QUEM HUMILHOU SAIU HUMILHADO! CORITIBA 6X0 PALMEIRAS!

 

Um jogo inesquecível é aquele que, no futuro, ao ver os lances novamente você se sente arrepiado e lembra do quanto foi maravilhoso estar presente no estádio aquele dia. Eu poderia citar aqui vários atletibas, são muitos, mas tem um jogo que, até hoje me dá arrepios…

 

Fonte: Gazeta do Povo

Dia 04 de maio de 2011, no estádio Major Antônio Couto Pereira em Curitiba, às 19:30 (horário de Brasília) entraram em campo, Coritiba e Palmeiras, jogo de ida válido pela quartas de final da Copa do Brasil. O Coritiba vinha embalado, campeão Paranaense invicto, e quando falo invicto, eu quero dizer que havia ganhado todas as partidas, o Coxa tinha até o momento umas das melhores equipes na competição.

Sensação do momento o Coritiba promoveu neste dia o Green Hell (inferno verde)! A festa da torcida Coxa Branca ajudava a embalar e a por um “certo medo” nos adversários que entravam em campo com as luzes verdes dos sinalizadores das arquibancadas e, escondidos pela fumaça, se não bastasse isso, a torcida cantava ao ponto de se fazer eco.

O que faz desse jogo tão magnífico não é apenas a goleada aplicada no time Paulista, mas sim, um tapa na cara de quem disse que “seria fácil” passar pelo Coxa. Antes do jogo, o técnico Felipão ironizou a boa campanha do time coritibano, que ainda não estava classificado para a Copa do Brasil e iria enfrentar o Caxias. Em entrevista coletiva no Pacaembu, um repórter fez a seguinte pergunta ao técnico Palmeirense : “Felipão, o Coritiba está invicto na temporada, gostaria que fosse analisado, você acha que ele tem ganho apenas de adversários pequenos? E se essa invencibilidade preocupa o Palmeiras?

“Primeiro, eles terão que ganhar do Caxias, que é o meu time. No passado, nós ganhamos deles por três á zero, e o Coritiba tinha um “timaço”, com Jairo, Hidalgo e toda aquela gente, é claro que, com a vantagem de quatro gols (o Coritiba já havia ganho o jogo de ida por 4x0 e iria jogar a volta) eles podem passar, daí, vamos nos preocupar com eles, antes disso, não! (vale lembrar que, o Coritiba venceu o Caxias por 1x0 e passou para as quartas de final)- Felizão, em resposta.

O tom de arrogância do técnico Felipão, indignou a nação Coxa Branca e quem parou pra ouvir. Trataram o Coritiba como pequeno, como se fosse fácil passar pela gente. A torcida compareceu no estádio Couto Pereira, quem estava presente pode soltar o grito seis vezes, pode cantar e comemorar o jogo inteiro, o Palmeiras ficou no chinelo, não atacou, apenas viu o espetáculo acontecer, enquanto isso locutores Paranaenses em suas cabines comemoravam junto com a torcida. Destaco a narração de Jacir de Oliveira, locutor da Transamérica Curitiba, uma das narrações mais sensacionais que já que ouvi, em meio ao jogo o narrador pediu respeito ao time do Coritiba:

“RESPEITEM O CORITIBA, SE ELE CHEGOU ATÉ AQUI, SE ELE HOJE POSSUI O TÍTULO DE INVENCÍVEL É PELO FUTEBOL MOSTRADO, CALA A BOCA FELIPÃO, RESPEITA O CORITIBA! FALA MAIS QUE O CORITIBA VAI LÁ E FAZ!”

 

Foto: IG Esportes

 

O JOGO

O jogo começou com o tradicional Green Hell da torcida Coxa Branca, o time estava no auge batendo o recorde do time mais vitorioso do mundo, sabíamos que não iria ser fácil, o time do Palmeiras era treinado por um técnico campeão do mundo com a amarelinha, mas, neste dia, Felipão perdeu o respeito da nação Alviverde.

Em campo, o Coritiba se mostrou superior, não tínhamos um elenco milionário, muito menos com grandes estrelas, era um time em busca de seus ideais, uma equipe bem trabalhada. Nos primeiros 20 minutos o Coritiba já mostrou ao Palmeiras o porquê do “Mais Vitorioso do Mundo”: aos 2 minutos, Emerson quase abriu o placar em uma bela jogada de Bill que mandou direto para a cabeça do zagueiro. O time tocava a bola e dominava o campo, o gol saiu aos 8 minutos, após escanteio, Emerson subiu mais que todos e mandou a bola pro gol, sem chances pro goleiro Marcos, a goleada começava…

Aos 22 minutos Bill apareceu pela esquerda encontrou Davi que invadiu a área e mandou com o pé esquerdo pro gol Palmeirense, 2x0. O Coritiba tinha total domínio de jogo, o time não se rendeu ao Paulista, queria mais, já o Palmeiras parecia perdido, Kléber Gladiador ficou isolado na frente, sem Valdívia o atacante parecia não saber o que fazer, Lincoln também mal tocava na bola, a zaga do Coritiba não permitia que eles criassem chances de gol. O lance seguinte foi aos 43 minutos, Léo Gago chutou a bola de meio de campo, despretensioso, a bola acabou desviando em Danilo e enganando o goleiro Marcos, que golaço, abrindo ainda mais o marcador para os donos da casa 3x0.

Felipão no intervalo tentou mudar o time que sem reação, tirou João Vitor para entrada de Chico, isso ajudaria a reforçar o meio de campo, além disso, Wellington Paulista entrou para reforçar o ataque junto de Kléber, era uma esperança Palmeirense de tentar ao menos, diminuir o placar.

Nos primeiros 10 minutos até houve equilíbrio até Leandro Amaro derrubar Bill na área, o pênalti foi marcado e o próprio foi para a cobrança e cobrou muito bem. Ao som das arquibancadas que gritavam “BILL!BILL!BILL!” o Coritiba ampliou ainda mais o placar: 4x0.

Minutos depois, Rivaldo foi expulso após dar uma cotovelada em Bill o que deixou o Palmeiras com mais dor de cabeça. O que estava bom ficaria ainda melhor, nas arquibancadas a torcida seguia com fôlego e no campo o time também! Aos 46 minutos Geraldo fez o quinto, jogada perfeita, lance de câmera lenta, passou fácil na zaga Palmeirense, o time inteiro do Palmeiras estava apático, como se tivessem largado mão do jogo e estavam ali apenas por estar, se não bastasse isso, aos 47 minutos Anderson Aquino colocou o time Coxa de vez na fase seguinte da Copa do Brasil, o jogador passou pela zaga toda do Palmeiras, e, ao ser derrubado, ainda teve esperanças e chutou a bola pro gol, o sexto gol “deitado” do Coritiba.

 

Fonte: Tribuna do Paraná

A festa ficou completa, nas arquibancadas! Felipão saiu com vaias e ao som de “CHUPA FELIPÃO!” o Coritiba estava praticamente classificado para a etapa final da Copa do Brasil (jogo de volta o Palmeiras teria que devolver o placar, mas, o Coritiba foi tranquilo, e a equipe Paulista venceu a partida por 2x0).

FICHA TÉCNICA

Estádio: Couto Pereira, em Curitiba (PR). Data: 05/05/2011. Árbitro: Leandro Vuaden (Fifa-RS). Auxiliares: Altemir Hausmann (Fifa-RS) e Julio Cesar Rodrigues Santos (RS). Público: 28.870 pagantes. Renda: R$ 848.620,00

CORITIBA: Edson Bastos, Jonas, Emerson, Pereira (Cleiton) e Lucas Mendes; Leandro Donizete (Willian), Léo Gago, Rafinha (Geraldo) e Davi; Anderson Aquino e Bill. Técnico: Marcelo Oliveira

PALMEIRAS: Marcos, João Vitor (Chico), Danilo, Leandro Amaro e Rivaldo; Marcos Assunção, Márcio Araújo, Patrik (Wellington Paulista) e Lincoln (Adriano); Kleber e Luan. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Gols: Emerson, aos 11, Davi, aos 21, e Léo Gago, aos 43 do primeiro tempo; Bill, aos 10, Geraldo, aos 46, e Anderson Aquino, aos 47 do segundo tempo.

Cartões amarelos: Leandro Donizete, Rafinha (CTB); Luan, João Vitor, Rivaldo (PAL). Cartão vermelho: Rivaldo (PAL)

No fim do jogo, o goleiro Marcos deu entrevista ao repórter do canal SporTv:

“Eu esperava voltar com uma boa atuação, talvez seja o resultado do final de semana, a gente perdeu pro Corinthians e acabou sendo eliminado do Campeonato Paulista. Eu fico com vergonha por vestir a camisa do Palmeiras e ter sofrido como a gente sofreu hoje, o Coritiba se quise-se teria colocado um placar até mais amplo que seis, agora vão falar, tiraram o Deola e colocaram o Marcos, talvez comigo e com o Deola no gol, nos teríamos tomado uns três aqui hoje, o Palmeiras hoje teve uma noite, e quando eu falo time eu me coloco junto, teve uma noite infeliz e vergonhosa, eu acho que o time do Palmeiras veio bem a menos do que aquele que vinha jogando. O time com menos gol tomados no Campeonato Paulista e hoje infelizmente tomou seis e eu estava nessa barca, tá certo que os cara estavam desanimados, mas poderíam me avisar na concentração que eu não teria entrado num jogo desse, agora paciência e escutar os desaforos da semana.”

O repórter ainda lhe perguntou: “Você acha reversível esse placar?” Marcos respondeu: “Ah não! Agora vai querer correr lá para mostrar para a torcida, que é time de guerreiros e essas coisas, mas é obrigação claro, correr lá, mas reverter um placar como esse, a gente não fez nenhum 6x0 no ano e não agora que vai fazer.”

Já Felipão achou o resultado absurdo, e disse que jogadores como os que o Palmeiras tem, não deveriam ter deixado se abater tanto, destacou também, após falar demais, que o Coritiba fez uma partida espetacular.

Marcelo Oliveira, com toda simplicidade, destacou o elenco do Palmeiras, mas, como uma boa equipe montada, o Coritiba foi lá e fez o serviço de casa e mesmo com a vantagem, não ia cantar vitória antes da hora, e iria preparar o time para a volta (jogo de volta Palmeiras 2x0 Coritiba).

Fato é que, mesmo perdendo o título para o Vasco, o Coritiba estava com um time arrasador. A goleada aplicada foi considerada por muitos humilhantes, na época foi comparada a derrota do Palmeiras por 7x0 contra o Santos. Triste para um, felicidade para outro, quem fez a festa foi o Coxa, quem pensou que viria para humilhar acabou saindo humilhado, talvez isso seja bom para que alguns clubes grande aprendam a não menosprezar os ditos “pequenos”.

Saudades do time de 2011 todos nós temos, quem sabe num futuro (esperamos que próximo) possamos ter alegrias como esta, realmente um jogo marcante que, creio eu, cada torcedor que ler, vai se identificar com minhas palavras, vai abrir o vídeo no youtube e vai se arrepiar ao ver essa belíssima goleada.

É O COXA SEM FREIO!

Por: Patrícia Moro.