Respeitem nossa dor...

 

Fonte: Extraída da Internet

 

Em meio a tanta dor e ao estado de consternação em que nos encontramos, parece mesmo que brasileiro tem memória curta.

Na última terça-feira (29), assim como a grande maioria do povo brasileiro, Marco Polo Del Nero atual Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, emitiu uma nota de pesar lamentando a tragédia com o avião que transportava a equipe de Chapecó. "Neste momento de imensa dor e tristeza, manifesto meu sentimento de solidariedade a todas as pessoas atingidas pelo acidente ocorrido com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol, em especial às famílias das vítimas”. Nós brasileiros, amantes do bom e velho futebol, respiramos aliviados com o fio de esperança que nos restava – esse senhor ainda tem um coração.

Discutiu-se então sobre o adiamento da última rodada do Campeonato Brasileiro e o último jogo da final da Copa do Brasil. Quase que por unanimidade as partidas foram adiadas.

Discutiu-se também sobre o fato de que o time alviverde deveria permanecer durante três anos sem ser rebaixado, o que seria uma forma de alento, dando tempo para que essa tão precoce equipe possa se reerguer. Ufa, mais um ponto a favor da união para o futebol.

O que acompanhamos nesses últimos dias, foi uma enxurrada de boas ações, equipes se propondo a ajudar, prestar sua solidariedade. Equipes que se dispuseram a emprestar jogadores, ajudar as famílias financeiramente, um pequeno gesto, por menor que fosse para uma equipe que sonhou alto.

Mas como nem tudo são flores, o que se viu na tarde de ontem (30) é que quando a esmola é demais, o santo com certeza pode duvidar.

O mesmo Presidente, aquele que demonstrou compaixão e solidariedade, resolveu entrar em ação. Del Nero entrou em contato com Ivan Tozzo, presidente em exercício da Chapecoense, dizendo que o jogo válido pela última rodada deveria acontecer, e o pior, deveria ser uma festa na Arena Condá. Mesmo com a recusa do presidente alegando que a equipe não tem hoje onze jogadores, Del Nero insistiu dizendo que sim, que a equipe tem hoje uma categoria de base e os jogadores que ficaram. Disse ainda que Chapecó e a Chapecoense merecem essa festa.

Veja bem, Senhor Del Nero, o que Chapecó e a Chapecoense precisam hoje, é velar seus amigos queridos. Proporcionar uma despedida calorosa e carinhosa. Eles precisam acalmar seus corações que jamais irão cicatrizar. Eles precisam de RESPEITO.

Fico aqui me perguntando – Se um filho teu falecer hoje, comemoraria o aniversário dele com festa amanhã?

Fonte: Esportes.R7

 

O Presidente do Atlético Mineiro, equipe que enfrentaria a Chapecoense pela última rodada, Daniel Nepomuceno, disse em coletiva na manhã de hoje (01) que a equipe não vai viajar para Chapecó. “Vim aqui somente informar que o Atlético não irá jogar contra a Chapecoense, não irá para Chapecó jogar a última partida.”

(Atlético confesso que sentia uma repulsa por você. Mas obrigada, tem meu respeito)

Ao nosso Presidente Marco Polo, esperamos e desejamos que se retrate e entenda essa dor e esse luto. Mas ainda assim vai uma dica pro Senhor – Que tal fazermos essa festa lá nos Estados Unidos??

 
Li Zancheta