Recordar é viver: SOY LOCO POR TRI!

 

Onde você estava no dia 22 de junho  de 2011? Se você é santista provavelmente estava contando as horas para a final da Libertadores que aconteceria na noite daquele dia. 

Foram anos batendo na trave na busca do Tri Campeonato. Em 2003, ficamos com o vice-campeonato e foi sofrido, foi doloroso...

Mas em 2011 as esperanças de conquistar a América voltaram. O elenco que o Santos possuía era de encher os olhos e já havia conquistado o Brasil com a conquista do Paulistão e da Copa do Brasil 2010.

A trajetória da equipe na competição não foi fácil, teve seus altos e baixos, e acabou sendo concluída com 61,9% de aproveitamento e 20 gols marcados, deixando para trás Deportivo Táchira, Cerro Porteño, Colo Colo, América (Méx.), Once Caldas e, por fim, o Peñarol.

Um episódio marcante e muito relembrado pelos santistas é o vídeo em que o goleiro Rafael Cabral olha para um torcedor após a derrota contra o Colo Colo e diz “Olha no meu olho, nós vamos classificar!”. A fala se tornou emblemática e reforçou a confiança e a boa ligação daquele elenco com o torcedor. Se nas arquibancadas a torcida fazia a sua parte, dentro de campo os jogadores davam o sangue.

 

Foto: Reprodução/Internet

 

Quem não se lembra também da partida em que Neymar foi expulso após utilizar uma máscara com seu próprio rosto? Ah, a Libertadores de 2011 fez história e não dá para negar que além da competência e de um início um pouco apagado, o Peixe teve sorte de campeão.

A disputa da finalíssima contra o Peñarol relembrou a final da Libertadores de 1962, na qual, o Peixe também enfrentou o clube uruguaio e saiu com a vitória, garantindo seu primeiro título da Libertadores. Na ocasião, o alvinegro ganhou o jogo de desempate por 3 a 0.

Em 2011 a expectativa era gigantesca, já que desde 1963, ano em que o clube conquistou o segundo título na competição, o Peixe não havia conseguido engatar um Tri Campeonato. Em 2003 passou na trave, mas 2011 a confiança era muito maior.

Com o Pacaembu lotado o Santos brilhou junto aos seus meninos. Pintou a América de branco e preto pela terceira vez e desceu a serra com mais uma taça para o Memorial das Conquistas do clube. Venceu por 2 a 1, com gols de Neymar e Danilo, além de um gol contra de Durval. 

Ver a taça sendo carregada por Pelé com lágrimas nos olhos não tem preço. A sensação de ver a história ser escrita com os nossos próprios olhos é indescritível e, melhor ainda, ver ídolos de distintas gerações comemorando juntos.

Hoje teremos a oportunidade de reviver todas essas emoções em um canal de televisão aberta após quase nove anos. Aproveitem torcedores. Afinal, recordar é viver! Deixem as emoções falaram por si só, já que transformar em palavras o turbilhão de sentimentos que sentimentos naquela ocasião é bem difícil.

Por Carolina Ribeiro

 

*O conteúdo trazido nesta coluna não reflete, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo