Quase um chocolate...

 

Fluminense vence o Vasco por 3 x 0 no clássico que abriu a temporada do Campeonato Carioca de 2017

 

Bandeira do Núcleo Feminino TYF

Foto: Scheila Costa

 

A torcida Tricolor saiu do estádio do Engenhão com um sorriso estampado no rosto depois de presenciar a vitória do Fluminense em cima do Vasco. O clássico de estreia do Campeonato Carioca terminou com o placar de 3 x 0 para o Tricolor. E esse resultado foi barato para o time da colina já que o Fluminense desperdiçou inúmeras chances de gols ao longo da partida. Talvez por certa falta de tranquilidade nas finalizações.

O primeiro tempo foi bastante disputado e o Fluminense mostrou que jogar em cima dos erros do adversário é uma excelente estratégia. Aos 26 minutos, Sornoza chama Henrique Dourado para participar da jogada e este coloca Douglas no esquema. Ele divide a bola com o goleiro Martín Silva e, na sobra, Wellington Silva abre o placar.

Seis minutos depois, Sornoza cruza rasteiro para Henrique Dourado, em jogada individual, e ele não perde a chance de ampliar e marca o segundo do tricolor.

 

Foto: André Durão

 

Sornoza, por sinal, foi um dos nomes do jogo. Em duas jogadas colocou seus companheiros em situação de gol com passes precisos e uma visão de jogo peculiar. Outra característica do jogador é sua vontade de dar assistência e não somente em marcar. Ele não é um atleta egoísta e isso ajuda muito no conjunto.

E essa vitória, com certeza, foi outro presente que o equatoriano ganhou de aniversário, comemorado no sábado (28 de janeiro). O craque recebeu a dádiva de ser pai da pequena Dulce, sua segunda rebenta, em seu dia de soprar as velinhas. Melhor impossível.

Com esse placar nada favorável, o técnico Cristóvão Borges optou por duas mudanças na volta para o segundo tempo. Éderson e Guilherme Costa entraram nas vagas de Eder Luis e Escudero. Adiantou? Muito pouco. Apesar do volume de jogo ser menor, o Fluminense venceu suas falhas, como as da zaga e de marcação, e fez o goleiro do Vasco trabalhar.

E Lucas quase fez o terceiro, aos 20 minutos, num chute que passou rente à trave. Até que, dez minutos depois, Gustavo Scarpa criou um belo contra-ataque e colocou a bola nos pés de Marcos Junior, que entrou no lugar de Wellington Silva, e o chute resultou no terceiro gol da partida.

Por pouco uma goleada. Por pouco um chocolate.

Minutos antes do final dos noventa minutos, uma jogada que fez os corações tricolores baterem mais forte. Após a cobrança de escanteio de Scarpa acertar a trave, Henrique até que tentou colocar a bola na rede só que esbarrou em Martín Silva. No rebote, Renato Chaves não foi feliz na terceira chance de finalizar com o que poderia ser o quarto gol.

E o técnico Abel Braga já imprimiu seu estilo no atual elenco, extremamente determinado e com vontade de jogar, em campo. Um bom exemplo foi a substituição de Sornoza pelo volante Luiz Fernando, outro que fez bela partida. A troca facilitou a movimentação de Douglas que ficou mais solto na marcação.

E Abel até que tentou trocar o Gustavo Scarpa pelo Marcos Júnior, mas nosso meia pediu para ficar. Ele queria jogo. Pedido atendido pelo técnico tricolor.  

“Essa vitória foi extremamente importante. Buscamos por ela desde o início do jogo. Agora é pensarmos nos próximos adversários e mantermos o foco”, disse Gustavo Scarpa no final do jogo.

O técnico destacou o desempenho defensivo em entrevista concedida no final da partida e afirmou que aos poucos o plano de jogo vai encaixando:

“Não levamos gols, tivemos 11 escanteios contra. O Vasco é o time que mais aproveita a bola parada no Brasil. Então, o nosso aproveitamento foi quase 100%. Futebol tem dessas coisas. Tiramos um peso dos 10 jogos sem vitória contra o Criciúma. Hoje fizemos coisas interessantes. Quem entrou foi bem. Queria ver ainda o Luiz Fernando, vi logo em um clássico contra dois meias fantásticos, como o Nenê e o Andrezinho. Formamos um coletivo forte e, a partir daí, as individualidades vão aparecer. O Orejuela foi fantástico, o Sornoza foi bem. A relação humana está muito bem, isso para mim é tudo. Eu encontro um grupo feliz. E não deixará de ser assim nas derrotas”, analisou Abel.

Foto: Nelson Perez

E com o ânimo desta brilhante vitória, o Fluminense volta a campo na próxima quarta-feira, pelo Carioca, para enfrentar o Resende no Estádio de Moça Bonita.


 

FICHA TÉCNICA

VASCO 0 X 3 FLUMINENSE

 

Local: Estádio Nilton Santos, no Rio de Janeiro (RJ)

Árbitro: Rodrigo Nunes de Sá

Assistentes: Luiz Claudio Regazone e Thiago Corrêa Farinha

Público: 11.043 pagantes

Cartões Amarelos: Thalles e Nenê (Vasco); Orejuela, Renato Chaves e Léo (Fluminense).

Gols: Wellington Silva, aos 26 minutos e Henrique Dourado, aos 32 minutos do primeiro tempo; Marcos Junior aos 35 minutos do segundo tempo.

 

VASCO: Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Henrique; Julio dos Santos, Andrezinho, Escudero(Guilherme) e Nenê; Eder Luis(Ederson) e Thalles.

Técnico: Cristóvão Borges

 

FLUMINENSE: Diego Cavalieri, Lucas (Renato), Renato Chaves, Henrique e Léo; Orejuela, Douglas, Sornoza(Luiz Fernando) e Gustavo Scarpa; Wellington Silva(Marcos Junior) e Henrique Dourado

Técnico: Abel Braga

Carla Andrade