Renato, precisamos conversar sobre o Grêmio que te espera

 

 

Fonte: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio FBPA

 

Pois bem, prezado Renato Portaluppi, uma nova era sua no Grêmio, se iniciou em 19 de setembro de 2016. Há pouco mais de um mês, era impossível imaginar que tal desembarque aconteceria, e que a finalidade seria a sua formalização como novo técnico do Grêmio. Acontece que o Grêmio de um mês atrás tinha um amplo horizonte no Campeonato Brasileiro após vencer o Corinthians por 3 a 0 em uma manhã de domingo linda de Dia dos Pais com recorde de público na Arena. Mas, acredite Renato, o Grêmio que te espera pouquíssimo lembra o daquela ocasião.

Como torcedora, vou tentar descrever o Grêmio que te aguarda. Claro que tentarei explanar sobre aquilo que tenho acesso, ou seja, o que vem acontecendo dentro de campo nas últimas partidas. As movimentações em relação ao período eleitoral do conselho do clube e as possíveis desavenças internas que parecem ter chegado ao vestiário prefiro deixar de lado. Vamos conversar sobre alguns indivíduos que, ao que tudo indica, farão parte do teu cotidiano no que resta do ano de 2016.

Sob o comando do seu antecessor técnico, o grupo que te aguarda teve atuações de encher os olhos, vitórias importantes e quebras de alguns tabus. Talvez tu tenhas acompanhado nossa mais recente derrota, contra o Fluminense, na nossa casa. Entendo que fica difícil imaginar que o Grêmio derrotado neste domingo seja capaz de fazer algo ao menos parecido com as coisas boas que citei anteriormente. Mas, infelizmente, esse é o Grêmio que te espera.

Na nossa defesa se localiza um verdadeiro misto de sentimentos, Renato. Temos Pedro Geromel, tido por muitos como um dos melhores zagueiros em atividade atualmente. Ele já fez coisas inacreditáveis para nos livrar do pior em vários momentos, mas, mesmo assim, o 2016 desse cara foi manchado pela nossa “Síndrome da Bola Aérea”. Confesso que já perdi as contas de quantos companheiros de zaga Geromel teve nessa temporada. Mas pior do que contabilizar zagueiros é contabilizar os gols que levamos pela nossa ineficiência em tentar defender o perigo que vem do alto. Nosso goleiro Marcelo Grohe também não foi poupado da desgraça causado por esse mal.

Espero não ter te assustado com meu desabafo sobre a composição da nossa linha extrema de defesa, já que os próximos relatos que farei não soam como animadores. Vou tentar resumir o que ocorre nas laterais do nosso time: na temporada passada, os homens de lado, que eram considerados ruins por muitos, se mostraram suficientes. Perdemos o lateral-direito e não conseguimos uma reposição decente no início deste ano. Já o esquerdo, que permaneceu, passou a não apresentar atuações, no mínimo, aceitáveis. Veio um direito relativamente melhor, enquanto o esquerdo continuava a piorar. Por fim, o lateral-direito também começou a piorar, ao mesmo tempo em que o lateral-esquerdo seguia firme em sua decadência técnica. Pois é Renato, nossa equipe nesse setor já ultrapassou os limites da preocupação e atingiu o patamar de desespero.

Como eu queria poder afirmar que tratando da parte centralizada do nosso elenco as notícias seriam melhores, mas infelizmente essa não é a realidade. Ultimamente vimos muitos volantes entrando em campo, talvez essa notícia possa parecer positiva para algum esquema de tua preferência que pretendes implantar nesse teu retorno. Mas já vou te avisando, as peças são, de certa forma, limitadas tecnicamente. Deves estar pensando “mas o jovem Walace, diferencial na conquista do ouro olímpico no Rio de Janeiro não é do Grêmio?”. É sim, Renato. O problema é que parece que ele ainda não retornou da cidade maravilhosa tão conhecida por ti. Inclusive, caso queiras trazê-lo no mesmo voo, seremos gratos.

Ainda no meio-campo, temos em outro volante a figura do nosso atual capitão. Só que este capitão tem umas opiniões peculiares em relação ao ritmo de trabalho imposto pelo calendário brasileiro. Chegou a afirmar que a rotina dos jogadores era algo “desumano”. Imagina se tal jogador tivesse vivido a época na qual capitães tinham sua imagem imortalizada por comemorar SANGRANDO suas conquistas, época essa que tu conheceste tão bem.

No atual Grêmio, também vais encontrar aquele que é considerado por muitos o último Camisa 10 tradicional. Douglas é um verdadeiro alvo de sentimentos extremos. Enquanto uns acreditam que ele não devia estar fardando há muito tempo, outros defendem que, sem ele, nosso time perde completamente o poder de criação. Confesso que tenho tendência a concordar com a segunda opção. Entretanto, o que de pior tem acontecido nas últimas semanas no nosso time se localiza em um setor além de Douglas. Pois é Renato, não temos ataque, não temos finalização decente, não temos tentativas, não temos nem a sorte de fazer gol por azar do adversário.

Tu terás à tua disposição o maior investimento da temporada, o jogador que foi contratado graças ao número de gols marcados no ano passado em terras equatorianas. Infelizmente, um “acidente de percurso” tirou esse jogador de campo em momentos cruciais do nosso 2016 e, após seu retorno, a sensação é de que o mesmo ainda não se encontrou, tanto tática quanto emocionalmente. Quem sabe sejas tu quem vai conseguir situar esse atleta de alguma forma em prol da equipe. Tu não imaginas o quanto essa torcida espera por isso.

Ainda no ataque, terás muitas peças jovens para tentar melhorar o setor que não está bem. Em vários momentos essas alternativas funcionaram. Mas, a exemplo do conjunto da obra, a queda de rendimento e dificuldade técnica pegaram em cheio também essa gurizada. Para comprovar isso, dá uma olhadinha nos mais recentes lances do jovem Pedro Rocha, quem sabe assim já vais pensando o que pode ser feito.

Por fim, te trago aquele que é considerado a joia gremista da temporada, o também medalhista olímpico Luan. Não foram poucas as vezes que esse jogador nos surpreendeu com uma habilidade diferenciada e lances de qualidade. Porém, a exemplo de Walace, parece não ter retornado ao clube após a conquista com a camisa amarela. Renato, por favor, encontre uma forma de fazer esse rapaz voltar a colaborar com a equipe. Ele já fez a diferença em outros momentos. Ele precisa voltar a fazer a diferença!

Não sei se ficou clara a definição do Grêmio a ser comandado por ti, Portaluppi. Mas ao menos um esboço da nossa atual situação foi exposta neste texto. Grande parte da nação Tricolor viu o ano de 2016 se esvaindo a cada um dos resultados ruins aos quais fomos submetidos. Teu primeiro desafio será na nossa casa, em um confronto válido pela Copa do Brasil que vale uma vaga para as quartas previamente encaminhada. Torço para que o termo “encaminhada” se transforme em “garantida”. Fácil não será, muito menos tranquilo. Não consigo imaginar plenamente os meios que tu utilizarás para concretizar os desafios do nosso Tricolor. Mas te conhecemos, e o que tu simbolizas para a nossa história faz com que a torcida te acompanhe nessa nova etapa.

É óbvio que em termos de elenco e disposição, o Grêmio que te entregamos desta vez é muito diferente do Grêmio de outrora. Mas, na essência, ainda somos aquele clube que tem em ti um dos símbolos da maior conquista de nossa história. Como torcedores, o máximo que podemos fazer é desejar que tu sejas bem sucedido com este Grêmio que te espera. Bem-vindo de volta Renato Portaluppi. Boa sorte com esse Grêmio...

Fonte: Grêmio Avalanche

Cintia Menzomo