SANSÃO 300: O CLÁSSICO DA PAZ

Nesse domingo (26), Santos e São Paulo chegarão juntos no mesmo ônibus e disputarão o clássico de nº 300 entre as equipes, em confronto direto por uma vaga no G4, dependendo de alguns outros resultados. A partida será às 16h (BSB) no Pacaembu, após os presidentes dos clubes entrarem em um consenso para que os dois jogos da edição 2016 do Campeonato Brasileiro sejam realizados em campo neutro. Sendo assim, o local escolhido foi o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho. Além disso, o clássico deste domingo marca a partida de número 500 do time alvinegro no estádio no qual foi palco de muitas conquistas históricas do Peixe.

(Imagem: tudoindica.net)

PREPARAÇÃO TRICOLOR

Após o empate sem gols com o Sport em casa, o Tricolor terá novamente a chance de conquistar 3 pontos em campo neutro, o que pode ser levado como vantagem. Apesar de favorito e vindo de uma vitória consistente fora de casa em cima do Fluminense, o Santos oscilou bastante nesse início de campeonato e além disso, não poderá contar com a “magia” do Alçapão e com a técnica e experiência de Ricardo Oliveira, ainda em recuperação por conta de uma contusão.

Visando a pontuação e a subida na tabela, o elenco se reapresentou no CT da Barra Funda nesta sexta-feira e trabalhou bastante, iniciando os preparativos.

Enquanto os jogadores que foram titulares contra os pernambucanos faziam exercícios regenerativos, Patón Bauza comandou uma atividade em campo reduzido com o restante do grupo, que contava com a presença do peruano Christian Cueva, novo reforço do Tricolor.

Neste sábado, a equipe tricolor fez um último treino, onde Edgardo Bauza fez algumas modificações, mas sem definir o time que de fato estará em campo, e ao que tudo indica, a definição sairá apenas minutos antes da partida.

Como de costume nos últimos treinos que antecedem os confrontos, os jogadores viram um vídeo com as principais características dos adversários. Em seguida o elenco fez um aquecimento com os preparados físicos, e depois aprimoraram cobranças de faltas e escanteios durante o coletivo. Além disso, Patón corrigiu o posicionamento dos atletas. Bruno e Paulo Henrique Ganso, assim como Hudson e Carlinhos, foram preservados e atuaram na equipe suplente.

A cada rodada que passa, um novo obstáculo para o técnico tricolor escalar o time. No jogo de quinta-feira, Kelvin sofreu uma contusão e deverá passar 30 dias fora, juntando-se a Wesley, Breno, Wellington, Lucas Fernandes e Mena, que também compõem o departamento médico. Bruno e Paulo Henrique Ganso, assim como Hudson e Carlinhos, e Thiago Mendes (fadiga muscular) foram preservados e atuaram na equipe suplente no treino deste sábado. 

O provável time a ir a campo deve ser: Denis; Mateus Caramelo, Lugano, Maicon e Matheus Reis; Artur, João Schmidt e Ytalo; Michel Bastos, Luiz Araújo e Calleri.

(Foto: FutebolHoje)

PREPARAÇÃO ALVINEGRA

Após a vitória contra o Fluminense por 4x2, no Espírito Santo, o Peixe busca mais um bom resultado no campeonato para continuar na briga pelo G4. Uma vitória no clássico, além de dar mais confiança poderá embalar novamente a equipe.

A novidade na equipe é Lucas Lima, que estava fazendo recondicionamento físico, mas já treinou como titular no último treino e deve iniciar a partida no lugar de Léo Cittadini.

Os desfalques do Peixe seguem sendo Paulinho, David Braz, Ricardo Oliveira, Vladimir e Lucas Veríssimo. Além deles, Vecchio e Copete que foram apresentados nos últimos dias, eram esperanças para este clássico. Porém, ainda não apareceram no BID da CBF e serão desfalques.

A provável equipe santista para esse domingo conta com Vanderlei; Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Luiz Felipe e Zeca; Renato, Thiago Maia, Lucas Lima e Vitor Bueno; Gabriel e Rodrigão.

Contando com o apoio da torcida que deverá comparecer em bom número ao Pacaembu, o Santos espera manter sua invencibilidade no estádio e apresentar um bom futebol. Em clima de paz, esperamos assistir um grande espetáculo.

A arbitragem será composta por Raphael Claus, auxiliado pelos assistentes 1 e 2, Danilo Ricardo Simon Manis e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa, respectivamente.

Que no “clássico da paz”, a paz realmente reine dentro e fora de campo, mas sem os jogadores esquecerem que durante os 90 minutos é guerra pelos 3 pontos!

Renata Chagas & Carolina Ribeiro