Real Madrid conquista tri Mundial

(Foto: Reuters)

Os merengues golearam a equipe do Al Ain, por 4 a 1, e mostraram sua superioridade em campo nos 90 minutos.

O favoritismo da equipe espanhola era fato. Em campo, ela só foi confirmada. A equipe entrou em campo consciente, soube aproveitar os 72% de posse de bola e, com isso, dominou o jogo do início ao fim. Foram 16 ataques e oito chutes a gol. A equipe madrilena conquistou o Mundial nas temporadas de 2014, 2016 e 2017 e 2018 e na antiga Copa Intercontinental, o Real venceu as edições de 1960, 1998 e 2002. São sete títulos. Feito para todo o madridista morrer de amor pelo time que torce.

Solari optou pelo esquema 4-3-3 e colocou Llorente no lugar de Casemiro. O primeiro tempo começou disputado e bem no início o Al Ain fez jogada perigosa que foi desarmada pelo capitão Sérgio Ramos. Depois disso, domínio total dos merengues até que, aos 14 minutos, Benzema tocou para Modric e ele abriu o placar.

Comemoração do primeiro gol

(Foto: Site oficial do Real Madrid)

Com boas jogadas pelas laterais e belas tabelas entre Marcelo e Bale o Real; chegadas rápidas de Modric e jogadas bem construídas de Benzema, o Real continuou a buscar gols, inclusive perdeu boas chances por erros de finalização.

Parece que o intervalo ajudou. O Real voltou para a segunda etapa aguerrido e, novamente aos 14 minutos, ampliou o placar com um golaço de Llorente. Após cobrança de escanteio, a defesa do rival bobeou e a bola sobrou para o volante que chutou forte e fez um desses golaços para lembrar toda a vida. Que bela partida fez Llorente. Substituiu Casemiro com talento.

A fragilidade defensiva do adversário era nítida diante da impecável defesa dos merengues. Nada passou, nenhuma jogada foi concluída. O Real ditou o ritmo e usou o campo de maneira inteligente. As jogadas eram divididas, bem distribuídas pelo meio e laterais e foi assim que o terceiro gol chegou. Aos 32, após cobrança de escanteio, nenhum zagueiro do Al Ain subiu, só que Sérgio Ramos estava lá e fez de cabeça. O jogador foi até o banco de reservas abraçar seu amigo Isco. Com o gol, o capitão tornou-se o único defensor a marcar em duas finais da competição.

Capitão Sérgio Ramos deixou o dele

(Foto: Site oficial do Real Madrid)

Pouco depois, Solari fez duas alterações. Tirou Llorente para a entrada de Casemiro e colocou Vinícius Júnior no lugar de Lucas Vázquez, pelos 38 minutos. Dois minutos depois, veio o gol de honra do Al Ain que saiu de uma cobrança de falta. A bola sobrou para o zagueiro Shiotani cabecear bem no canto da baliza, sem a menor chance para Courtois.

Quando todos achavam que o placar estava fechado, Vinícius Júnior recebeu lançamento fechadinho de Marcelo, outro gigante em campo, e deu um jeito de driblar a defesa e chutou a gol. A bola entrou mais bateu nas pernas de Yahia Nader. Gol contra. 4 x 1 para o Real.

A cereja do bolo foi Bale eleito o melhor jogador da competição e levou para casa o prêmio Bola de Ouro do Mundial de Clubes. A torcida madridista foi ao delírio e não foi para menos. Ver o Real jogar é um verdadeiro presente para os olhos. Um time bem montado onde cada um, com seus talentos individuais indiscutíveis, mostrou o melhor para conquistar a taça. Parabéns pelo título!!!!

 

Carla Andrade

Rosileide Ribeiro