QUEM CHEGA, QUEM SAI – COPA DO BRASIL, SULAMERICANA OU BRASILEIRÃO?

(Foto: Globo Esporte)

Depois da amarga eliminação no Campeonato Paulista e de tentarem enfiar guela’baixo um time medíocre e sem a mínima condição de representar a Macaca, a diretoria alvinegra soltou uma nota nesta segunda-feira desculpando-se com a torcida. A falta de vergonha é tanta que um simples pedido de desculpas via “mailing”, foi “suficiente” pra que esqueçamos a pífia campanha neste início de temporada – ou não! Como de costume nossa maravilhosa diretoria, se escondeu. Como de costume trancaram-se em seus orgulhos e em sua arrogância!

É a primeira vez em seis anos consecutivos que a Macaca fica fora da segunda fase do Campeonato Paulista. Em 2016 com a maior cota da história, com outros times focados na Libertadores, a cúpula garantiu o time seria competitivo e que brigariam pelo título. Que título, do interior? Ou eles acreditaram que contratações como Clayson, Nino Paraíba, resolveriam? Ou talvez o Rhayner né.  

O fato é que não deu certo, e da imensa lista que esperávamos já pra segunda-feira, apenas o nome de Alexandro apareceu. Não que não vá fazer falta, mas também não vem fazendo diferença. Três contratações já foram anunciadas - o lateral-direito Diogo Mateus, o zagueiro Kadu e o volante Renê Júnior, enquanto algumas outras já estão engatilhadas. O mais preocupante é que o mimimi já começou – Vamos priorizar a Copa do Brasil, A Sulamericana ou Brasileiro? Não vamos priorizar nenhum nem outro, vamos priorizar os três! Vamos ao menos tentar montar um time competitivo. Vamos priorizar a torcida, vamos priorizar aqueles que carregam a Ponte no colo, no coração!

Pela Copa do Brasil, a Macaca vem a campo nesta quinta-feira no Majestoso as 21h40, para o jogo de volta contra o Caldense. No primeiro confronto em Poços de Caldas, a Ponte venceu a partida por 1 x 2 e podendo até empatar e sair com a classificação.

A provável escalação é uma incógnita, afinal de contas se o técnico Gallo resolver ir a campo com o que a de melhor, podemos de fato ficar preocupados.

Li Zancheta