Sansão

   De um time desacreditado, ao quarto lugar do tão sonhado G4. De derrotas inacreditáveis a quatro jogos consecutivos sem tomar gols. De um São Paulo totalmente desfigurado, ao São Paulo de Osório, que chegou ao clube com festa, e que em tão pouco tempo virou dúvida nas escalações. Menos de dois meses no clube e sua saída já era cogitada, e juntamente com ela, propostas que, aos olhos e ao bolso, seriam melhores do que continuar em um São Paulo que passava por um imenso desmanche. Mas ele resistiu, e acredita em seu trabalho! E é disso que o São Paulo precisa! O São Paulo precisa de alguém que confie em si mesmo e no grupo, e que faça o trabalho, mesmo que este seja díficil.

  E em meio a tudo isso, Osório tenta, com o seu método de "rodízio" - tão questionado por quem sabe e por quem não sabe de futebol -, manter um São Paulo ofensivo, que joga pra frente, que tenta evitar ao máximo o recuo da bola... Ainda não é possível ver tantas mudanças - mesmo depois de 20 escalações diferentes desde quando Osório passou a comandar o time -, mas já é possível ver um São Paulo menos oscilante, bem mais ofensivo, correndo e buscando os resultados.

  Sábado, 05 de setembro, tivemos um jogo onde o favorito não era o São Paulo, e sim o Internacional, que vinha embalado após a goleada de 6x0 sobre o fraco Vasco da Gama. Depois de um empate em 0x0 na Arena Joinville contra o vice-lanterna da competição, o que mais se questionava era se o Tricolor, com tantos desfalques, iria sair com os 3 pontos, ou pelo menos, com 1 ponto dos 3 disputados. E a resposta era quase certa pra maioria.

  O Tricolor, mesmo oscilando, precisava da vitória pra entrar no G4 e respirar um pouco, aliviado. E nada mais importava... Era preciso vencer! E venceu! Fez o dever de casa... Osório, mesmo com restrições para montar o time, treinou pra vencer, ou para, pelo menos, cansar o time adversário, que mesmo com os titulares em campo, parecia jogar com o time reserva (não os desmerecendo, por favor, entendam!), perdido em campo, apático e sem estilo de jogo.

  Quarta-feira, 09 de setembro, o São Paulo irá até a Vila Belmiro buscar mais uma vitória importantíssima para continuar mantendo-se na zona classificatória, tentando carimbar seu passaporte para a Libertadores 2016. Precisa da vitória não somente pra se manter no G4, mas por ser um jogo contra um dos seus maiores rivais, e também pra quebrar um tabu de 8 jogos sem vencer na casa do Santos, sendo 3 empates e 5 derrotas. A última vitória do Tricolor na Vila Belmiro foi em 25 de outubro de 2009, num jogo eletrizante, com 7 gols, e o placar final de 4 a 3. Haja emoção e coração!

  Mas Osório não se preocupa em quebrar tabus. O que mais o preocupa mesmo é a qualidade ofensiva que o Peixe possui. Ao que tudo indica, como em 2009, a Vila mais uma vez será palco de um jogo emocionante, já que os dois times estão bastante ofensivos, cada um com suas devidas qualidades.

  Se de um lado temos Ricardo Oliveira, artilheiro da competição com 15 gols marcados, e Gabriel, o famoso Gabigol, do outro lado estão Alexandre Pato e Rogério, o tal "Neymar do Nordeste", que fez sua estreia "ofuscar" o verdadeiro homenageado da noite de sábado, Rogério M1to Ceni, com seus 25 anos de clube.

  O que mais chama a atenção e deixa os ânimos à flor da pele é o sistema defensivo do São Paulo, que está com alguns desfalques. Breno e Lucão foram liberados pelo departamento médico, assim como Luiz Eduardo, mas estão fora do clássico e talvez nem sejam relacionados pro confronto, abrindo a vaga para este último, que participou do treino ocorrido na manhã dessa terça-feira. Osório também tem a opção de repetir a dupla formada por Edson Silva e Lyanco, que tem mostrado personalidade e frieza em campo. Mas por falta de opções, no treino tático realizado na segunda-feira, quando ainda não tinha a notícia de que Luiz Eduardo seria liberado, o técnico improvisou na defesa o volante João Schmidt e o lateral Matheus Reis.

  Além desses desfalques, talvez o São Paulo tenha a ausência de uma peça importantíssima para o clássico. Rogério Ceni tem participado apenas da primeira parte dos treinos no gramado, seguindo para o Reffis após as atividades. Dores no músculo adutor da coxa direita seriam o obstáculo para tirar o M1to debaixo das traves. Sendo assim, Renan Ribeiro, que tem trabalhado bastante e feito boas e belas atuações, poderá ser titular pela 4ª partida seguida.

  O time escalado por Osório é uma incógnita, já que titulares e reservas estavam misturados entre si quando a imprensa teve acesso ao treino, no CT da Barra Funda. Thiago Mendes volta de suspensão e, Wesley - que também cumpriu suspensão no jogo passado - e Hudson brigam por uma vaga, caso seja necessário um parceiro em campo para o camisa 23. Já no ataque tricolor, Alexandre Pato - que cumpriu suspensão no jogo contra o Internacional - e Luis Fabiano - que foi liberado pelo departamento médico -, juntamente com Wilder Guisao e Rogério, disputam duas ou três vagas, dependendo do esquema tático do professor Osório. Como meia de criação, um dos destaques dos últimos jogos, Paulo Henrique Ganso,provavelmente acompanhado de Michel Bastos como parceiro de armação ou como ponta direita.

  Quanto à escalação definitiva, ninguém faz ideia. Nem mesmo os próprios jogadores, como ressaltou Michel Bastos em uma das entrevistas concedidas à equipe de imprensa. Mas, independente de quem vai entrar em campo, de quem ficará no banco, a sorte está lançada. Jogam aqueles que estão dispostos a honrar a camisa que vestem, camisa essa que pesa e não é pouco. Mostrar serviço nos treinos é fácil. O que vale, na verdade, é o quanto podem doar-se! O que vale é correr de um lado ao outro do campo, é criar jogadas, é influenciar com energia positiva todo o elenco, é estar perdendo e buscar com todas as forças um bom resultado, mesmo que este seja apenas um empate. O que vale é a união... E a união faz a força!

  Amanhã é dia de San-São, e eu estarei na torcida pelo meu Tricolor! Que o jogo possa ser um espetáculo, um show de bola... E por favor, sem erros de arbitragem, que já estão passando dos limites! Que o meu São Paulo saia vitorioso, mas que vença o melhor!

 

#JuntosSomosMaisFortes <3

 

Por Renata Chagas