Respeitem nossa história e o peso dessa camisa

 

 

Na noite de sexta-feira (14), pelos pés de Robinho e Henan, quem levou a melhor foi a equipe Catarinense. 2x1 para o Figueirense diante do Brasil de Pelotas e mais uma vez o mesmo pensamento ecoava pela Baixada: “Só vão tomar providências quando já estivermos na Série C?”

 

XavanteBrasildePelotas.jpg

Foto: Carlos Insaurriaga e Jonathan Silva

 

 

PRIMEIRO TEMPO:

Quando ainda o relógio marcava os primeiros 9 minutos de partida, Robinho abriu o placar para os visitantes. O Brasil não desanimou. Pelos pés de Marcinho – mais uma vez destaque na partida – conseguiu igualar aos 27 minutos após cabeçada de Rafinha. Dando esperança ao torcedor rubro negro que o placar de terça contra o Oeste, fosse se repetir, quando também saímos perdendo por 1x0 e viramos, conquistando os 3 pontos. Porém, nós torcedores gostamos de nos iludirmos. Pois ainda na etapa inicial, acabamos levando o segundo da equipe catarinense. Pelos pés de Henan após um chute de fora da área, trabalhado na raridade, o placar marcava 2x1. Leandro Camilo, capitão Xavante, tentou aos 46 minutos, mas o zagueiro do Figueira estava atento.

 

 

SEGUNDO TEMPO:

No decorrer da etapa complementar, o Figueirense ia se fechando e fazendo o tão conhecido cai-cai. Afinal estavam ganhando fora de casa e a ideia era de manter o placar sem levar gol. Aos 16 minutos, o zagueiro Leandro fez falta em Lincom, recebendo cartão vermelho. Com um a mais em campo, respiramos! Ou assim pensamos que seria. Com chegadas fracas, o clima nas arquibancadas do Bento Freitas era só um: Devolvam o nosso Brasil. O ditado é: “Em time que está ganhando, não se mexe.” E em time que está perdendo? SIM! Pois é, mas as substituições não aconteciam. Apenas nos últimos instantes que RZ colocou o recém chegado William Ribeiro e Papa. Mas de nada adiantou, a noite quente de sexta, terminava com vitória dos adversários.

 

 

RESENHA:

Com uma das defesas mais vazadas, não estamos reconhecendo o Brasil. Após um estadual sofrido, a torcida mais uma vez se depara com momentos complicados. Sabemos que futebol é assim. Um dia perdemos, fases ruins – onde a bola insiste em não entrar – acontecem. Mas quando elas são reincidentes, merecemos explicações. Mais que isso, merecemos que providências sejam tomadas. Por vezes, parece repetitivo falar de tal descontentamento, porém recordo o quão foi trabalhoso para chegarmos onde estamos. Viemos da quarta divisão! Não queremos voltar para terceira. A Maior e Mais Fiel sempre esteve junto, e agora não está sendo diferente.

 

 

BrasildePelotasSérieB.jpg

Foto: GloboEsporte.com

 

 

Na noite de sexta-feira quando conseguimos igualar o placar, todos cantavam em uma só voz. Mas ao final, vi cenas de senhores cabisbaixos e sentados nas arquibancadas. É por isso que não me importo com a insistência em clamar por respostas, por respeito! E por fim, obrigada Marcinho, obrigada Rafinha.

 

 

PRÓXIMO CONFRONTO:

A reação talvez venha na próxima terça-feira (18) às 19h15, desta vez fora de casa, diante do Paraná em Curitiba. Precisamos voltar com os 3 pontos na bagagem!

 

 

FICHA TÉCNICA

 

 

Brasil: Marcelo Pitol; Ednei (William Ribeiro), Leandro Camilo, Evaldo e Breno; Itaqui, João Afonso, Wagner (Gustavo Papa), Rafinha e Marcinho; Lincom. Técnico: Rogério Zimmermann.

 

Figueirense: Saulo; Ferreira, Marquinhos e Leandro Almeida; Dudu Vieira, Matheus Pereira, Patrick e Iago (Julinho); Índio (Walterson), Henan (Bruno Santos) e Robinho. Técnico: Marcelo Cabo.

 

Gols: Marcinho, aos 28min1T (B); Robinho, aos 9min1T, e Henan, aos 30min1T (F).

Cartões amarelos: Lincom, Wagner, João Afonso e William Ribeiro (B); Ferreira, Leandro Almeida, Matheus Pereira e Walterson (F).

Cartão vermelho: Leandro Almeida (F).

 

És gigante, Brasil.

Nós juntos, mais ainda!

 

Por: Giovana Bastos.