial do Flamengo

 

 

Zé foi demitido após 15 anos de clube e 15 meses à frente do time principal. Assumiu o comando, após o técnico Muricy Ramalho se afastar por motivos de saúde. Naquela época o até então técnico do sub-20, assumiu a equipe principal que não se encontrava muito bem em campo. Zé Ricardo deixa o clube com um título estadual e aproveitamento de 62,2% (47 vitórias, 25 empates e 17 derrotas). E ele emitiu nota oficial agradecendo a diretoria, a torcida e a equipe.

 

 

“Quero agradecer ao presidente, a diretoria e todo o departamento de futebol pela oportunidade de começar minha carreira profissional comandando um time da grandeza do Flamengo. A todos os companheiros da comissão técnica e funcionários do clube, minha gratidão pelo convívio diário e troca de experiências. Aos jogadores, o meu muito obrigado pelo comprometimento, respeito e profissionalismo. Agradeço muito aos torcedores também. Mesmo nos momentos difíceis, nunca deixei de receber mensagens positivas. Eles são o principal motivo do Flamengo ser do tamanho que é.”

Fonte: globoesporte.com

 


 

Nomes como Rueda (ex-técnico do Atlético Nacional), Jorginho, Roger Machado, Eduardo Baptista e até mesmo o galinho Zico, estão sendo cogitados para ser o substituto de Zé Ricardo. Enquanto a diretoria não anuncia o novo técnico quem vai comandar o time quarta-feira pela Copa Sul-Americana é o auxiliar técnico Jaime de Almeida.

 

 

FICHA TÉCNICA

 

 

Data - Hora: 06/08, às 11h (Brasília).

Local: Estádio Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro (RJ).

Árbitro: Raphael Claus (SP)

Auxiliar 1: Alex Ang Ribeiro (SP)

Auxiliar 2: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo (SP)

4º árbitro: Alberto Poletto Masseira (SP)

 

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Réver, Rhodolfo e Trauco; William Arão (Lucas Paquetá); Diego e Éverton Ribeiro; Geuvânio (Berrío), Everton (Vinicius Jr.) e Vizeu.

Técnico: Zé Ricardo

 

VITÓRIA: Fernando Miguel; Caíque Sá, Kanu, Wallace Reis, Juninho; Ramon, René; Yago (Patric), Tréllez, Neilton (Todinho), David.

Técnico: Vagner Mancini

 

Rayane Almeida