Quando a vitória é boa, mas não suficiente.

Imagem: clicrbs

Mesmo com a equipe colorada vencendo na noite de quinta-feira (11), isso não foi o suficiente para, de novo, não sofrerem críticas. A vitória por 2 a 1 sobre o Passo Fundo voltou a expor problemas no meio-campo da equipe, como falta de velocidade, falta de passes precisos e ausência de finalizações. Sorte termos tido o golaço de fora da área de Artur, para a equipe não deixar o Beira-Rio com um empate.

O técnico Argel mais uma vez reconheceu que o Inter não teve uma boa apresentação, apesar da vitória. O time subiu para a quarta posição na tabela, mas continua mostrando dificuldades. Segundo o treinador colorado, a equipe ainda não teve tempo de evoluir da maneira que ele entende ser a ideal em 2016.

Argel ajustou a formatação da equipe em decorrência da boa partida que a equipe fez contra o Ypiranga. Mas este ajuste não rendeu grandes mudanças, havendo até algumas vaias no final da partida. A respeito das vaias, o treinador declarou:

- É normal (vaiar), faz parte do futebol. O torcedor paga o ingresso, tem o direito de vir aqui, elogiar ou não. Não fizemos uma boa partida. Temos apenas 30 dias de trabalho, mas mesmo assim controlamos, tivemos posse de bola. O adversário também impôs dificuldades. Se tivesse jogado assim todos os jogos, não estaria nessa situação. Mas a obrigação é nossa. As pessoas querem 4 a 1, 5 a 1, porque o Inter é um clube grande. Estamos testando alternativas táticas, dando oportunidades aos jogadores, mas temos uma espinha dorsal definida, comentou em entrevista coletiva.

No final do primeiro tempo o atacante Vitinho precisou deixar o campo. O jogador colorado sentiu uma lesão muscular na coxa direita e deu lugar ao garoto Aylon. O atleta fará um exame de imagem para detectar a gravidade do problema.

Uma coisa é certa sobre o jogo de ontem: o colorado venceu o Passo Fundo mais por ser um time enfraquecido do que por seu bom desempenho. Definitivamente uma partida ruim, apesar do resultado.

 

Luana Tirado